Fundamentalistas cristãos querem disseminar poligamia no Texas

Bill Hanna
Fort Worth Star-Telegram
Em Eldorado, Texas

Primeiro, ia ser um albergue de caçadores. Depois, um retiro. Mas a cada nova construção, os moradores da região ficam um pouco mais apreensivos. Uma seita poligâmica cheia de segredos se prepara para ocupar uma fazenda no oeste do Texas, a 6,5 km de Eldorado.

A população local diz que tem motivos para se sentir inconfortável com seus novos vizinhos. Acredita-se que a Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, com bases nos Estados de Arizona e Utah, seja o maior grupo poligâmico do país. A igreja, que tem 10.000 membros, promove abertamente o casamento múltiplo e foi acusada de casamentos forçados, abuso do sistema previdenciário e troca de mulheres.

Se grandes números dos seguidores da igreja se mudarem para Eldorado, o grupo poderá dominar a cidade de 1.955 habitantes, temem seus moradores. A cidade fica cerca de 70 km ao sul de San Ângelo.

"Eles podem facilmente entrar aqui, trazer milhares de seguidores e assumir o controle do hospital e outras posições eletivas, se quiserem. É isso que nos preocupa", disse Randy Matkin, editor do "Eldorado Success" e diretor do conselho do Hospital do Condado.

Os moradores locais observam que o grupo, inicialmente, tentou esconder a compra da fazenda de 8 quilômetros quadrados, no ano passado. O ritmo da construção leva muitos a questionarem se os anciãos da igreja foram verdadeiros quando disseram que a fazenda ia ser usada como retiro para 200 membros.

Como parte de sua crença, os membros da igreja interagem o menos possível com o mundo externo. A reportagem não encontrou nenhum seguidor da igreja disposto a dar uma declaração. Seu advogado, Rodney Parker, disse que as acusações não passam de perseguição política.

As cidades gêmeas de Colorado City, no Arizona, e Hildale, em Utah, onde a igreja tem sua sede, são dominadas pelo grupo. A igreja é proprietária das casas e controla a polícia e as escolas, apesar de a maior parte dos filhos dos membros ser educada em casa.

O grupo acredita que a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias desviou-se de sua verdadeira crença, quando renunciou ao casamento plural, em 1890. Os fundamentalistas romperam com a igreja e praticaram a poligamia desde então.

Moradores de Eldorado ficaram revoltados em março, quando souberam que o grupo tinha comprado a propriedade. Um membro do Conselho da Cidade até sugeriu que o diabo tinha chegado à região.

O alarme inicial passou e foi substituído por apreensão. Os moradores ainda pegam exemplares do "Success" assim que chegam às bancas e chamam o xerife quando vêem grandes caminhões indo em direção ao terreno da igreja.

Da estrada que cerca a fazenda, mal se pode ver o que está sendo construído. A única evidência da comunidade nascente é uma placa de propriedade particular e uma guarita. A única estrutura visível é uma torre de cimento.

Mas, do céu, a cena é outra. Cinco construções, inclusive três grandes estruturas que parecem ser dormitórios, foram construídas em questão de meses. Os operários fizeram mais uma grande fundação em junho.

É difícil obter um retrato claro do que essa atividade significa.

Warren Jeffs assumiu a liderança da igreja depois que seu pai, Rulon Jeffs, morreu, em 2002. Neste ano, Jeffs purgou cerca de 20 anciães da igreja, inclusive vários rivais, levando alguns observadores a pensar que a mudança para o Texas é uma busca por pastos mais verdes. A igreja já tem uma comunidade em Boutiful, no Canadá, e há rumores de outra no México.

Benjamin Bistline, ex-membro, diz que o grupo mudou desde que Warren Jeffs tornou-se líder. "A maior mudança que observei desde que Warren Jeffs assumiu foi a troca de esposas -tirar as mulheres de um homem e dá-las a outro", disse ele, que escreveu "The Polygamists: A History of Colorado City, Arizona" (os poligâmicos: uma história de Colorado City, Arizona), um relato não fictício da história da igreja, publicado por Agreka Books, de Scottsdale, Arizona.

Sob a liderança de Jeffs, o grupo mudou algumas de suas crenças, disse Bistline, que deixou a igreja em 1980. "Sempre defendi os poligâmicos", disse Bistline. "São pessoas muito morais. Mas agora, desde que ele assumiu, há mais corrupção, mais abuso das mulheres".

