Tropas ocidentais já procuram Bin Laden no Afeganistão

Peshawar, Paquistão - Tropas de elite dos Estados Unidos estiveram no Afeganistão nas últimas duas semanas, procurando Osama bin Laden, mas não conseguiram encontrá-lo e estão pedindo a outras nações uma ajuda adicional de inteligência militar. A informação foi obtida com autoridades dos EUA e do Paquistão. A ação dessas equipes - formada por três a cinco pessoas - porém, não foi admitida oficialmente por nenhum dos dois países. Mas a chegada dos grupos e o subseqüente movimento para dentro do Afeganistão foram narrados por jornais paquistaneses, tanto em inglês quanto em urdu, e não são nenhuma novidade para Bin Laden ou para o Taleban.

As equipes têm a instrução de capturar ou matar Bin Laden, ou ainda, se possível, localizar a sua posição até que ataques aéreos possam ser lançados, disseram as autoridades.

Oficialmente, o Pentágono se recusou a comentar o assunto. "Eu não poderei providenciar nenhuma informação sobre questões operacionais", disse o porta-voz Craig Quigley na quinta-feira, quando indagado sobre as forças especiais.

O Paquistão se ofereceu para dividir informações de inteligência e permitiu aos Estados Unidos voar no seu espaço aéreo, mas não se pronunciou sobre a permissão de tropas nas suas fronteiras. O porta-voz do Ministério do Exterior, Riaz Muhammad Khan, disse que não há forças dos EUA "no solo" paquistanês, mas não quis comentar sobre se as tropas desembarcaram e depois foram para o Afeganistão.

A falta de informações de inteligência em "tempo real" sobre o paradeiro de Bin Laden impediu a possibilidade de um ataque iminente dos EUA contra o suspeito de ter elaborado os ataques terroristas de 11 de setembro em Nova York e Washington. Os EUA moveram dezenas de aeronaves, incluindo bombardeiros B-52, para a região, em preparação para um ataque retaliatório contra Bin Laden e a milícia Taleban que o acolhe.

Autoridades dos EUA disseram que pediram aos governos do Paquistão, da Rússia e do Tadjiquistão o compartilhamento de informações de inteligência adicionais.

"Infelizmente, dissemos aos EUA que não temos nenhuma informação em 'tempo real' sobre Osama bin Laden ou a al-Qaeda (seu grupo)", disse Khan. "Estamos tentando localizá-lo, mas, até agora, não conseguimos."

Forças especiais do Exército e da Aeronáutica dos EUA e unidades das 82ª e 101ª divisões Airborne chegaram no dia 13 a Quetta (Paquistão), disseram as fontes do Pentágono e do Paquistão diretamente ligados às operações. Um centro de comando foi posicionado na região para coordenar as atividades, disseram as autoridades paquistanesas.

Equipes de três a cinco soldados, apoiados por helicópteros Blackhawk MH-60K mantidos em bases aéreas fora do Afeganistão, começaram a desbravar as regiões montanhosas do país a fim de localizar Bin Laden, segundo informaram oficiais americanos e paquistaneses. Eles têm concentrado as busca em cavernas e "bunkers" subterrâneos no sul do Afeganistão perto da cidade de Kandahar, acrescentaram os oficiais. Bin Laden é conhecido por operar naquela região.

Muitas unidades militares de elite dos Estados Unidos e da Inglaterra estão envolvidas no esforço de achar Bin Laden, entre elas as unidades dos Boinas Verdes, os Seals da Marinha e o Serviço Aéreo Especial do exército Britânico, informaram os oficiais.

UOL Cursos Online

Todos os cursos