Se você acha o Papai Noel ocupado, fale com um fabricante de brinquedos de madeira

De Katie Zezima
Em Norwich, Vermont (EUA)

Ron Voake passou os últimos meses em uma confusão de madeira, carrinhos e objetos, tentando atender a demanda pelos brinquedos que ele produz aqui em sua casa.

Voake é o dono da Vermont Brinquedos de Madeira e foi inundado de pedidos por clientes desconfiados de comprar brinquedos feitos na China, após o recall de milhões de brinquedos fabricados lá neste ano por conterem chumbo na tinta.

Caleb Kenna / The New York Times 
Presente da China: recall de brinquedos asiáticos fez encomendas de Voake dispararem


"Toda vez que surgia uma notícia de recall de brinquedos, eu era inundado de pedidos", disse Voake. "O acúmulo neste ano está absurdo. Eu nunca tive um ano como este e espero nunca mais ter um".

Os fabricantes de brinquedos de madeira dizem que mal conseguem dar conta do aumento da demanda e estão contratando funcionários extras.

"Muita gente está preocupada de um modo geral com toda a questão da tinta com chumbo, a questão do recall, a questão da segurança, tudo isso", disse Mike Rainville, dono da Maple Landmark Woodcraft, em Middlebury, Vermont. "Nós estamos acostumados à febre do Natal, mas não por três meses e não no nível atual. Estamos todos cansados."

Rainville disse que ele e seus 45 funcionários para o período de Natal estão trabalhando jornadas de 16 horas e que as encomendas aumentaram 60% neste trimestre.

Voake disse que produziu mais brinquedos nesta temporada do que em qualquer outro momento em seus 34 anos no ramo. Algumas encomendas para as festas só ficarão prontas em março.

"Há negócios demais -demais", ele disse. "Eu só posso produzir um número limitado de peças."

Voake, 61 anos, que trabalha sozinho em uma oficina no porão com um springer spaniel chamado Snifflefarg, nunca imaginou que haveria tamanha demanda por seus produtos, que incluem arcas, carrinhos, blocos, trens e outros brinquedos feitos de madeira de bordo.

Toda sua madeira é comprada de fornecedores de Massachusetts e do Maine, e o acabamento de seus produtos é feito como óleo de semente de linho e tinta atóxica.

A hora certa, no lugar certo
Voake começou a trabalhar com madeira no início dos anos 70, quando ele e sua esposa eram professores no Sul da Califórnia. Ele tinha pouca
experiência -ele cursou uma oficina de marcenaria no colégio, mas tinha que usar máscara por ser alérgico à serragem.

Mesmo assim ele começou a produzir brinquedos para as aulas de sua esposa. Quando o casal se mudou para o leste em 1973, a esposa de Voake arrumou um emprego como professora, mas ele decidiu produzir brinquedos em tempo integral.

"Eu queria ver se conseguiria nos sustentar fazendo isso, por que eu gostava bastante", disse Voake. "Vermont era o lugar certo. Havia uma ressaca dos anos 60, muito coisa pé no chão."

Voake disse que o ar mais limpo daqui também curou sua alergia e ele não precisa mais usar máscara.

Ele começou vendendo seus trabalhos no Centro Estadual de Artesanato de Vermont e expandiu para atender encomendas por telefone e Internet. Ele aprendeu de sozinho a fazer peças mais complicadas, experimentando e adicionando detalhes. Ele também tinha como avaliar seus produtos -suas
filhas, que agora estão na faixa dos 20 anos, nunca foram tímidas em lhe dizer quais brinquedos funcionavam e quais não.

Os negócios nem sempre foram ótimos e ocorreram alguns momentos difíceis -como quando Voake cortou o topo de seu dedo médio direito com uma serra.

Voake disse que acha que os motivos para ter conseguido produzir brinquedos por tanto tempo envolvem o fato de realmente gostar do que faz e não muitos produtos serem parecidos com os dele. "Eu não faço nada que possa ser manufaturado", ele disse. "Eles possuem um aspecto diferente que não pode ser obtido encaixando peças."

Mas Voake está cansado de fazer blocos, dizendo que são um "desafio mental" que ocasionalmente o deixam com sono, mas que são os mais populares juntos aos clientes. Ele prefere fazer itens grandes complexos, como cavalos de balanço.

Em pé em sua oficina, que é decorada com fotos com décadas de idade de brinquedos e princesas desenhadas por suas filhas, assim como cheia de
serras, lixadeiras e serragem, Voake limpava o acabamento atóxico de um carrinho para boneca enquanto Snifflefarg buscava a atenção dele.

Fora as poucas encomendas que não serão enviadas até março, quase todas as encomendas de Natal foram enviadas e Voake está dando os retoques finais em brinquedos para alguns moradores locais. Ele não tem nenhum brinquedo em estoque neste ano, porque as coisas são compradas tão logo ele as termina.

Mesmo ganhando mais dinheiro do que o habitual neste ano devido à enxurrada de encomendas, Voake disse estar ávido por um retorno ao seu ritmo normal.

"É realmente um hobby que saiu de controle", ele disse. George El Khouri Andolfato

UOL Cursos Online

Todos os cursos