Topo

Opinião: Áustria mostra que não é possível "civilizar" os partidos de extrema-direita

Heinz-Christian Strache do Partido da Liberdade da Áustria, de extrema-direita, renunciou ao cargo de vice-chanceler - Ronald Zak/ AP
Heinz-Christian Strache do Partido da Liberdade da Áustria, de extrema-direita, renunciou ao cargo de vice-chanceler Imagem: Ronald Zak/ AP
Exclusivo para assinantes UOL

Alina Polyakova

22/05/2019 00h01

A poucos dias das eleições parlamentares na União Europeia, o governo da Áustria entrou em parafuso. As implicações para o resto do continente são profundas.

No dia 19 de maio, Sebastian Kurz, chanceler e líder do Partido Popular Austríaco (centr...

Mais Jornais internacionais