Exclusivo para assinantes UOL

Policiais que cometeram crimes no apartheid serão julgados 30 anos depois

Alan Cowell

Em George (África do Sul)

  • Denis Farrell/AP

    Em foto de 1998, Eugene de Kock, chefe de uma unidade da polícia secreta da África do Sul que torturou e matou dezenas de pessoas, entre elas a estudante Nokuthula Simelane, quando ela tinha 23 anos e militava por grupos anti-apartheid, em 1983. Kock e outros três policiais serão julgados no país por tortura e assassinato

    Em foto de 1998, Eugene de Kock, chefe de uma unidade da polícia secreta da África do Sul que torturou e matou dezenas de pessoas, entre elas a estudante Nokuthula Simelane, quando ela tinha 23 anos e militava por grupos anti-apartheid, em 1983. Kock e outros três policiais serão julgados no país por tortura e assassinato

Quatro policiais serão julgados por tortura e assassinato de uma mensageira anti-apartheid em 1983, um triunfo para o processo judicial, apesar de lento.

UOL Cursos Online

Todos os cursos