As mulheres estão certas ao desconfiarem de Schwarzenegger

DeWayne Wickham

O candidato republicano favorito para a eleição de recall (eleição atípica onde o eleitor vota, primeiro, sim ou não à permanência do governador; e depois escolhe um substituto) para governador da Califórnia não pode simplesmente descartar como "baixarias políticas" as notícias que sugerem que ele apalpa mulheres seguidamente há décadas e, a seguir, pedir desculpas ao eleitorado feminino pela sua má conduta.

Esse discurso dúbio foi presenciado após a publicação de uma matéria na última quinta-feira no "Los Angeles Times", na qual seis mulheres alegam que o ator as apalpou e as submeteu a conversas humilhantes de teor sexual. Esses incidentes teriam se passado no decorrer das últimas três décadas, e o mais recente teria ocorrido em 2000.

Segundo as mulheres, que deram seus depoimentos em entrevistas distintas, a maior parte desses encontros indesejados com o ator se deu em locais de filmagens ou em estúdios de cinema. Embora somente duas das seis mulheres tenham permitido que seus nomes fossem utilizados no artigo, o "Los Angeles Times" corroborou cada um dos relatos com amigas ou parentes das supostas vítimas. Essas pessoas disseram que foram informadas sobre os incidentes à época em que estes teriam ocorrido.

Uma mulher disse ao jornal que Schwarzenegger se colocou por trás dela, quando estava sentada na arquibancada de um ginásio de esportes, meteu a mão por debaixo de sua camiseta e acariciou os seus seios. Outra declarou que, quando acompanhava um executivo da indústria cinematográfica ao cenário de um filme, o ator - que estava sentado em uma poltrona - meteu a mão por baixo do seu vestido e apalpou as suas nádegas.

Uma outra denunciou ao jornal que Schwarzenegger tentou enfiar a mão dentro do seu maiô quando se deparou com o ator no elevador de um hotel. Ela e outros membros de uma equipe de filmagem estavam hospedados no local quando trabalhavam em um dos seus filmes.

"Agi mal algumas vezes", admitiu Schwarzenegger na quinta-feira, após o porta-voz da sua campanha ter sido citado pelo "Los Angeles Times" como tendo dito que as acusações das mulheres não passavam de uma tentativa de última hora, por parte "de democratas e outros", para minar o apoio ao candidato ator, que - de acordo com pelo menos uma pesquisa de opinião -, é o candidato favorito na campanha para substituir o governador democrata Gray Davis.

"Sim, é verdade que eu estava em cenários de filmagem onde encarnava personagens rudes e fiz coisas que não eram corretas, que achei divertidas, mas reconheci que elas ofenderam as pessoas e, a essas pessoas a quem ofendi, gostaria de dizer que sinto profundamente pelo que aconteceu e peço desculpas", disse o ator em um comício.

Se ele tivesse se limitado simplesmente a pedir desculpas, a admissão de culpa por parte de Schwarzenegger e as suas palavras de arrependimento poderiam tê-lo transformado em um modelo para os políticos que têm as suas fraquezas humanas expostas. Mas com a ambição política falando mais alto, Schwarzenegger complementou: "Quando for governador, quero provar às mulheres que serei um defensor dos seus direitos, defensor dos direitos das mulheres. E espero que vocês me proporcionem a oportunidade de provar isso. Agora, vamos deixar as baixarias políticas de lado e voltar a falar do futuro da Califórnia", disse ele à audiência.

Mas será que foram baixarias políticas ou as suas ações baixas que fizeram com que o ator passasse por esse momento de vergonha pública?

Ao alegar que a matéria do jornal sobre o seu hábito de bolinar as mulheres não passa de "baixaria política", Schwarzenegger faz com que as suas desculpas soem falsas e as suas palavras de arrependimento pareçam nada sinceras.

Não se sabe se isso vai afetar as chances de Schwarzenegger na eleição de terça-feira. Mas dá para se perguntar se agora os eleitores da Califórnia - uma grande percentagem dos quais é composta de mulheres - estão assim tão ansiosos para tirar Davis do cargo e eleger Schwarzenegger, o principal candidato do Partido Republicano, ou se vão preferir ficar em casa no dia da eleição.

Uma coisa é certa. Se os californianos resolverem tirar Davis e eleger Schwarzenegger governador, eles vão se livrar de um homem que muita gente culpa pelos problemas econômicos do Estado e substituí-lo por um outro do qual muitas mulheres têm bons motivos para desconfiar. Danilo Fonseca

UOL Cursos Online

Todos os cursos