Após dois anos juntos, Angelina Jolie e Billy Bob se separam

Ann Oldenburg
USA Today

As tatuagens. Os frascos de sangue. Toda a conversa apimentada sobre sexo.

Angelina Jolie, 27, e Billy Bob Thornton, 46, pareciam ser um casal perfeito. Mas apenas dois anos após o casamento pouco convencional -- os noivos usavam calça jeans e a cerimônia foi realizada em uma capela de Las Vegas -- os dois estão se separando.

A atriz entrou com um pedido de divórcio, na quarta-feira, em uma corte judicial de Los Angeles, alegando que entre os dois há diferenças incontornáveis e pedindo para ficar com a custódia de Maddox, o garoto de quase um ano que eles adotaram alguns meses atrás no Camboja.

"É algo muito triste", disse na última quinta-feira Thornton, através do seu empresário. E Jolie utilizou a mesma palavra -- "triste" -- ao falar sobre a separação para a revista "US Weekly".

Os famosos astros do cinema estão separados desde o dia 3 de junho, segundo os documentos da corte judicial. Jolie requisitou o direito de ficar com as jóias e com tudo o mais que ganhou desde o casamento.

Ambos se mudaram de sua casa de US$ 3,8 milhões em Beverly Hills e estão morando em diferentes hotéis. A atriz sequer deseja ficar com os cães que ela e Thornton compraram enquanto estavam loucamente apaixonados, tendo chamado os animais de "poodles encapetados" na "US Weekly". Segundo ela, um amigo está tomando conta dos cachorros. Ela diz que comprar os animais foi "um dos erros de avaliação" do casal.

No entanto, nem Jolie nem Thornton têm muito do que se queixar, especialmente quando o assunto é casamento.

Jolie se casou com o ator Jonny Lee Miller em 1995. Ela foi a quinta mulher de Thornton.

Antes de se ligar em Thornton, Jolie era muito próxima -- tão próxima que eles negavam que tivessem um caso amoroso -- ao irmão, James Haven. No artigo da "US Weekly", Haven está ao seu lado no quarto de hotel, ajudando a tomar conta de Maddox, enquanto ela fala sobre o relacionamento.

Apenas alguns meses após ter se casado com Thornton, começou a retórica apaixonada. "Eu a olhava dormindo e não pude me conter e, literalmente, a abracei como se fosse matá-la", disse Thornton em uma entrevista. Na ocasião, ao ouvir esse comentário do então marido, ela respondeu: "Sabe quando você ama tanto alguém, que quase que seria capaz de matá-lo?".

Apenas alguns meses após o casamento, a revista "Movieline" de dezembro de 2000 nomeou Thornton e Jolie, respectivamente, como "as pessoas mais permanentemente imersas na crise de meia-idade" e "os indivíduos com maior probabilidade de assustar um psiquiatra".

A resposta de Thornton veio logo depois, em uma entrevista ao "Toronto Sun": "De acordo com muita gente, somos as pessoas com menor probabilidade de darmos certos juntos, devido às nossas histórias. Na verdade, é exatamente o contrário. Nem eu nem ela nunca me concentramos em nada durante todas as nossas vidas. Agora estamos com o pensamento claro e vivendo um momento de concentração. É como se cada um de nós precisasse do outro para se conhecer. Vimos um ao outro e foi como se entendêssemos que finalmente pintara algo que fazia sentido. Pela primeira vez na vida, não estou nervoso quanto a um relacionamento afetivo".

Tradução: Danilo Fonseca

UOL Cursos Online

Todos os cursos