EUA reconstroem exército iraquiano

Christian Lowe
EM BAGDÁ, Iraque

O exército iraquiano, destruído por forças americanas durante os três meses de guerra e oficialmente desbaratado há poucas semanas, logo será reconstituído pela Autoridade Provisória da Coalizão, disseram as autoridades na segunda-feira (23/6).

A força, de 12 mil homens, consistirá predominantemente de soldados iraquianos que serviram ao regime do líder iraquiano deposto Saddam Hussein. O recrutamento começará na próxima semana.

Walter Slocombe, assessor de defesa da Autoridade Provisória da Coalizão, disse que o novo exército iraquiano será vedado a oficiais do antigo exército e que será investigada a filiação dos recrutas ao partido Baath de Saddam.

"A força será profissional, apolítica, militarmente eficaz e verdadeiramente representativa do país", disse Slocombe. "No exército antigo, muitos soldados -talvez a maioria- eram considerados profissionais servindo o Iraque, não só o partido (Baath)."

Em meados de julho, a Autoridade Provisória começará a pagar um estipêndio mensal para oficiais da Guarda Republicana e do exército regular. Pagamentos de pensões também serão feitos para aposentados, viúvas, veteranos incapacitados e ex-prisioneiros de guerra. Membros da Guarda Republicana Especial, serviços de segurança interna ou autoridades do partido Baath não receberão pagamentos.

Também será dada uma recompensa única, de rescisão, aos conscritos cujo serviço terminou quando o exército foi dissolvido, disse Slocombe.

O anúncio seguiu um incidente na semana passada, no qual soldados americanos atiraram contra uma multidão de membros do antigo exército iraquiano que protestavam contra a falta de salários e pagamentos de pensões. Slocombe negou qualquer conexão entre o incidente e a formação do novo exército e a aprovação dos pagamentos, que as autoridades disseram que estavam sendo estudados desde abril.

O treinamento do exército iraquiano será administrado pelo ex-comandante da Escola de Infantaria do Exército Americano, general Paul Eaton, e conduzido por um serviço terceirizado americano ainda não anunciado. A primeira divisão de infantaria deve estar pronta para ação dentro de um ano, disse Slocombe. Dentro de dois anos, as autoridades esperam ter três divisões de 40 mil soldados, liderados por oficiais iraquianos, prontas para servir.

O exército iraquiano terá como tarefas defender as fronteiras iraquianas, prestar segurança nas principais rotas de transporte e instalações militares e apoiar as forças de coalizão dentro do país.

"O novo exército não pretende representar toda a força iraquiana, mas é um passo importante na formação das forças armadas do novo Iraque", disse Slocombe. "As decisões finais do formato das forças armadas, da política de defesa nacional e da estrutura do novo Ministério da Defesa caberão ao povo iraquiano." Deborah Weinberg

UOL Cursos Online

Todos os cursos