Cientistas advertem que próxima pandemia de gripe pode causar catástrofe global

Anita Manning

As sirenes de advertência estão soando: uma variedade letal e altamente contagiosa de gripe vai surgir, possivelmente em breve, advertem os especialistas na doença, e o mundo não está pronto para lidar com o problema.

As pandemias de gripe ocorrem periodicamente no decorrer da história, causando enfermidade e morte generalizadas, sobrecarregando a capacidade dos sistemas de saúde e mergulhando as sociedades no caos. Esses vírus são altamente contagiosos e, devido ao fato de serem novos, ninguém está imune a eles.

A gripe é uma doença bem séria, matando uma média de 36 mil pessoas anualmente nos Estados Unidos, mas devido ao fato de ser causada por variedades de vírus conhecidos que circulam pelo mundo, é possível fabricar vacinas para preveni-la. Neste ano, surgiu uma variedade que não corresponde exatamente àquelas contidas na vacina, gerando sérias preocupações. Mas os especialistas acreditam que, mesmo assim, a vacina ainda vai oferecer uma certa proteção.

Com o uso da tecnologia atual, são necessários até seis meses para a elaboração de vacinas contra a gripe.

"O mundo todo estará às voltas com um problema enorme, caso a iminente pandemia de gripe resolva surgir nesta semana, neste mês, ou mesmo neste ano", dizem os especialistas internacionais em gripe Richard Webby e Robert Webster, do Hospital de Pesquisas Pediátricas Saint Jude, em Memphis.

Em um artigo escrito para a edição da última sexta-feira da revista "Science", eles argumentam que os novos métodos de produção rápida de vacinas são conhecidos, mas ainda não foram testados. "É necessário realizar testes e demonstrar que essas novas vacinas são seguras", disse Webster em uma entrevista coletiva à imprensa.

Também é necessário um estoque de drogas antivirais que possam ser usadas para tratar ou prevenir a disseminação da gripe. "O atual estoque só duraria alguns dias no caso de uma pandemia", alerta Webster. "Mesmo assim, nenhum país investiu ainda em um estoque maior".

Segundo Bruce Gellin, diretor do Escritório Nacional do Programa de Vacinas do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, já foi dado início a um planejamento para o combate a uma pandemia de gripe. Foi a vigilância internacional contra a gripe que contribuiu para que o mundo fosse alertado sobre a ameaça da Sars no primeiro semestre deste ano.

"Além das novas tecnologias para a produção de vacinas e os medicamentos contra a gripe, é preciso haver a melhor vigilância possível, especialmente naqueles locais onde se acredita que um vírus possa surgir", avisa Gellin.

Já houve duas ameaças de gripe pandêmica neste ano, segundo Webster. Em fevereiro, em Hong Kong, dois membros de uma família morreram devido a uma variedade de gripe de aves que contraíram durante uma visita à China continental. Em março, uma variedade diferente de gripe de aves matou um veterinário na Holanda e provocou infecções nos olhos em mais de 800 pessoas. "Faz mais de 30 anos que presenciamos a última pandemia, e já está passando da hora de enfrentarmos outra", afirma Webster.

"A gripe continua batendo à nossa porta. Houve, nos últimos três ou quatro anos, uma incidência de gripe suficientemente intensa para nos deixar alarmados", diz ele. Danilo Fonseca

UOL Cursos Online

Todos os cursos