Bistline disse acreditar que algumas jovens são forçadas a casar para que não saiam do grupo. A mudança para o Texas pode aumentar o poder sobre elas, disse ele. "Acho que, com o isolamento daquele lugar, será muito mais difícil para os jovens escaparem", disse Bistline.

Rodney Parker, advogado da igreja, nega as acusações de abuso e casamentos forçados, dizendo que os detratores tiram os fatos do contexto.

"Com relação à questão do casamento, é muito confuso, muito complicado", disse Parker. "Há casamentos entre as idades de 16 e 18 e ocasionalmente mais jovens, mas não são comuns. Esses casos estão sendo usados por críticos para implicar que a igreja é só isso e nada mais. É um erro brutal, uma falsidade proposital. Nenhuma dessas meninas é prisioneira."

Parker também argumenta que tentativas de processar os polígamos não se sustentarão. "Acho que a poligamia é constitucionalmente permitida", disse ele. "Todas as formas de relacionamento sexual agora são permitidas. Dizer que esta é a única ilegal não faz sentido."

O xerife do condado de Schleicher, David Doran, que visitou Colorado City e a propriedade de Eldorado, vem tentando aprender mais sobre o grupo e acalmar as preocupações locais.

"Eles têm crenças muito diferentes, mas têm uma bela cidade em Colorado City e me deixaram ver tudo", disse Doran. "Conversei com mulheres e crianças, e todos foram abertos e educados. Estou tentando fazer tudo em meu poder para manter uma linha de comunicação aberta com eles."

Ainda assim, Doran concorda que o grupo fará o que Jeffs pedir. "Se ele der uma ordem, qualquer que seja, tenho certeza que a seguirão", disse Doran.

Flora Jessup, de Phoenix que foi criada na igreja, é crítica da seita. Foi ela quem alertou os residentes de Eldorado que a igreja tinha comprado a fazenda. "Eles são bons em representar para o público", disse Jessup. "Eles recebem ordens para 'serem doces'. É uma máscara da comunidade. Se você não usar ela direito, há punição."

Ela diz que os moradores de Eldorado não devem abaixar a guarda. "Você nunca sabe ao certo o que acontece dentro dessas comunidades", disse Jessup. "O que você vê em público e o que está acontecendo em particular são duas coisas totalmente diferentes."

Em Colorado City, a cidade é dirigida como uma sociedade fechada, disse Buster Johson, supervisor do Condado de Mohave, Arizona. "Eles não vão entrar na cidade e seqüestrar crianças ou causar problemas", disse Johnson. "Mas vão tentar receber todo tipo de ajuda do governo que puderem."

Johnson observou que 66% dos moradores de Hildale recebem Medicaid, o auxílio federal para despesas médicas. A média do Estado de Utah é de 6,5%, disse ele. Alguns críticos referiram-se à tática como "sangrar a besta", um método pelo qual a seita retira recursos financeiros dos não seguidores.

Parker, o advogado, disse que não é verdade. "Isso não significa, entretanto, que eles não tiram vantagem de seus direitos legais", disse ele. Parker disse que a fazenda será "um novo local para fugir das pressões de Utah. Nesse sentido, é um refúgio, mas acho que isso é o máximo de detalhe que posso dar."

O grupo já está com problemas com o governo do Estado do Texas, com relação à licença ambiental. A Comissão de Qualidade Ambiental do Texas emitiu ordens de embargo, em maio, porque o grupo não tirou licença para seu triturador de pedras, instalações de tratamento de esgoto e uma planta de concreto e por não ter um plano para escoamento de água de tempestade.

Quando um repórter e um fotógrafo do Star-Telegram sobrevoaram a fazenda em junho, a planta de concreto parecia estar em operação.

"Acho que vamos até lá no prazo de uma semana", disse John Steib, vice-diretor da comissão, do escritório de fiscalização, na quinta-feira (1/7). Se houve violações, a agência poderá impor multas de US$ 10.000 (em torno de R$ 30.000) por dia.

Quanto aos moradores de Eldorado, muitos dizem que vão tolerar a igreja, desde que ninguém seja maltratado.

"Só vamos saber (se as pessoas estão sendo maltratadas) se alguém entrar e registrar queixa. Se eles ficarem trancados, não sei se alguém consegue passar por uma cerca de 2,5 metros a prova de veados", disse o juiz de paz Jimmy Doyle. Igreja conservadora incentiva maridos a ter várias mulheres e a negociá-las entre eles Deborah Weinberg

UOL Cursos Online

Todos os cursos