EUA vão incentivar imigrantes ilegais a se "autodeportar"

Hernan Rozemberg, do San Antonio Express-News
Em San Antonio, Texas

Em vez de correr o risco de ser apanhados, entreguem-se. Essa é a última estratégia do governo dos EUA em um esforço para reduzir drasticamente a crescente população de imigrantes não-autorizados. A nova abordagem foi anunciada no domingo (27) por Julie Myers, diretora da Polícia de Imigração e Alfândega dos EUA (ICE na sigla em inglês) em uma entrevista a uma rede de televisão em língua espanhola.

Tim Gaynor/Reuters 
Imigrantes ilegais são presos no Arizona, pela US Border Patrol, a patrulha de fronteira

Myers disse à rede Univision que a "Operação Partida Marcada" permitirá que imigrantes não-autorizados sem registro criminal tenham a oportunidade de literalmente se "autodeportar", entregando-se a seus agentes.

Ela disse que a idéia vem de uma queixa comum manifestada por imigrantes detidos: se tivessem a oportunidade, eles apenas iriam para casa em vez de ficar amontoados em prisões para imigrantes.

Sob o novo programa, os que ainda estão em liberdade terão a chance de entrar nos escritórios do ICE, ser processados e ter algumas semanas para arranjar suas coisas, empacotar seus pertences e sair do país sem serem detidos.

"O programa basicamente dá uma oportunidade aos que buscam uma maneira organizada de se autodeportar", disse Myers ao âncora da Univision, Jorge Ramos.

Segundo Myers, o programa permitirá que os imigrantes evitem os crescentes riscos de ser apanhados em uma batida policial em casa ou no trabalho, mas não oferecerá incentivos adicionais para que se entreguem - não há possibilidade de qualificar-se para uma anistia, por exemplo.

Oficiais do ICE em San Antonio, Dallas e Washington não quiseram comentar o programa.

Defensores dos imigrantes o consideraram uma charada ridícula, com pequena chance de sucesso se não oferecer algum atrativo aos autodeportados.

"É pura fantasia", disse Doug Rivlin, porta-voz do Fórum Nacional da Imigração em Washington, segundo o qual o programa é "uma tentativa de atrair pessoas para desistir de seus direitos e sair do país o mais rapidamente possível antes de sequer conversar com um advogado".

Se as pessoas realmente quisessem sair por conta própria, comprariam suas passagens de ônibus ou avião para seu país sem procurar o ICE, disse Rivlin.

Ira Mehlman, porta-voz da Federação para a Reforma da Imigração Americana, o maior grupo de lobby antiimigração ilegal do país em Washington, disse que tem de concordar com esse aspecto. O governo deveria oferecer algum tipo de incentivo para atrair os imigrantes, como dizer que ao deixar voluntariamente o país poderiam se inscrever para voltar legalmente, disse Mehlman.

O conceito de instigar imigrantes sem documentos a partir por conta própria é algo que seu grupo defende há muito tempo. "Certamente tem sentido criar condições para que as pessoas entendam que se estão aqui ilegalmente não vai beneficiá-las continuar aqui", ele disse.

Enquanto resta a ver se a idéia funciona para a ICE, outra agência federal que teve essa idéia há três anos afirma que deu certo.

A "Rendição Segura de Fugitivos" oferece a criminosos não-violentos com mandados de prisão uma chance de se entregar ao serviço de delegados dos EUA em vez de ser caçados. Até agora mais de 16 mil aceitaram a oferta. Luiz Roberto Mendes Gonçalves

UOL Cursos Online

Todos os cursos