Itália revela na Internet declarações de renda de 40 milhões de contribuintes

De Ian Fisher
Em Roma, Itália

A atitude de muitos italianos em relação aos impostos é a seguinte: por que eu deveria pagar se ninguém mais paga? A sonegação é tão comum que os locadores de imóveis freqüentemente exigem dois contratos: um privado, com a quantia real esperada, e o outro com valores bem menores, que é submetido às autoridades. Ambos, desconcertantemente, são examinados pelos advogados.

Mas nesta semana, durante algumas horas, tudo ficou exposto devido a uma aspereza tecnológica com a qual os italianos não estão acostumados. O governo de centro-esquerda do primeiro-ministro de Romano Prodi, que está de saída, publicou na última quarta-feira, na Internet, as declarações de renda de todos os 40 milhões de italianos que pagaram impostos em 2005.

O site ficou instantaneamente congestionado, a ponto de poucos terem podido de fato ver os dados. Mas material suficiente vazou, e as pessoas espionaram tanto os vizinhos quanto os milionários. Segundo certos relatos, o estilista Giorgio Armani foi quem mais pagou: 19 milhões de euros (US$ 29 milhões) sobre uma renda de 44 milhões de euros (US$ 68 milhões).

Alguns grupos elogiaram o site como sendo um raro exercício de
transparência. Mas muitos mais mostraram-se indignados, e o site foi fechado poucas horas depois de ter surgido.

"Isso é uma loucura", disse Beppe Grillo, um comediante cujas piadas contra o governo revelaram-se financeiramente lucrativas. Grillo, cuja declaração estava entre as publicadas, disse à agência de notícias "Ansa" que o governo "forneceu aos criminosos informações como a renda e o endereço dos contribuintes".

"Isto fará com que pagar impostos se torne muito perigoso", alertou Grillo. "O contribuinte achará muito mais seguro e menos arriscado simplesmente sonegar impostos e pagar a multa caso seja pego pela receita. Essa decisão foi tomada por imbecis".

Vincenzo Visco, o ministro das Finanças, disse que a iniciativa foi parte de um esforço do governo no sentido de combater a sonegação de impostos.
Segundo ele, o site deveria estar disponível para a população em janeiro,
mas a sua inauguração foi adiada devido às eleições, vencidas no mês passado por Silvio Berlusconi, que já foi primeiro-ministro duas vezes.

"Tudo o que fiz foi seguir a lei", justificou-se Visco.

Durante os seus dois anos no poder, Prodi ajudou a aliviar a crítica
situação financeira da Itália ao fazer com que os contribuintes obedecessem mais às leis tributárias. Nesta semana ele foi oficialmente substituído por Berlusconi, que certa vez disse que entende por que os italianos sonegam os impostos, tendo em vista o pouco que recebem em troca em termos de serviços. Mas, ao fazer campanha para um terceiro mandato, Berlusconi frisou que ele também combaterá a sonegação.

Embora o site oficial tenha sido extinto, ele continua de certa forma vivo. Jornais italianos anunciaram nesta quinta-feira (1º de maio) que o site foi copiado - e colocado no ar - como material para matar a curiosidade e ainda como indicador do próximo estágio do combate à sonegação fiscal na Itália. UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos