Em busca de futuros astros, a partir dos 9 anos

Joshua Robinson
Em Londres

Com a concorrência acirrada para assinar os contratos dos astros do futuro, as equipes de futebol estão buscando assegurar os talentos desde cedo. E de Freddy Adu, que foi rotulado de o próximo Pelé aos 14 anos, a Wayne Rooney, o atacante obstinado que marca gols na primeira divisão inglesa desde que tinha 16 anos, o futebol adora um garoto prodígio.

Mas a mais recente contratação do Manchester United faz Adu e Rooney parecerem pessoas que entraram tardiamente no esporte. Seu nome é Rhain Davis e tem 9 anos.
AFP - 17.jul.2007
Rhain Davis, de 9 anos, conduz bola durante partida em Brisbane, Austrália


Após o avô de Davis ter enviado ao Manchester, o campeão inglês, um DVD de Davis jogando pelo seu time sub-11 em Brisbane, Austrália, a Manchester United FC Academy, o centro de treinamento voltado para promover jovens talentos, o convidou a vir para a Inglaterra para um teste. Claramente impressionados com o que viram, os diretores da academia o aceitaram na última quinta-feira.

O vídeo de Davis já foi parar no YouTube e já foi visto mais de 4 milhões de vezes.

Ele mostra o garoto em um uniforme acima do seu tamanho dando pedaladas e dribles desconcertantes enquanto deixa seus adversários parecendo um time de, bem, meninos de 9 anos.

Para os tablóides britânicos, isto era como isca de tubarão. A foto de Davis foi estampada nas páginas de esporte sob manchetes como "Brasilhante" e "O Mágico de Oz". Os dirigentes do Manchester United, entretanto, correram para apontar que ele é apenas um dos 30 garotos da idade dele admitidos na mais recente turma da academia.

"Ele será tratado da mesma forma, ele deverá limpar seu kit, demonstrar disciplina e aptidão enquanto receber seu treinamento", disse Philip Townsend, um porta-voz do Manchester United.

Les Kershaw, um conselheiro do Manchester United desde que se aposentou de seu cargo como chefe da academia no ano passado, também não ressaltou Davis.

"Ele é apenas um dos garotos em nossa academia que estão se saindo bem", disse. "Eu não acho que seria classificado como o melhor no momento, mas não sabemos o que acontecerá com ele. Nós esperamos que ele se torne um bom aluno."

Com tanta badalação, Davis atraiu sua cota de céticos.

"Se você procurar no YouTube, vai encontrar uma centena de garotos como ele no Brasil e na Argentina que supostamente são o próximo Pelé, o próximo Maradona", disse Alfonso Mondelo, o encarregado do programa de desenvolvimento de jovens da Major League Soccer (MLS), o campeonato profissional de futebol dos Estados Unidos. "Eu acho que há um pouco de exagero".

A MLS deu seus primeiros passos para a criação de ambiente como o da academia no ano passado, quando deu início à sua iniciativa de desenvolvimento em parceria com a Federação de Futebol dos Estados Unidos. Cada clube da MLS é obrigado a montar uma equipe sub-17 e uma sub-15.

"Nós ainda não chegamos ao ponto em que os clubes têm um sistema de categorias de base onde os jogadores recebem aulas e moradia como acontece na Europa", disse Mondelo. "O futebol sempre foi jogado de forma recreativa e a meta final destes jovens era obter um diploma universitário".

No Reino Unido, os jogadores podem assinar com um clube aos 8 anos -nenhum dinheiro é envolvido na transação - e isto pode não durar mais que uma hora. A família de Davis recentemente se mudou da Austrália para os arredores de Manchester.

Davis treinará com a categoria de base do Manchester United por cinco horas por semana e jogará pela equipe sub-10 aos domingos.

A categoria de base do clube produziu alguns dos principais jogadores que vestiram sua camisa vermelha, incluindo David Beckham.

O acordo de Davis com o clube é típico para jogadores de base: seu desenvolvimento no programa será revisado ao final de cada ano até completar 16 anos, quando o clube assumiria sua educação. Aos 18 anos, ele pode ser promovido à equipe principal ou deixar o clube. Mas muitos jogadores recebem ofertas de contratos profissionais antes disso.

Independente de quão dotado seja um jogador, suas chances de chegar ao time principal são pequenas. Tony Carr, que esteve no West Ham United por 34 anos e supervisionou o desenvolvimento de atuais jogadores da seleção inglesa quando tinham de 8 a 12 anos (John Terry, Frank Lampard, Jermaine Defoe, Michael Carrick, Joe Cole e Rio Ferdinand), disse que os técnicos nunca esperam por mais de um futuro jogador titular em cada faixa etária.

Ainda assim, convocar um jogador para a categoria de base é uma aposta relativamente barata para um clube, e Carr disse que Davis tem o talento para provar que vale a pena.

"Se o vídeo fosse mostrado para mim antes do Manchester United, eu teria feito a mesma coisa", ele disse. George El Khouri Andolfato

UOL Cursos Online

Todos os cursos