John Kerry lidera pesquisa após definir Edwards como seu vice

Susan Page
Em Washington

John Kerry ganhou um impulso em toda a nação devido à sua escolha do senador John Edwards, da Carolina do Norte, como companheiro de chapa. Mas Edwards não conseguiu tornar a Carolina do Norte competitiva, conforme demonstra uma pesquisa conduzida em vários Estados pelo USA TODAY/CNN/Gallup.

Os democratas esperam que a escolha de Edwards amplie a lista de Estados sulistas onde a disputa será acirrada. Segundo a pesquisa, o presidente Bush e o vice-presidente Cheney tem 54% das intenções de votos, contra 39% da chapa de Kerry entre os prováveis eleitores da Carolina do Norte. Mas essa vantagem diminui (49% contra 43%) quando são ouvidos os eleitores registrados.

Porém, no cenário nacional, Edwards deu a Kerry seis pontos percentuais. Os democratas atualmente vencem Bush e Cheney com 50% das intenções de votos, contra 45% dos republicanos, entre os prováveis eleitores. O candidato independente Ralph Nader tem 2% dos votos. Há três semanas, antes de Kerry anunciar o seu companheiro de chapa, Bush vencia Kerry por um ponto percentual.

A pesquisa de âmbito nacional foi realizada de quinta-feira a domingo, e a estadual de sexta-feira a domingo. A margem de erro para os prováveis eleitores é de quatro pontos percentuais para mais ou para menos no cenário nacional, e de cinco pontos nos Estados.

Matthew Dowd, principal estrategista da campanha de Bush, diz que os resultados indicam que a Carolina do Norte continua sendo território republicano na eleição presidencial. Bush demoliu Al Gore por 13 pontos percentuais nesse Estado em 2000. A Carolina do Norte não vota em um candidato democrata desde Jimmy Carter em 1976.

Mas Mark Mellman, do comitê de Kerry, observa que uma grande multidão apoiou Kerry e Edwards em um comício em Raleigh no sábado, lembrando que a campanha de Bush está colocando propagandas de televisão no ar naquele Estado.

"Somente quando eles retirarem essas propagandas poderemos afirmar que acreditam que serão vitoriosos no Estado", diz Mellman.

Na pesquisa de âmbito nacional, Edwards não ajudou Kerry a conquistar eleitores no sul. Kerry permanece com os mesmos 44% de intenções de votos com os quais contava antes da entrada de Edwards.

Mas ele ajudou Kerry a garantir o apoio dos democratas e dos simpatizantes do partido. Três semanas antes, 85% desses eleitores apoiavam Kerry. Agora, 92% o fazem.

Os resultados sugerem que Edwards provavelmente se concentrará menos na região sul, da qual é nativo, do que nos disputados Estados do meio-oeste. Em Estados como Ohio e Iowa, o seu apelo junto a uma classe operária ansiosa parece ter repercussão.

Embora comparações sejam algo complicado, o salto nas intenções de votos proporcionado por Edwards é praticamente o mesmo conseguido por Bill Clinton quando escolheu Al Gore como seu companheiro de chapa em 1992. Mas isso ainda é menos do que o salto de 12 pontos percentuais entre os prováveis eleitores que um candidato a vice-presidente possibilitou em determinada ocasião ao seu companheiro de chapa. Foi o que ocorreu quando Bush escolheu Cheney em 2000. Democrata tem 50% de intenção de votos nos EUA, contra 45% de Bush e 2% de Nader Danilo Fonseca

UOL Cursos Online

Todos os cursos