Especialistas respondem como alcançar a forma física e não engordar

Nanci Hellmich

Como dar um basta ao círculo vicioso de perder peso e voltar a ganhá-lo? Será que deveríamos descartar todos os carboidratos? Qual a melhor maneira de nos exercitarmos? Essas eram algumas das preocupações manifestadas pelos participantes de uma sala de discussão online, organizada na última terça-feira pelo "USA Today", que contou com a participação de três especialistas em nutrição de renome nacional. Eis algumas das perguntas que lhes foram dirigidas:

Pergunta: Perdi peso fazendo várias dietas diferentes, mas, com o passar do tempo, sempre torno a ficar mais gordo do que era antes. Será que sou um caso perdido?

Resposta: Não. Na verdade há milhões de outras pessoas que, como você, acabam se saindo da linha em suas dietas e recuperando aquele excesso de peso que se esforçaram tanto para perder.

Várias dietas populares estão destinadas a fracassar porque dão ao indivíduo a falsa esperança de que tudo o que é necessário para se perder peso é ajustar a quantidade de comida no prato. Mas a perda de peso não diz respeito apenas à regulagem do consumo de carboidratos e proteínas. É importante também saber lidar com o estresse e manter-se fisicamente ativo. Uma abordagem multidimensional da questão da perda saudável de peso interromperá o ciclo de dietas infindáveis. (Robert Kushner, professor de medicina da Universidade Northwestern, em Chicago).

P.: Frituras, refrigerantes e calorias derivadas de doces e "junk food" (comidas de baixo valor nutritivo), e não os carboidratos, são os principais culpados pela obesidade nos Estados Unidos. A premissa de que os carboidratos devem ser agrupados em uma grande categoria a ser evitada é completamente idiota. Vocês concordam ou não com isso?

R.: Você está absolutamente certo. A causa principal da obesidade é o excesso de calorias consumidas e a quantidade insuficiente de calorias queimadas. Adicione a isso o estresse da vida moderna e teremos uma combinação perfeita para levar à obesidade. O tratamento deve ser direcionado a esses hábitos básicos, e não ao banimento dos carboidratos de nossos pratos (Kushner).

P.: Estou com excesso de peso e não tenho motivação para me exercitar. Será que vocês poderiam me aconselhar sobre como começar uma nova vida da qual façam parte os exercícios físicos?

R.: Comece marcando uma consulta com um médico e fazendo um check-up completo. Tome nota das suas atividades diárias. Determine quais são os períodos em que é possível movimentar o corpo enquanto faz outras atividades. Você pode, por exemplo, fazer agachamentos modificados na sua cadeira de escritório enquanto fala ao telefone. Dedique pelo menos a metade de um dia em cada fim de semana a algum tipo de atividade física divertida.

Durante a semana, siga esta fórmula: Durante as primeiras duas ou quatro semanas, se você está mais de 22,5 quilos acima do peso ideal, tente fazer uma atividade aeróbica que seja compatível com seu excesso de peso, tal como ciclismo, natação e exercícios diversos em uma academia, duas vezes por semana, por um período de 20 a 30 minutos. Aumente gradualmente o número de dias e de minutos de exercício, conforme a disponibilidade da sua agenda, e, após cerca de três meses, comece a acrescentar atividades que exijam que suas pernas suportem o seu peso, como caminhadas e dança aeróbica de baixo impacto.

Se você precisa perder algo entre 4,5 e 13,5 quilos, a caminhada é uma grande opção. Tente encontrar um parceiro para caminhar ou pratique uma arte marcial. (Melinda Sothern, fisiologista de exercícios e diretora do Laboratório de Prevenção da Obesidade Infantil da Universidade do Estado de Louisiana).

P.: Tenho 67 anos e percebi que as matérias das revistas parecem nunca falar sobre a minha faixa etária ao abordarem questões como condicionamento físico, dietas ou perda de peso. Algum conselho?

R.: Boa pergunta. À medida que envelhecemos, precisamos de menos calorias para a manutenção de um peso saudável, porque a massa muscular e o metabolismo diminuem. Mas o fato de precisarmos de menos calorias não significa que necessitamos de menor quantidade de nutrientes. É importante consumirmos proteínas em quantidade suficientes, já que a eficiência do nosso corpo em usar esse nutriente vai se reduzindo. Tome de seis a oito copos de água ou fluidos por dia. Ao comermos muitas frutas, verduras e legumes, obtemos as vitaminas antioxidantes A, C e E. Isso ajuda o sistema imunológico (Edith Howard Hogan, nutricionista de Washington D.C.). Danilo Fonseca

UOL Cursos Online

Todos os cursos