Refrigerante diet ou comum? Estudo mostra que riscos à saúde são os mesmos

Kantele Franko

Bebedores freqüentes de refrigerante diet podem economizar calorias, mas enfrentam o mesmo alto risco de doenças cardíacas e diabetes que as pessoas que bebem os refrigerantes comuns todo dia, diz um novo estudo.

Os cientistas que estudaram cerca de 3.500 homens e mulheres de meia-idade como parte de um projeto de pesquisa do coração de longo prazo encontraram uma associação entre o consumo diário de refrigerante e um aumento do risco de desenvolvimento de síndrome metabólica, segundo relato publicado na segunda-feira no "Circulation: Journal of the American Heart Association".

As pessoas com síndrome metabólica apresentam uma combinação de fatores de risco para diabetes e doença cardíaca, como pressão alta e triglicérides elevados.

Os analistas também consideraram outros fatores, como se as pessoas tinham uma dieta de alta ingestão de calorias e estilo de vida sedentário. Mas o trabalho não prova exatamente quem ou o quê deve ser responsabilizado pelos problemas potenciais à saúde, disse o dr. Ramachandran Vasan, principal autor do Estudo do Coração de Framingham.

"Uma das perguntas importantes é: 'É o bebedor de refrigerante ou o refrigerante?'" disse Vasan, que leciona na Escola de Medicina da Universidade de Boston.

O estudo se soma a uma série de pesquisas que associam o consumo tanto de refrigerantes diet quanto comuns à obesidade infantil e maior risco de pressão alta em adultos. Os autores não fizeram recomendações específicas porque mais pesquisa é necessária para esclarecer ou confirmar os resultados, ele disse.

Neste grupo de adultos de meia-idade, o consumo de apenas um ou mais refrigerantes por dia pareceu aumentar o risco de desenvolvimento de síndrome metabólica em cerca de 50%", independente do refrigerante ser artificialmente adoçado ou não, disse Vasan.

Quando comparados àqueles que bebem menos que um refrigerante por dia, os participantes que bebem um ou mais apresentaram um risco cerca de 30% maior de desenvolvimento de diabetes, obesidade ou apresentar nível baixo do colesterol bom.

Mas críticos como o dr. Dean Ornish argumentam que o consumo freqüente de refrigerante tem sido injustamente escolhido neste estudo e outros. "Eu imagino que se olhassem para biscoitos de chocolate e fizessem a mesma análise, eles encontrariam a mesma coisa", disse Ornish, fundador e diretor do Instituto de Pesquisa de Medicina Preventiva sem fins lucrativos, em Sausalito.

Não faz sentido que duas pessoas que bebam bebidas com valores calóricos muito diferentes tenham uma probabilidade semelhante de ganhar peso, ele disse.

Mas o hábito de beber refrigerante está entre os comportamentos não saudáveis que contribuem para os problemas metabólicos, disse Ornish. O estudo confunde fatores que contribuem com as causas de fato da doença, ele disse.

É o mesmo argumento feito pelos representantes da Associação Americana de Bebidas. "Você pode consumir em excesso qualquer alimento com calorias e você terá conseqüências potenciais à saúde, de forma que sempre pregamos moderação na dieta e que as pessoas realizem atividades físicas", disse o porta-voz da associação, Kevin Keane.

O grupo setorial, que representa os fabricantes e distribuidores de bebidas não-alcoólicas, atacou o estudo e suas implicações sobre doença cardíaca. "É um problema complexo e culpar um alimento específico ou um produto em particular por doença cardíaca ou outros problemas é apenas uma simplificação exagerada e não precisa", disse Keane.

Os pesquisadores ofereceram várias teorias para explicar seus resultados, como o de que o consumo de bebidas doces possa condicionar um desejo por alimentos mais doces, ou que beber mais durante uma refeição possa levar a um consumo maior de alimentos sólidos na refeição seguinte.

Eles também disseram que o açúcar líquido de frutose do milho em refrigerantes comuns pode contribuir para o ganho de peso, resistência à insulina e diabetes. Mas o resultado do estudo de que os bebedores de refrigerantes diet e comuns enfrentam riscos semelhantes é um problema para o argumento do açúcar líquido de frutose do milho, porque os refrigerantes diet empregam adoçantes artificiais, disse Vasan, acrescentando que caberá aos cientistas de nutrição uma maior pesquisa sobre o assunto. George El Khouri Andolfato

UOL Cursos Online

Todos os cursos