Putin teria comparado políticas americanas à Alemanha nazista

De Andrew E. Kramer
Em Moscou

O presidente Vladimir V. Putin comparou indiretamente a política externa dos Estados Unidos à do Terceiro Reich em um discurso na quarta-feira, em comemoração ao 62º aniversário da derrota da Alemanha nazista, aparentemente em uma escalada do tom antiamericano dentro do governo russo.

Sergei Chirikov/EFE 
Putin discursa no Kremlin, durante as celebrações do Dia da Vitória: crítica aos EUA


Os comentários foram os mais recentes em uma série de críticas duras dos russos à política externa dos Estados Unidos - para o Iraque, defesa antimísseis, expansão da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e, mais amplamente, o unilateralismo americano nos assuntos externos.

Muitos russos disseram que o tom mais duro reflete a frustração com o fato dos pontos de vista da Rússia, em particular a oposição à expansão da Otan, serem ignorados no Ocidente. Mas fora da Rússia, muitos detectam no novo tom um retorno do antagonismo ao estilo da Guerra Fria, fortalecido pela riqueza trazida pelo petróleo.

A analogia de Putin foi uma pequena parte de um discurso mais longo, congratulando os veteranos russos da Segunda Guerra Mundial, conhecida aqui como a Grande Guerra Patriótica. Putin falou em um palanque diante do mausoléu de Lenin na Praça Vermelha, perante tropas reunidas para uma parada militar.

Putin chamou o Dia da Vitória de um feriado de "imensa importância moral e poder unificador" para a Rússia, enumerando em seguida as lições daquele conflito para o mundo atual.

"Nós não temos o direito de esquecer as causas de qualquer guerra, que devem ser procuradas nos erros e equívocos dos tempos de paz", disse Putin.

"Além disso, em nosso tempo, estas ameaças não estão diminuindo", ele disse.

"Elas apenas se transformaram, mudando sua aparência. Nestas novas ameaças, como durante a época do Terceiro Reich, estão o mesmo desrespeito pela vida humana e as mesmas alegações de excepcionalidade e imposição autoritária no mundo."

Sergei A. Markov, diretor do Instituto de Estudos Políticos, que trabalha estreitamente com o Kremlin, disse em uma entrevista por telefone que Putin se referia aos Estados Unidos e à Otan. Markov disse que os comentários devem ser interpretados no contexto de uma discussão mais ampla, filosófica, sobre as lições da Segunda Guerra Mundial.

"Ele pretendia falar sobre os Estados Unidos, mas não apenas", disse Markov em uma referência à menção ao Terceiro Reich. "O discurso disse que a Segunda Guerra Mundial ensina lições que podem ser aplicadas no mundo atual."

Os Estados Unidos, argumentou Putin, estão buscando estabelecer um mundo unipolar para substituir o equilíbrio de poder bipolar da era da Guerra Fria. George El Khouri Andolfato

UOL Cursos Online

Todos os cursos