Eu aceito: uma dança foi tudo o que precisou para estes parceiros por toda a vida

De Sandy Guerra-Cline*

No espaço de uma canção, a duração de uma única dança, Sophie Baltrunas viu o caminho que sua vida seguiria.

Ele envolvia um jovem chamado Constantine "Stan" Zimmerman.

"Na primeira vez que dancei com ele eu pensei: 'Nós vamos nos casar e teremos filhos lindos'", ela disse.

Sophie conheceu Stan em um baile em East Saint Louis, Illinois. Era Natal e ela estava com sua meia-irmã de 18 anos, Annie. Sophie tinha 20 anos, trabalhava em uma fábrica de cortinas e passava grande parte dos fins de semana em salões de baile em diferentes centros étnicos do bairro: croatas, lituanos -a lista era longa.

"Nós não quisemos marcar um encontro, porque dançaríamos mais daquela forma", disse Sophie.

Apesar do sentimento de Sophie em relação a Stan, eles ficaram sem se ver por quase dois meses. Certa manhã eles se encontraram na rua, a caminho do trabalho. Eles descobriram que trabalhavam perto um do outro e começaram a caminhar juntos sempre que podiam. Stan trabalhava em uma fábrica de couro.

O tempo passou e "continuávamos nos encontrando", disse Sophie, mas Stan sabia que ela era a pessoa certa.

"Ele disse: 'Vamos nos casar', mas eu respondi que não. E continuei dizendo não até que um dia ele fez o pedido e finalmente disse Ok", disse Sophie.

Eles foram para Hillsboro, Missouri, e se casaram em uma cerimônia civil tendo amigos como testemunhas. Era 12 de setembro de 1937.

Agora, Stan, o homem que queria se casar, enfrentava um dilema. Ele era o arrimo da família, dando seu salário para sua mãe toda semana. Ele não sabia como contar a ela que tinha se casado com Sophie. Então ele e Sophie voltaram para suas famílias e não contaram a ninguém. Isto durou cerca de oito meses.

"Nós éramos católicos, muito rígidos", disse Sophie. "Eu teria que me levantar perante a congregação e admitir meu pecado (do casamento fora da Igreja)."

Finalmente Sophie contou a sua irmã, sua irmã conto ao marido e os parentes deste fizeram os arranjos para que Stan e Sophie pudessem se casar formalmente.

Sophie foi viver com os Zimmermans. Logo, Stan passou a contar às pessoas que sua mãe tratava Sophie como sua filha. Ele, por outro lado, agora era tratado como o genro, ele acrescentou.

"Eu tive três boas mães -minha mãe, a mãe dele e a irmã mais velha dele", disse Sophie.

Em 1943, Stan se alistou no Exército. No ano seguinte ele foi enviado para a Alemanha, para a instalação no campo de concentração de Dachau. Em 1947, Sophie se juntou a ele na Europa com as filhas, Connie e Dianne. A viagem foi difícil.

"O navio parecia um rebocador. A viagem levou nove dias", ela disse sobre a jornada. Ela e as outras esposas de militares lutaram para manter a situação sob controle. Em um dia particularmente turbulento no mar, ela lembra que os berços deslizavam livremente pela cabine.

Sophie não tinha idéia de que aquela seria uma das muitas, muitas viagens que faria com Stan. Eles permaneceram na Alemanha por muitos anos, criando suas filhas. Connie e Dianne logo ganharam as irmãs Vivian e Debbie. A jovem família viajava bastante.

Eles voltaram para os Estados Unidos em 1954 e se mudaram para Fort Worth em 1960. Em 1972, Stan e Sophie abriram um negócio de venda de casas móveis que cresceu e cresceu. Foi devido a este negócio que continuaram viajando -para lugares como o Havaí e Hong Kong. Ele se aposentaram em 1984.

Franqueza e honestidade foram as palavras que guiaram Stan e Sophie durante os bons e maus momentos. E os tristes: Connie, a filha mais velha deles, morreu de câncer em 2002.

Ao longo dos anos, quando Stan fraquejava, Sophie se mantinha firme, ele disse. Quando Sophie precisava de Stan, ele estava lá para apoiá-la.

"A verdade é que nos amamos, precisamos um do outro", disse Sophie.

Na quarta-feira, eles completarão 70 anos de casamento.

Stan e Sophie, que freqüentam a Primeira Igreja Batista de Watauga e vivem em Fort Worth, dizem acreditar que Deus os tem guiado, os mantendo juntos, fazendo com que se lembrem de deixar o ego de lado e amarem um ao outro.

Stan foi ordenado pastor em 1978. Por anos eles realizaram estudos da Bíblia em casa. Sophie, que adora artesanato, trabalha com sua turma da escola dominical na produção de "ursos de pelúcia", que os soldados americanos distribuem para crianças nos países em que servem.

Stan tem 91 anos, Sophie tem 90. Eles têm 16 netos e 16 bisnetos. Nesta tarde, muitas destas "crianças", juntamente com amigos, se reunirão na casa dos Zimmermans para uma festa celebrando o aniversário.

Setenta anos e muitos passos depois daquela primeira dança.

*Contate Sandy Guerra-Cline: sclinestar@telegram.com George El Khouri Andolfato

UOL Cursos Online

Todos os cursos