'Os Simpsons' matam público de tédio lentamente

Chris Quinn
San Antonio Express-News
Em San Antonio, Texas

Alguém por favor, me ajude a conter toda essa minha crescente excitação. Sim, por favor meus caros, eu mal posso esperar. Neste mês, estamos sendo submetidos a vários novos e brilhantes episódios de "Os Simpsons". No Brasil, a série é exibida pelo canal pago Fox.

Iupe! As risadas continuarão vindo.

Sabe, o chato no texto escrito é que vocês não podem ouvir minha voz monótona, nem meu absoluto sarcasmo enquanto escrevo sobre aquele que é possivelmente o mais monótono desenho animado exibido no horário nobre esses dias.

"Os Simpsons" é um amontoado de míseras e reles baboseiras.

Deus do Céu, a única coisa mais surpreendente que essa surrada bobeira ainda estar no ar é que as pessoas ainda assistem ao programa.

Mas entendam uma coisa, o mais difícil foi me dar permissão para parar de assistir ao programa. "Os Simpsons" foram uma das poucas coisas que eu já assisti regularmente na TV.

Com o passar dos anos e com os programas na TV a cabo, e também nas principais redes (americanas), passando a ficar cada vez mais engraçados e afiados, "Os Simpsons" foram se arrastando com as mesmas e cansadas vozes imateriais.

O programa agora nada mais é que uma vitrine para convidados especiais. É isso aí, não há nada de engraçado acontecendo. É apenas um veículo para inúteis celebridades de plantão fazerem aparições especiais. A única coisa possivelmente pior que esse programa são episódios antigos do desenho "Futurama".

Acho que posso observar um padrão por aqui. Ei, Matt Groening! Sua revolução terminou, vocês criadores estão perdidos. Entrem na política ou algo assim, mas --oh, céus, por favor-- deixem "Os Simpsons" morrerem em paz, para que a gente possa se lembrar dos bons velhos dias quando o programa realmente era engraçado.

Do jeito que está, é como se estivéssemos assistindo à versão em desenho animado do fim da aposentadoria de Michael Jordan, com ele jogando pelos Wizards.

Até mesmo as primeiras vozes da série estão saindo da linha. Não é que o elenco do programa recentemente entrou numa "ego trip" exigindo mais alguns milhões simplesmente para continuar dublando?

Eu sei que estou perturbando muitos de vocês agora com o que eu estou dizendo, mas não há salvação. O show está muito ruim! Esse mês, será que os seis novos episódios realmente trarão algo de novo? Hmm, não!

O "marcante" episódio número 350 foi estrelado por quem? É isso mesmo, os convidados especiais foram Stephen Hawking e Ray Romano.

No dia 15 de maio (nos EUA), prepare-se para Jason Bateman.

Caramba! Eu disse Jason Bateman! Matt, será que você ainda sabe o que faz as pessoas rirem? Você está nos enchendo com Hawking, Romano, "American Idiot" (quero dizer "American Idol") e com o garoto da série "Valerie"!

Com exceção da menção à "Arrested Development", tudo isso é muito triste, Matt.

Eu sempre lembrarei os bons velhos tempos de "Os Simpsons". O programa me divertia muito quando eu era jovem. Foi o pioneiro no humor besteirol mais pesado no horário nobre.

O negócio é o seguinte --os garotos que cresceram assistindo a "Os Simpsons" amadureceram. E eles estão por aí fazendo programas de televisão por conta própria, e fazendo programas melhores que "Os Simpsons" já foram.

Na verdade, os caras que produzem material interessante provavelmente estavam mais para "Beavis & Butt-Head" do que para "Os Simpsons", mas aí já é um assunto totalmente diferente.

Enquanto isso, "Os Simpsons" continuam a produzir exatamente as mesmas histórias.

Homer tem fome, Homer é um idiota, Homer odeia Flanders, Lisa está se debatendo interiormente, Lisa tem um momento de dúvida em relação à fé, Lisa é vegetariana, Lisa está protegendo as árvores, Bart está quebrando alguma coisa, Bart está indo bem, mas parece que fez algo de errado, Bart fez algo de errado que pode ter sido engraçado nos anos 80, Marge está se lamentando, Marge está descobrindo o poder da mulher, Marge segue acreditando em Homer, embora ele esteja fazendo algo estúpido.

Essa lista poderia se prolongar, e iria dar em repetições de quase qualquer episódio de "Os Simpsons" já produzido.

Eu me sinto muito mais livre agora em relação às minhas noites de domingo, agora que eu já não me sinto obrigado a assistir a "Os Simpsons". Porque, durante um tempo, ver o programa se transformou nisso --numa obrigação.

Eu já o assisto há tanto tempo que não estou bem certo se me autorizaram a parar de assistí-lo. Isso se tornou um hábito. Como muitos de vocês, eu assistia porque é o que eu fazia durante anos e não sabia de nada melhor.

Eu não fazia idéia da razão pela qual todo domingo à noite eu sentia uma pontada atrás da cabeça --como se fosse uma mula me atingindo no pescoço-- era porque "Os Simpsons" estavam me matando lentamente de tédio.

Falando sério, "Os Simpsons" são o que a turma de 40 anos assiste para tentar se relacionar com seus adolescentes em casa. É triste, muito triste.

Vocês fiéis amigos dos "Simpsons" por aí, façam a vocês mesmos um favor. No domingo à noite, quando o programa for ao ar, desligue. Vão ler algum velho gibi do Bloom County ou então tocar fogo no formigueiro ou contra seus dedos --alguma coisa. Desenho veterano estrutura-se numa fórmula que já se desgastou Marcelo Godoy

UOL Cursos Online

Todos os cursos