Aranha papa-ingresso fatura US$ 180 mi em apenas cinco dias

Scott Bowles

Como se poderia justificar um gasto de U$ 200 milhões de dólares (mais de R$ 600 milhões) para se realizar um só filme? É só recuperar a maior parte do dinheiro logo na primeira semana. "Homem-Aranha 2", que arrebatou as salas de exibição quebrando recordes já no primeiro dia, continuou arrasando nas bilheterias dos Estados Unidos no fim-de-semana que coincidiu com o 4 de Julho, feriado da independência americana.

O homem das teias faturou, de quinta até o domingo dia 4 de julho, US$ 115,8 milhões, de acordo com a apuração fornecida aos estúdios Sony Pictures pela auditoria de bilheterias Nielsen EDI. Isso quer dizer que a bem-sucedida sequência alcançou impressionantes US$ 180,1 milhões (quase R$ 560 milhões) desde o lançamento nos cinemas americanos, na quarta-feira passada.

A avassaladora investida do Aranha tritura todas as outras marcas de filmes lançados em finais de semana com feriado. Nessa condição de feriado prolongado, nunca nenhum outro filme faturou tanto em períodos de quarto e de seis dias. A venda de ingressos coloca a seqüência de US$ 200 milhões em condições de superar a arrecadação do primeiro filme da série. O primeiro "Homem-Aranha" faturou um total de US$ 403,7.

"Quem precisa de fogos de artifícios quando se tem o "Homem-Aranha?", diz o chefe da Sony, Amy Pascal". Sabíamos que era um grande filme o que tinhamos nas mãos - melhor que o primeiro. Mas a sensação é ainda mais gratificante quando se vê as pessoas nos cinemas concordando com você".

Os fãs dizem que a sequência está superando o original nas bilheterias porque aprimorou alguns quesitos básicos:

  • Argumento. O próprio diretor Sam Raimi diz que a história, envolvendo Peter Parker, as garotas e o trabalho dele, representa um avanço em relação ao primeiro.

    "Ele é um Holden Caulfield para as massas", diz Pascal, numa referência ao protagonista do romance "O Apanhador no Campo de Centeio". "O público se identifica com ele de uma maneira pouco vista recentemente ".

  • O vilão. O Doutor Ock vivido por Alfred Molina é o sujeito malvado que o público adora. "Ele parecia com o personagem saído dos quadrinhos, mas é ainda melhor", diz David Gerson, 28, de Los Angeles, que viu o filme no sábado. "É assim que deve ser um vilão. Só espero que não tragam de volta o Duende Verde", disse o espectador, em referênmcia ao vilão do primeiro filme, que faz rápida aparição na seqüência.

  • Efeitos especiais. O primeiro filme foi louvado pelas cenas acrobáticas, mas "esses efeitos estavam ainda melhores", diz Etta Heath, 42, que viu o filme na sexta-feira em Houston. "Eu acho que o primeiro filme ainda tinha umas poucas cenas meio fajutas, mas esse segundo não".

    De acordo com a distribuidora Sony, cerca de 52% do público foi masculino, e 55% tinha menos de 26 anos. Mas o filme "foi bem em todas as faixas demográficas", diz o chefe dos Marvel Studios, Avi Arad, que também produziu "Homem-Aranha 2". "Estamos recebendo muita gente que só viu o primeiro filme em video mas que agora veio aos cinemas para a seqüência."

    O "Aranhão" não foi o único vencedor no final de semana. O documentário "Fahrenheit 9/11", de Michael Moore, arrecadou impressionantes US$ 21 milhões, bons o bastante para o segundo lugar das bilheterias, e com o total faturado de US$ 60,1 milhões. "Absorvemos bem os golpes do Homem-Aranha", diz Tom Ortenberg, presidente da distribuidora de "Fahrenheit", a Lion's Gate. "E ainda estamos abalando". Entenda por que a seqüência de "Homem-Aranha" está batendo recordes de bilheteria Marcelo Godoy
  • UOL Cursos Online

    Todos os cursos