Sérvios escolhem ultranacionalista para presidir Parlamento

De Liubliana, Eslovênia

O Parlamento da Sérvia elegeu um aliado do já falecido presidente Slobodan Milosevic para a presidência da Casa na terça-feira (8/5), gerando temores entre autoridades da União Européia de que o país possa retroceder ao seu passado nacionalista.

Tomislav Nikolic, o líder do ultranacionalista Partido Radical, foi eleito ao fim de uma sessão de 15 horas com o apoio do partido do primeiro-ministro conservador Vojislav Kostunica.

A nomeação de Nikolic gerou especulações sobre um possível acordo entre o Partido Democrático Sérvio, de Kostunica, e os radicais, para a formação de um novo governo, um pacto que aqueles que defendem laços mais próximos entre a Sérvia e o Ocidente temem que venha a arruinar essa perspectiva. Mas Nikolic disse na terça-feira que o seu partido não participará de tal coalizão.

Os membros do Partido Radical são tidos como herdeiros ideológicos de Milosevic, que morreu em 2006 quando era julgado por acusações de ter praticado crimes de guerra.

O partido pede a unificação de todos os sérvios dos Balcãs em um único país, se opõe à cooperação com o tribunal de crimes de guerra em Haia e ameaçou dar início a um novo conflito relativo ao Kosovo caso esta província declare independência.

O partido de Nikolic obteve o maior número de votos nas eleições parlamentares de 21 de janeiro, mas não conseguiu assegurar a maioria no parlamento. Desde então Kostunica vem negociando uma maneira de formar uma coalizão com o pró-Ocidente Partido Democrático do presidente Boris Tadic. UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos