É hoje: "Friends" se despede de milhões de fãs após 10 anos

Ann Oldenburg

De muitas formas, foi o exato oposto de um programa de realidade. Seis jovens amigos solteiros morando em Nova York. Seus empregos e suas origens não importavam. Eles não estavam tentando competir. Eram amigos -"Friends".

Hoje, depois de 236 episódios, será adeus para Chandler, Monica, Rachel, Ross, Phoebe e Joey. "Friends" termina depois de 10 anos dominando a televisão, na noite de quinta-feira, formando a cultura popular com seus penteados elegantes -especialmente o de Rachel- roupas da moda e dizeres favoritos, retratando uma vida de solteiro doce e boba, que ressoou junto aos jovens adultos. Na semana passada, foi o número 1 de público entre a muito ambicionada faixa de 18 a 49 anos.

"'Friends' será lembrada como o programa que mostrou como essa faixa de idade, de 20 e poucos anos, está realmente no melhor da vida. A série é um sinal de que agora estamos vivendo em uma cultura em que a juventude manda", diz Elayne Rapping, professora de estudos americanos da Universidade de Buffalo.

O elenco -Jennifer Aniston, 35; Courteney Cox, 39; Lisa Kudrow, 40; Matt Le Blanc, 36; Matthew Perry, 39; e David Schwimmer, 37- e a equipe e executivos da NBC vão se reunir para ver o capítulo final juntos, em Los Angeles. Às 20h, haverá uma reprise com os melhores momentos de "Friends". Às 21h, vem o aptamente intitulado "O Último Episódio". E, às 23h30, o elenco vai aparecer no "Tonight Show", programa de entrevistas apresentado por Jay Leno.

"A televisão será diferente sem a série. Vi o primeiro episódio de 'Friends' quando ainda estava na faculdade. Foi o primeiro programa que vi que parecia ser sobre pessoas que eu poderia conhecer", diz Jonathan Munane, 30, de Los Angeles.

Mas será que existe alguém como eles? Talvez em espírito. Na realidade, provavelmente não. Na maior parte do tempo, moraram em dois apartamentos espaçosos, de dois quartos, em Manhattan, um na frente do outro. Entretanto, não tinham meios óbvios de suporte financeiro. Eles ficavam o dia inteiro conversando em um café chamado Central Perk. Enquanto na vida real nos anos 90, década das ponto.com, muitas pessoas estavam perdendo empregos, para esses amigos a vida era despreocupada, girando em torno de namoros, sanduíches de almôndega e futebol.

Amizade

"Leais e honestos, eles sempre deram apoio uns aos outros. Realmente se amavam, com todos seus defeitos. Nós nos reconhecíamos neles e, por causa disso, sabíamos que, se estivessem bem, nós também estaríamos", diz Lauren Johnson, 39, autora de "Friends: The One About the 1 Sitcom" (Friends: Sobre a Série Cômica nº 1).

O programa não queria fazer palestras sobre questões sociais, apesar de ter tido um casamento entre lésbicas na primeira temporada e um namoro inter-racial em outras. O sexo sempre foi assunto de conversa, mas guerra ou assuntos da atualidade? O programa ficou completamente alheio a 11 de setembro. E foi criticado por não mostrar representantes das minorias entre os seis personagens principais e seus convidados.

"Se tudo tivesse que ser politicamente correto, não seria tão engraçado. Era uma verdadeira diversão", disse Beth Alcaron, 34, de Tucson. O que mais agradava era simplesmente a interação entre os seis amigos. "Tenho um grupo de amigos próximos e, às vezes, entramos no mesmo tipo de conversas idiotas, falando sobre as mesmas tolices".

Foi um conceito diferente para as séries de televisão. Concentrar-se na amizade de seis adultos. A família era, e ainda é, frequentemente o centro dos enredos, como em "Leave it to Beaver" e "The Cosby Show". Outros sucessos da mesma época se basearam em comediantes, como "Seinfeld", que girava em torno de amigos em Nova York, um programa famoso por ser sobre nada.

"Friends", que estreou em 1994, também era sobre amigos em Nova York, mas mostrava alguma coisa, diz Rapping -especificamente, um estilo de vida. Ela acredita que "Friends" vai entrar para a história como o programa que fez pelos jovens adultos o que "The Mary Tyler Moore Show" fez pela mulher solteira nos anos 70: ambos mostraram um ambiente em que os amigos eram uma família.

