Aumento no preço dos cigarros faz cair número de fumantes adolescentes nos EUA

Anita Manning
Usa Today

O índice de tabagismo entre os adolescentes americanos vem caindo desde 1997, segundo relatório de funcionários federais da área de saúde. No entanto, mais de um quarto dos estudantes de segundo grau ainda fuma cigarros.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças afirma que cerca de 29% dos estudantes secundários norte-americanos são fumantes. Em 1997, esse índice era de 36%. Tais números confirmam os resultados de outros estudos que demonstram uma queda no número de fumantes nessa faixa etária.

Essa tendência engloba todas as raças e grupos étnicos, e diz respeito a ambos os sexos, afirma Terry Pechacek, do Centro Nacional para a Prevenção de Doenças Crônicas e Promoção da Saúde, uma divisão do Centro de Controle e Prevenção de Doenças. Segundo o relatório, se essa tendência se mantiver, a meta nacional de reduzir os índices de tabagismo entre adolescente para 16% ou menos por volta de 2010 poderá ser alcançada.

Pechacek atribui o declínio a um aumento de 70% no preço dos cigarros, entre 1997 e maio de 2001, assim como a uma expansão das campanhas de prevenção do tabagismo em instituições nacionais, estaduais e nas escolas. De acordo com o relatório, em 2000, 92% das escolas municipais dos Estados Unidos exigiam aulas de prevenção do tabagismo, e quase a metade das escolas secundárias proibia o fumo em suas dependências.

Alguns Estados utilizaram os fundos originados dos acordos judiciais com a indústria do cigarro -- uma parte da indenização de US$ 206 bilhões (cerca de R$ 510 bilhões) paga por essa indústria em 1998 -- para financiar campanhas contra o fumo.

De acordo com Pechacek, para manter baixos os índices de tabagismo entre adolescentes o preço do cigarro deve continuar a subir e as campanhas contra o fumo devem ser expandidas. "Estamos rumando na direção certa", diz ele. "Mas não podemos repousar sobre os louros da vitória. Se quisermos que o índice de tabagismo entre os adolescentes continue a cair, precisamos manter os nossos esforços".

Os dados divulgados hoje são parte da Pesquisa de Comportamento de Risco entre a Juventude, um estudo de âmbito nacional realizado no primeiro semestre de 2001 nas escolas, com 14.601 alunos do segundo grau.

Aqui estão alguns outros dados revelados pela pesquisa:

- O número de adolescentes que disseram já ter fumado caiu. Em 1999, 70% dos entrevistados disseram já ter experimentado cigarros; em 2001, esse índice caiu para 64%.

- Aqueles que afirmaram ser fumantes habituais -- tendo fumado em pelo menos 20 dos 30 dias que antecederam a pesquisa -- foram 17% em 1999, contra 14% em 2001.

- Os estudantes brancos e hispânicos têm maior probabilidade de fumar do que os negros.

"Este relatório se constitui em uma ótima notícia para a saúde da nação", afirma Matthew Myers, presidente da Campanha Crianças Não Fumantes. "Trata-se de uma forte evidência de que a prevenção do tabagismo e as medidas de controle estão surtindo efeito no sentido de reduzir os terríveis efeitos do tabaco nos Estados Unidos".

Tradução: Danilo Fonseca

UOL Cursos Online

Todos os cursos