Ala Janeth da WNBA dá força à próxima geração

W.H. Stickney Jr.
Houston Chronicle

Janeth Arcain sentiu que, aos 35 anos, a Olimpíada de 2004 poderia ser sua quarta e última, e assim ela desistiu de uma oitava temporada com o Houston Comets para ajudar a seleção feminina de basquete do Brasil a se classificar para os Jogos de Atenas.

AFP

Janeth supera marcação dura em partida das Olimpíadas de Atenas
Mas agora Janeth está de volta para onde os fãs dizem que ela pertence: como membro da equipe do Comets que busca seu quinto título da WNBA.

Mas ocasionalmente, ela pensa em como será a vida assim que seu arremesso suave, sem esforço, começar a falhar.

Há dois anos, Janeth vendeu uma loja de informática que ela tinha em São Paulo, Brasil, e usou parte dos lucros --juntamente com o que economizou jogando profissionalmente-- para abrir duas escolas de basquete no Brasil.

"O basquete me deu muito", disse Janeth nesta quarta-feira (18/05). "Eu tenho sido abençoada. Eu queria dar algo em troca. Nós damos às crianças uma chance de sonhar e ser boas jogadoras. É bom porque posso ajudar outras pessoas, possa ajudar as crianças."

"A outra coisa é que elas não precisam pagar por isso. É gratuito para elas. A única coisa é que precisam estar na escola e ter boas notas para estar no time."

Pelé, o astro do futebol, é considerado o maior atleta produzido pelo Brasil. Janeth pode ser a segunda melhor.

As escolas, disse Janeth, servem a jovens carentes de 7 a 13 anos. Uma fica localizada em São Paulo, a outra em uma pequena comunidade nos arredores da cidade.

Cada uma funciona duas vezes por semana. Cerca de 200 jovens freqüentam a escola em São Paulo, e 60 freqüentam a outra. Ela planeja abrir uma no Rio de Janeiro em breve.

Janeth obteve ajuda de um grupo de investidores para financiar o custo de construção e manutenção das escolas.

A jogadora disse que as escolas ensinam etiqueta, higiene pessoal e outros conhecimentos que ajudarão as crianças posteriormente na vida. Dois técnicos em tempo integral prestam contas a Janeth.

"Se começam pela manhã, a tarde fica aberta. Se eles praticam à tarde, a manhã fica aberta", disse Janeth. "É para meninos e meninas."

"Nós temos psicólogos que conversam com elas. Muitos pais nos procuram e dizem: 'Meus filhos estão em casa agora, vocês estão mantendo eles fora das ruas e longe de más companhias, de coisas ruins'. Esta é a chance que damos a estas crianças."

Janeth convida celebridades para falarem para os jovens. Kevin Cook, o assistente do Comets, foi convidado nos dois últimos anos. Ele considera as escolas uma inovação brilhante, altamente necessária.

Cook disse que Janeth é sábia em começar a procurar uma vida além do basquete.

"Eu a parabenizo por ter este tipo de previdência", disse Cook.

Mas não pense que devido aos empreendimentos externos de Janeth, ela está pensando em se aposentar imediatamente. Seu espírito competitivo foi intensificado pelo verão longe do Comets.

Janeth se apresentou para os treinamentos neste ano antes do que em outras ocasiões (3 de maio). Em seu primeiro jogo pela WNBA em mais de um ano, Janeth marcou 18 pontos em uma vitória pré-temporada de 71 a 62 sobre o Washington Mystics.

Cook disse que não ficará surpreso em ver Janeth na quadra para uma quinta Olimpíada, que igualaria o recorde de Teresa Edwards dos Estados Unidos.

"Ela tem um ritmo muito especial neste jogo de basquete", disse Cook.

"E eu acho que se ela permanecer forte e em forma e a confederação brasileira permitir que ela jogue 20 minutos, como David Robinson fez em seu último ano pelo Spurs, ela poderá ser uma grande mentora para as jovens que estão se projetando.

"Assim, eu não vou descartar isto para a Janeth. Eu vejo a Janeth jogando em algum lugar quando ela tiver 50 anos." Pelé, o astro do futebol, é considerado o maior atleta produzido pelo Brasil. Janeth pode ser a segunda melhor George El Khouri Andolfato

UOL Cursos Online

Todos os cursos