Topo

Refugiados rohingyas fugiram para a Índia, mas o ódio no Facebook os seguiu

Arka Dutta/The New York Times
Hossain Gazi dentro de uma das cabanas que construiu para abrigar os refugiados Rohingya, em Bengala Ocidental, na Índia Imagem: Arka Dutta/The New York Times
Exclusivo para assinantes UOL

2019-06-21T00:01:00

21/06/2019 00h01

Vindu Goel e Shaikh Azizur Rahman
Em Calcutá (Índia)

Mohammad Salim, um refugiado muçulmano rohingya, achou que tinha deixado a violência genocida e a acrimônia no Facebook para trás quando fugiu de seu país nativo, Mianmar, em 2013.

Mas...

Mais Jornais internacionais