Exclusivo para assinantes UOL

Atenção dos pais, e não aulas de natação, garante a segurança das crianças nas piscinas

Melinda Wenner Moyer

  • iStock

Meu filho quase se afogou duas vezes e, em ambas as vezes, a culpa foi minha. Ele estava brincando na parte rasa por 45 minutos em ambos os casos. Então me distraí por um minuto e, quando vi, ele tinha desaparecido. Havia múltiplas pessoas na piscina com ele nas duas ocasiões, algumas a menos de um metro, algumas delas parentes, mas ninguém viu que ele tinha se deixado levar para a parte mais funda e sua cabeça afundou abaixo da superfície. O único motivo para eu ter notado foi porque, quando procurei por ele, não o vi.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos