Popularidade determina o comportamento dos jovens, diz pesquisa

Karen Thomas
Usa Today

A maior parte dos jovens acredita que são as crianças mais populares que ingerem bebidas alcoólicas, segundo uma nova pesquisa realizada com adolescentes e adultos jovens.

A análise nacional divulgada recentemente na Conferência sobre Riscos para os Adolescentes, na Universidade da Pensilvânia, procurou determinar quais são os comportamentos de risco que os jovens acreditam estar associados com a popularidade. A descoberta mais significativa foi a respeito do consumo de álcool: 57% dos jovens entre 14 e 22 anos disseram que os seus colegas mais populares têm mais propensão a consumir bebidas alcoólicas. Somente 9% acreditam que os jovens impopulares tendem a beber. Cerca de um terço disse que a popularidade não faz diferença.

O tabagismo, o uso de drogas e o consumo de álcool estão, de forma geral, decrescendo entre os jovens dos Estados Unidos. Mas a pressão dos colegas e o desejo de ser "popular" são fatores tremendamente poderosos para determinar o comportamento da juventude.

"Quando alguém associa comportamento com popularidade, isso faz com que o produto se torne mais desejável", adverte Kathleen Hall Jamieson, diretora do Centro de Políticas Públicas Annemberg, que realizou a pesquisa.

"Em se tratando de adolescentes, há sempre algo que se torna a "onda da vez", e que sai da moda para dar lugar a outra coisa. No momento, é a vez do álcool", diz Robert Evans, pioneiro em pesquisa sobre comportamento de risco.

Devido ao fato de o álcool ser uma droga legitimada -- legal, altamente promovida pelas propagandas, sendo que há até mesmo alguns estudos que dizem que alguns drinques fariam bem ao coração -- controlar o consumo de álcool entre os adolescentes é mais difícil do que inibir outros comportamentos de risco, afirma Evans.

Porém, quando se trata de fumar cigarros ou maconha, os jovens entrevistados estão divididos quanto à questão da popularidade. O número de jovens -- cerca de 40% - que associam tais comportamentos com os colegas populares é igual aquele dos que acreditam que a popularidade não faz diferença. Um número significantemente menor (20%) acredita que os jovens impopulares possuem maior tendência para fumar cigarro ou maconha.

Outros dados da pesquisa com 900 jovens:

- Três em cada quatro (74%) entrevistados acham que os jovens populares têm maior tendência de se envolver com pelo menos um entre quatro comportamentos de risco (consumo de cigarros, maconha, álcool e o hábito de jogar).

- Aproximadamente a metade associa o hábito de fumar (cigarro ou maconha) e o fato de possuir uma arma com impopularidade. Cerca de um terço diz que a popularidade, neste caso, não faz diferença.

- Jovens que conhecem os perigos associados a determinados comportamentos possuem a mesma tendência a vincula-los à popularidade daqueles que não acreditam que se tratam de hábitos perigosos. Por exemplo, 39% dos jovens que dizem que fumar é muito perigoso crêem que os colegas populares têm uma maior tendência a fumar. 40% daqueles que acham que há um risco muito pequeno em fumar acreditam que os colegas populares irão fumar.

Tradução: Danilo Fonseca

UOL Cursos Online

Todos os cursos