Momentos desesperados para Dixie Carter

Greg Hernandez
do Los Angeles Daily News

Quando a atriz veterana Dixie Carter recentemente se apresentou para trabalhar no cenário da série "Desperate Housewives", ela esbarrou no homem que foi o seu assessor pessoal durante os seus dias em "Designing Women".

Mas o seu ex-assistente não fora contratado por ninguém para ajudar neste cenário: ele é Marc Cherry, o principal criador e roteirista de "Housewives".

"Ele estava administrando os meus negócios pessoais, e em determinadas ocasiões comprava as minhas roupas de baixo na Neiman Marcus", recorda Carter rindo.

É positivo o fato de Cherry se lembrar dela de forma positiva. Nesta semana Carter aparece no primeiro de pelo menos sete episódios como a mãe do misterioso Orson Hodge (Kyle MacLachlan) e sogra de Bree Van De Camp-Hodge (Marcia Cross).

"Marc era um jovem notável", diz a atriz veterana. "Ele estava sempre observando. Sabíamos que ele era um escritor. Ele nunca se incomodou com o lar conturbado que Mr. (Hal) Holbrook (o seu marido há 22 anos) e eu montamos. Ele jamais se perturbou com o caso na nossa vida".

O papel de Carter como Gloria Hodge está longe da sua interpretação clássica como a loquaz e elegante Julia Sugarbaker, que era capaz de aniquilar uma pessoa com as palavras.

"Marc me chamou, e eu fiquei realmente entusiasmada", recorda-se Carter.

"Ele me disse que tinha algo de realmente bom para mim, caso eu estivesse disposta a deixar de lado o glamour. A personagem é mais velha, tem cabelos grisalhos e não usa maquiagem. Eu disse que por mim estava tudo bem. O papel é realmente maravilhoso".

"Housewives" foi a série de maior audiência na semana passada, quando uma trama que contou com a participação da vencedora do Emmy, Laurie Metcalf (Roseanne") teve um desfecho sangrento.

"Creio que, sob o ponto de vista da criatividade, o programa voltou aos trilhos, e acho que Laurie Metcalf teve muito a ver com isso", afirma Marc Berman, da "MediaWeek". "Mas ninguém quer que a atriz convidada ofusque os atores que realmente integram a série, de forma que é preciso ter um certo cuidado".

Carter descreve a sua personagem em "Housewives" como sendo "uma mulher terrível".

"Todos nós nos entendemos bem, sem saber realmente quem somos, mas eu só sei que sou ruim -sou uma mãe ruim", diz ela. "Gosto de atacar o armário de bebidas, e eles não gostam de me ver em Wisteria Lane".

Como a sogra má, a personagem de Carter deverá causar um estrago no mundo ordenado de Bree.

"As pessoas adoram ver Bree atormentada", diz Berman. "Ela já passou por maus momentos, mas os telespectadores não desejam que Bree tenha um dia feliz. Uma Bree feliz é uma Bree chata, portanto, faça o seu trabalho Dixie Carter!".

Após ter participado de sete temporadas de "Designing Women" e três anos no drama "Family Law", Carter não tem problemas para fazer o papel de mulheres fortes, ou em trabalhar em um programa de muito sucesso.

Mas, aos 67 anos, ela está experimentado pela primeira vez a sensação de fazer parte de uma série que se transformou em um fenômeno da cultura popular.

"É um clima muito emocionante", diz ela. "Quando você entra no estacionamento, o seu coração passa a bater mais rapidamente e você grita: 'Hurra, Hollywood!'". Danilo Fonseca

UOL Cursos Online

Todos os cursos