"'Friends' e 'Beverly Hills 90210' foram alguns dos primeiros programas a retratar pessoas jovens basicamente sozinhas. Suas vidas se passaram junto aos amigos. A família e o trabalho não tinham grande importância", diz ela.

Esses dias se foram, segundo Rapping. Agora, o trabalho e a capacidade vencer são de grande importância. "O que estamos vendo agora, em seu lugar, é a imensa popularidade de programas de realidade, mostrando valores corporativos, competitivos, cujos personagens estão preocupados somente em competir e chegar à frente dos outros. É oposto de 'Friends'"

Matthew Perry, que sempre será, de alguma forma,o azarado e adorável Chandler Bing, diz: "O programa confortava as pessoas". Perry achou "impossível ignorar" a proximidade do fim. "Tive uma terrível dor de cabeça. Era aquele momento logo antes de você começar a chorar, e fiquei lá a noite toda. Foi muito, muito difícil gravar a última cena, porque era o fim de algo significativo".

E não foi significativo somente para a televisão, ou para os atores, que ganharam exposição e contas bancárias monstruosas; foi uma grande perda para a NBC. "'Friends' foi um dos pilares da rede nos últimos 10 anos, um dos nossos símbolos", diz Jeff Zucker, presidente da NBC. "Foi extremamente importante. Obviamente, não podemos negar que é uma grande perda para nós."

Os fãs estão sentindo a perda em um nível muito pessoal. Kris Bosman, 27, coordenadora de eventos especiais do Crimson Club, da Universidade de Utah, diz que o programa refletia sua vida. "Acho que muitas mulheres da minha idade cresceram vendo esse programa. O primeiro ano da série, era meu primeiro ano de faculdade. Aquilo era o tipo de coisa que queríamos para nossas vidas -ter um grupo de amigos muito unidos."

Ela costumava assistir ao programa com suas colegas de quarto. Agora, está casada e grávida. Com quem ela vai assistir o último capítulo? "Não sei. Provavelmente só meu marido. Vou gravar no TiVo e ver em algum momento durante a noite."

Abbi Novic, 17, assiste ao programa "desde quando não tinha idade suficiente e tinha que ver escondida". Ela mora em Murrysville, Pensilvânia, e planeja fazer uma festa em sua casa hoje à noite, com cerca de 12 amigos que também adoram o programa.

"É o final de uma década de risadas, mas tenho certeza que, quando terminar, estarei aos prantos", diz ela. "Chorei ao menos duas vezes no episódio passado. Fiquei tão apegada aos personagens de 'Friends' e suas histórias, que nem posso imaginar como o programa vai terminar. Tento não pensar, porque quero que seja surpresa".

O final vai se concentrar na grande questão: Será que Ross e Rachel vão ficar juntos, depois de terem se casado, divorciado e tido uma filha juntos? Ou Rachel irá para Paris, aonde seu coração a está levando, deixando Ross em Nova York?

O final foi gravado durante duas semanas de janeiro. Depois disso, os sets foram desmanchados, e os participantes do programa ganharam um pedaço da rua na frente do Central Perk, em uma caixa de vidro, como lembrança.

Apesar dos rumores que surgiram desde então, a produção tentou manter o enredo em segredo.

Para Matt LeBlanc, o final é sobre Joey, seu personagem, e Chandler. Os dois tinham uma dinâmica especial no programa. "Temos um senso de humor parecido, ele e eu", diz LeBlanc. "Éramos como Abbott e Costello. Éramos um grande time juntos. No final, nem é preciso dizer, temos uma história juntos, que é uma forma realmente legal de fechar as coisas."

David Crane, criador de "Friends" e produtor executivo, diz: "Todo mundo termina em um ponto satisfatório... (mas) há surpresas." Marta Kauffman, outra criadora e produtora, acrescenta: "Não fizemos nenhuma mágica. Esperamos que as pessoas se sintam bem nessa despedida e que saibam que eles vão estar bem".

Kevin Bright, que vai produzir uma seqüência chamada "Joey", disse: "As pessoas iam ficar realmente com raiva se o final da série não satisfizesse". Último episódio vai ao ar hoje nos EUA e em 6 de julho no Brasil, no Warner Channel Deborah Weinberg

UOL Cursos Online

Todos os cursos