Alerta nacional possibilitou diagnóstico de antraz na Flórida

Elizabeth Neus

Washington -- O presidente norte-americano George W. Bush elogiou os médicos que diagnosticaram o primeiro caso de antraz por inalação no país em mais de 20 anos. O presidente comentou o sucesso de um sistema de detecção de doenças infecciosas que já estava em vigor e que foi fortalecido depois dos ataques terroristas de 11 de setembro.

"O sistema funcionou", disse Bush. "Até o momento, parece se tratar de um caso bastante isolado, mas qualquer tipo de incidente e de informação que chega ao nosso governo é levado a sério, já que estamos lidando com indivíduos malignos".

Um médico que estava em alerta percebeu que Bob Stevens, de 63 anos, um editor de fotografia do jornal "The Sun", apresentava sintomas mais complexos do que aqueles típicos da meningite. Tal descoberta levou ao diagnóstico do antraz na semana passada. Stevens morreu na última sexta-feira.

Um exame realizado em um companheiro de trabalho de Stevens apresentou resultado positivo para a bactéria de antraz, apesar de o homem não apresentar sinais de doença. A bactéria foi encontrada ainda no teclado de computador de Stevens, no seu local de trabalho e os outros funcionários estão tomando antibióticos. O FBI está investigando o incidente, que ainda não foi formalmente declarado como uma ação bioterrorista.

O medo do antraz ocorre em um período complicado para o sistema de saúde da nação - o início da estação de gripes e resfriados. Os primeiros sintomas do antraz incluem febre, fadiga e dores musculares. Os médicos prevêem que vão ter que examinar um número de pessoas superior ao normal. Essas pessoas deverão pedir para que sejam examinadas de forma mais minuciosa a fim de ter certeza de que não são vítimas do antraz.

O antraz não é transmitido de um indivíduo ao outro. Não é uma doença contagiosa. Se for diagnosticado no seu estágio inicial, ele pode ser tratado com antibióticos. Caso contrário, a doença leva a dificuldades respiratórias, choque e morte. A morte pode ocorrer em um prazo de alguns dias.

"Não queremos que as pessoas e, especialmente os médicos, fiquem paranóicos", afirma Tim Flaherty, presidente da American Medical Association. "Mas penso que somos um país educado, onde a população entende que, embora haja uma ameaça, não se trata de uma ameaça iminente".

O antraz por inalação, a forma mais rara da doença, só costumava afetar pessoas que trabalhavam com lã ou com peles de animais. Aqueles que trabalhavam em fábricas fechadas eram susceptíveis à doença, já que os seus locais de trabalho estavam cobertos pelos esporos do antraz. Um estudo realizado com operários de moinhos revelou que 14% deles apresentaram resultado positivo para a bactéria sem manifestar sintomas da doença, assim como o companheiro de trabalho de Stevens.

Porém, mudanças realizadas no processo fabril reduziram a incidência da doença: somente 18 casos de antraz por inalação ocorreram nos Estados Unidos no século 20, sendo que 16 se referiam a operários de fábricas e dois a funcionários de laboratórios. "Atualmente, os casos de antraz por inalação são tão raros que as suspeitas pairam sobre o terrorismo", afirma C.J. Peters, diretor da Divisão de Medicina da Universidade do Texas, no novo Centro para Biodefesa, em Galveston.

Mas o antraz pode ocorrer naturalmente nos Estados Unidos. Uma epidemia atingiu os rebanhos do Texas no ano passado. Pelo menos um fazendeiro contraiu antraz cutâneo, após ter tocado em animais doentes. O homem foi tratado e se recuperou.

Embora Peters, assim como outros médicos dessa região próxima ao condado de Palm Beach, na Flórida, nunca tenha testemunhado um único caso de inalação de antraz, ele leu sobre casos médicos de trabalhadores de moinhos que contraíram a doença. Ele afirma que os doentes pareciam ter reclamado que a doença tinha sintomas mais severos do que o da gripe comum, com intensas dores musculares e fadiga.

"Estamos lidando com uma doença significante", afirma Jeff Bender, professor de saúde pública e veterinária da Universidade de Minnesota. Embora a preocupação atual seja com o antraz humano, a doença atinge primariamente os animais de criação. "Um terrorista gostaria de utilizar um agente que provocasse uma doença bastante semelhante a uma outra comum".

O Centro para o Controle e Prevenção de Doenças divulgou um alerta nacional de saúde no dia 11 de setembro, solicitando aos médicos de todo o país que ficassem de sobreaviso, a fim de detectar sinais diferentes de doenças que poderiam estar relacionadas com agentes químicos ou biológicos.

Nada de anormal foi detectado em conexão com os ataques de 11 de setembro. Por exemplo, a vigilância realizada na cidade de Nova York não revelou nada de diferente. Mas o alerta vermelho nacional pode ter sido o responsável pelo rápido diagnóstico do caso de antraz na Flórida.

"Eles demonstraram uma capacidade de resposta muito rápida", diz Flaherty.

Stevens deu entrada no hospital na segunda-feira da semana passada, e na quinta-feira, a principal autoridade de saúde da nação anunciava o diagnóstico na televisão. Na última terça-feira, as informações de que um homem na Virginia estava com antraz mostraram ser falsas.

"Em um momento como esse, vamos presenciar um número crescente de alarmes semelhantes, já que as pessoas estão mais sensíveis, mais conscientes, ainda que esses incidentes sejam referentes à gripe ou a outras doenças", segundo Ari Fleischer, porta-voz da Casa Branca.

Tradução: Danilo Fonseca

UOL Cursos Online

Todos os cursos