O Brasil de antes e agora com Marisa Monte

Rob Lowman
do Los Angeles Daily News

A superestrela brasileira Marisa Monte decidiu tirar dois anos de folga após o nascimento de seu filho, Mano. O tempo lhe deu "a oportunidade de compor e pesquisar bastante".

O resultado são dois novos álbuns - seus "gêmeos idênticos", como ela os chama. "Infinito Particular" é um álbum de pop brasileiro contemporâneo, enquanto "Universo ao Meu Redor" é uma coleção de sambas novos e antigos. O último acabou de conquistar o Grammy Latino de melhor álbum de samba.

Agora em sua primeira turnê americana em seis anos, Marisa Monte diz que se tivesse "gravado apenas um dos CDs e tivesse que sair em turnê, eu teria que esperar três anos para gravar o outro, o que seria uma grande distância entre o que estou fazendo em concerto e o que estou criando".

Você pode ver o que ela está criando quando ela trouxer sua banda de nove músicos e palco cinematográfico (muita "luz branca") ao Royce Hall da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, nesta noite.

Uma estrela desde que surgiu na cena musical brasileira aos 21 anos, Marisa Monte, atualmente com 39, "tem uma daquelas vozes conhecedoras, dóceis, que tornam o pop brasileiro tão convidativo", escreveu Jon Pareles, o crítico de música do "The New York Times".

Mas não pense em Marisa Monte como uma mera diva - ela é uma aventureira musical. Após se apaixonar por Maria Callas, ela partiu para estudar ópera na Itália na adolescência.

"Mas após um ano, eu considerei impossível viver fora do Brasil e esquecer todas as minhas referências culturais e fazer apenas clássico", disse Marisa Monte em uma entrevista por telefone, de sua casa no Brasil. Enquanto fala - o inglês dela é muito bom - você pode ouvir o ritmo natural de sua fala, como se a música nunca estivesse longe de seus pensamentos. "É meu alimento, minha cultura - é onde minhas referências mais importantes estão baseadas", ela disse.

Apesar de ter voltado ao Brasil, sua exploração musical não parou. Pergunte a ela sua lista de influências e elas se tornarão numerosas demais para recontar, indo de Erik Satie e Kurt Weill a Fela Kuti, Billie Holiday, Bob Marley, Curtis Mayfield e, é claro, mestres brasileiros como Caetano Veloso. Esta lista eclética está evidente nos dois novos álbuns.

Originalmente planejando apenas trazer sua antiga música para o mundo
digital, ela encontrou algumas músicas que ainda queria gravar. Isto a levou a uma jornada introspectiva, pessoal, que por sua vez a levou a voltar ao samba, a música que aprendeu enquanto crescia ouvindo álbuns com seu pai.

"Universo ao Meu Redor" inclui sambas que remontam os anos 40. Alguns eram populares mas nunca foram gravados. De qualquer forma, Marisa Monte os faz parecer contemporâneos e eternos.

"Infinito Particular", por outro lado, é uma viagem sonora, tremeluzente e íntima. E de acordo com seu lado aventureiro, Marisa Monte até mesmo convidou o famoso compositor minimalista americano Phillip Glass para que fizesse o arranjo para um simples quarteto violoncelo, fagote, violino e trompete- na faixa título do álbum. O ex-líder do Talking Heads, David Byrne, é outro colaborador, juntamente com artistas brasileiros como Arnaldo Antunes e Carlinhos Brown.

Mas mesmo para aqueles entre nós que não entendem português, não há motivo para preocupação. Você terá uma idéia sobre o que Marisa Monte está cantando por meio de sua voz. Apesar do treinamento em ópera ter lhe ensinado como aquecer e expandir sua voz, ela canta "baixo e íntimo, como se fosse para uma só pessoa".

Ainda assim, é possível encontrar traduções de suas canções nos CDs, assim como algo geralmente não encontrado -a s mudanças de acorde. "É outra abordagem para pessoas que amam música entrarem em contato com a canção", ela disse, notando que o português em si "é uma língua bastante musical" e que as pessoas no Brasil são "muito abertas a novas
possibilidades".

Ter um filho pequeno apresentou novos desafios para Marisa Monte, mas a
forma como trata a maternidade soa bastante como seus pensamentos sobre a música. "É algo muito intuitivo. (...) Eu desacelerei um pouco. Eu não passo muito tempo fora da minha casa. Mas é uma mudança natural." George El Khouri Andolfato

UOL Cursos Online

Todos os cursos