Novo Harry Potter proporciona lucros menores

Sue Stock
Raleigh News & Observer
Em Raleigh, Carolina do Norte

Harry Potter exerceu sua magia novamente neste fim de semana, mas para muitas livrarias, as vendas recordes de sua mais recente aventura não foram suficientes para conjurar grandes lucros.

Jonathan Player/The New York Times 
A britânica Sarah Angel, de 10 anos, vai a caráter até livraria para adquirir exemplar da nova aventura do ídolo
Isto pode parecer impossível considerando que em suas primeiras 24 horas de lançamento, lojas de Kroger até Best Buy venderam 6,9 milhões de cópias de "Harry Potter and the Half-Blood Prince", que tem um preço de lista de US$ 29,99.

Mas para permanecerem competitivas, muitas lojas pequenas igualaram o desconto de 40% oferecido pelas redes de varejo nacionais e potencias online como Amazon.com. Os preços por todo o país variavam de US$ 16 a US$ 21. A Costco cobrou US$ 15,99, e o Wal-Mart tinha um preço ainda menor, US$ 15,78.

Igualar tais preços baixos pode atrair compradores, mas elimina grande parte do lucro do pequeno varejista, disse Jim Milliot, editor de negócios e notícias da "Publishers Weekly".

"Eles estão cientes de que o Wal-Mart, Costco e todas estas lojas que não são livrarias estão no mercado de livros best seller", disse Milliot. "Eles não querem perder clientes para elas."

A situação piora quando grandes varejistas empregam seu tamanho para obter melhores descontos da editora. Enquanto lojas menores conseguem um desconto de 45% no preço, encomendas maiores conseguem um desconto de 48% a 50%, disse Milliot.

Isto significa que um grande varejista que comprou livros por metade do preço de capa de US$ 29,99 e então os vendeu com 40% de desconto, ganhará cerca de US$ 3 de lucro por livro. Mas um pequeno varejista, que pagou 55% do preço de capa e está igualando o desconto de 40% da Amazon, ganhará apenas cerca de US$ 1,50 por unidade vendida.

Na Quail Ridge Books & Music no Ridgewood Shopping Center de North Raleigh, cerca de 1.800 cópias do livro foram vendidas desde o lançamento à meia-noite de sábado, disse a gerente de livros infantis, Carol Moyer.

A loja deu os mesmos 40% de desconto das grandes lojas e realizou uma grande festa na noite de sexta-feira, com pintura de rosto, animais vivos e concursos.

Apesar das 1.000 pessoas presentes, "não deu muito dinheiro", disse Moyer. "Mas definitivamente valeu a pena porque conquistamos clientes e com sorte reforçaremos a lealdade da clientela."

Muitos varejistas ainda podem lucrar com o sucesso de Harry de outras formas, devido à venda em massa da série.

Na Borders on Six Forks Road em Raleigh, os livros de Potter estão em destaque à frente, e há uma seção "se você gosta de Harry Potter" no fundo contendo mais de 40 livros sugeridos. A música do filme também toca na loja.

Entre os produtos nas prateleiras está o Harry Potter Uno, bichos de pelúcia --alguém quer um cachorro de três cabeças?-- e um lanterna de livro Lumos (batizada segundo o feitiço usado pelos feiticeiros para transformar em lâmpada a ponta de sua varinha).

Produtos não ligados a Harry também ganham interesse quando um livro de Potter é lançado, porque os clientes folheiam outras coisas enquanto esperam pelo lançamento à meia-noite, disse Kim Brown, vice-presidente de varejo segmentado da Barnes & Noble.

"Doces", disse ela. "Nós vendemos chocolates Godiva, e aparentemente os leitores de Harry também adoram chocolate."

Na The Regulator Bookshop em Durham, que até o momento já vendeu 650 exemplares, os fãs de livros na fila folhearam outros livros, disse o proprietário, John Valentine. O número de títulos vendidos na loja foi o dobro do número normal deste fim de semana.

"O que Harry Potter faz é trazer pessoas para a livraria, e as pessoas que aguardam pelo livro na fila descobrem outros livros", disse ele. "Os pais estão empolgados e dizem: 'Ei, meu filho está lendo. O que posso dar a ele quando terminar o Harry Potter?'"

Mas talvez o que mais dá aos varejistas esperança de ter mais lucros com a série Potter sejam clientes como Gina Schwitzgebel de Raleigh. Schwitzgebel e sua filha de 8 anos, Rachel, estão apenas agora começando a série Potter.

"Nós precisávamos de algo para leitura de verão e achamos que isto seria bom", disse Schwitzgebel enquanto comprava o primeiro livro de Potter na Borders, na segunda-feira, dois dias depois do lançamento do novo livro. "Vamos ver se gostamos." Descontos fazem livrarias ganharem menos, apesar do faturamento George El Khouri Andolfato

UOL Cursos Online

Todos os cursos