Harry Potter é um bom mágico para as crianças

Al Neuharth (fundador do USA Today)

Mais de 25 milhões de espectadores, em sua maioria crianças, assistiram "Harry Potter e a Pedra Filosofal" na semana passada. Porém milhões de crianças jamais verão o filme porque vários pais, por razões religiosas ou de outra natureza, não permitirão.

Alexis, 10, Karina, 5, e eu vimos o filme na noite de sábado. Com 77 anos de idade, eu provavelmente era a pessoa mais velha no cinema totalmente lotado. Mas senti que havia voltado a ser uma criança.

Nada em meu pequeno universo adulto de Eureka (cidade com 1.200 habitantes em Dakota do Sul) chegou perto dos feitos de Potter na Escola de Feitiçaria e Bruxaria de Hogwart, em Londres. Mas nós crianças também aprendemos ali que existem milagres e mágicas. Alguns bons, outros maus. Algumas destas mágicas nos abriram caminho para nossas mais inocentes travessuras infantis.

Minha mãe viúva fez questão que eu aprendesse na Igreja Reformista Alemã que todos os bons milagres eram estritamente obras de Deus, começando com a criação do céu e da terra a partir do nada. E que todas as coisas más, fossem elas mágicas ou não, eram obra do demônio.

Eu meio que engoli esta história quando era criança. Anos depois, aceitei melhor a teoria de Benjamin Franklin, que afirma que "Deus ajuda aqueles que ajudam a si mesmos".

Quer saber se Alexis e Karina gostaram do filme?

Alexis, 10: "É claro que sim. Ele fez mágicas muito boas em pessoas boas, animais bons e coisas boas".

Karina, 5: "Sim, e ele só fez magicas más nos vilões".

Para mim isto é o suficiente! Pouco me importa o que pensam os adultos sobre Potter, desde que as crianças o entendam.

Tradução: André Medina Carone

UOL Cursos Online

Todos os cursos