Americanos compram medicamento que promete aumentar o tamanho do pênis

Rita Rubin
USA Today

Se você tem assistido a CNN, a ESPN ou alguns outros canais a cabo ultimamente, é possível que tenha visto o "Smiling Bob" como a pílula que supostamente é a responsável pelo seu sorriso.

Ela se chama Enzyte, e, segundo os seus fabricantes, aumentaria o tamanho do pênis. Mas não confunda a pílula do Smiling Bob com aquela preferida por um outro Bob sorridente - estou me referindo ao Viagra de Bob Dole.

Apesar da aparência do seu rótulo, que vem com uma pomposa frase latina, o Enzyte não é nenhum Viagra. Ele não chega sequer a ser uma medicação vendida através de receita médica. O Enzyte contém uma série de ingredientes, a maioria deles ervas, que, isoladamente, tem a fama de melhorar a vida sexual dos homens.

O Enzyte é o mais recente de uma longa lista de poções e artefatos que são utilizados para a obtenção de lucros com as inseguranças dos homens com relação ao tamanho do seu órgão sexual. Mas ele pode ter sido o primeiro a chegar ao interior das capas das revistas masculinas, à Internet e à televisão popular.

Segundo Mark Blumenthal, diretor-executivo do Conselho Botânico Norte-Americano, em Austin, no Texas, os fabricantes do Enzyte podem provavelmente agradecer ao Viagra. Ele afirma que, desde que o Viagra, a primeira pílula para o tratamento da impotência, chegou ao mercado em 1998, o público se habituou à idéia da comercialização de produtos que melhoram a performance sexual masculina.

Mas, será que a nova pílula funciona? Embora algumas das ervas que contém tenham sido usadas durante séculos, não existem testes clínicos. Em tais estudos científicos, os homens receberiam aleatoriamente um placebo ou a substância a ser pesquisada.

O grupo que comercializa o Enzyte fornece o seu "Estudo Independente do Consumidor", que se baseia em questionários enviados por correio com o produto para 70 homens.

Segundo o panfleto da companhia, os voluntários que se beneficiaram mais do produto teriam relatado que o comprimento e a circunferência do pênis aumentaram em um total de 10,16 centímetros.

"Sob o ponto de vista médico, não faz sentido", afirma o urologista de Dallas, Kenneth Goldberg. "Não há maneira de se aumentar o tamanho do pênis incrementando o fluxo sanguíneo para o órgão, como alegam os fabricantes do Enzyte", diz o médico.

"Infelizmente, há homens que estão preocupados com a idéia de que o seu pênis seja pequeno", diz Goldberg. "Mas por trás de tal preocupação há uma série de questões de ordem psicológica. É muito fácil se concentrar nesse suposto ponto fraco". Aparentemente sim. E a prova disso é que o Enzyte tem feito tanto sucesso que mais duas propagandas com o Bob Smiling devem ser exibidas ainda este ano, segundo Steve Warshak, fundador da Lifekey, uma empresa de Cincinnati que comercializa o produto.

Segundo Warshak, o típico consumidor do Enzyte tem entre 30 e 55 anos de idade, "e provavelmente um salário um pouco mais alto do que a média". Tal informação não chega a surpreender, já que o estoque mensal de Enzyte - um total de 60 pílulas - custa US$ 99,95 (cerca de R$ 233). De acordo com Warshak, nos últimos dois meses 21.400 homens se tornaram fregueses que repetem o tratamento, tendo encomendado o produto via Internet ou ligando para a Lifekey.

Quanto à suposta frase em latim inscrita no rótulo do produto, "suffragium asotas", Warshak a traduz como "sexualidade aumentada".

Mas, de acordo com Rhett Martin, professor do departamento de línguas clássicas da Universidade de Harvard, os fabricantes do Enzyte provavelmente deveriam estar querendo se referir a "suffragor asotis", uma forma gramaticalmente atrapalhada de dizer "refúgio para os dissipados".



Tradução: Danilo Fonseca

UOL Cursos Online

Todos os cursos