Cai a intenção de votos de Kerry, diz pesquisa

Susan Page

A convenção democrata da semana passada melhorou a impressão sobre John Kerry junto aos eleitores, mas fracassou em lhe dar o esperado empurrão na disputa cabeça a cabeça contra o presidente Bush, como revelou a pesquisa USA Today/CNN/Gallup.

Na pesquisa, realizada entre sexta-feira e sábado (30 e 31 de julho), Bush estava à frente de Kerry com 50% a 46% entre os prováveis eleitores. O candidato independente Ralph Nader apareceu com 2%.

A pesquisa mostrou Kerry perdendo 1 ponto percentual e Bush ganhando 4 pontos percentuais em relação a uma pesquisa realizada na semana anterior à convenção em Boston.

A mudança no apoio está dentro da margem de erro da pesquisa de 4 pontos percentuais para mais ou para menos, em uma amostragem de 763 prováveis eleitores. Mas mesmo assim foi surpreendente, pois é a primeira vez desde a caótica convenção democrata de 1972 que um candidato não ganhou terreno durante sua convenção.

O USA Today estendeu sua pesquisa até o domingo (1º/8) para obter um quadro maior do que estava acontecendo. Uma pesquisa da revista Newsweek, realizada entre quinta e sexta-feira, deu à chapa democrata uma vantagem de 49% contra 42%. Ao longo de três semanas, isto representou um ganho de 4 pontos para Kerry, o menor já obtido na pesquisa Newsweek.

Entre os eleitores registrados pesquisados pela USA Today, tanto Kerry quanto Bush exibiram 47%. Bush subiu 4 pontos, enquanto Kerry permaneceu inalterado em relação à pesquisa pré-convenção.

Os analistas disseram que a falta de ganho pode refletir uma disputa altamente polarizada. Quase 9 entre 10 eleitores dizem que já se decidiram por seu candidato e não mudarão. "A convenção, normalmente um ponto de partida para o partido, agora é meramente uma reafirmação" da posição dos eleitores, disse David Moore, um editor sênior da Pesquisa Gallup.

"Em uma disputa tão acirrada, as pesquisas vão apontar de tudo", disse Stephanie Cutter, diretor de comunicações de Kerry. "Mais importante, os eleitores agora claramente confiam em John Kerry, mais do que em Bush, para liderar e defender a América."

Mas Matthew Dowd, estrategista-chefe da campanha de Bush, disse que "a história não é promissora" para Kerry. Desde a Segunda Guerra Mundial, os três desafiantes que impediram a reeleição dos presidentes apresentavam claras vantagens após suas convenções.

Os líderes democratas expressaram satisfação com a convenção, que mostrou um partido unido e enfatizou a segurança nacional. Os pesquisados deram notas elevadas à convenção e seu candidato:

  • O discurso de aceitação de Kerry, na quinta-feira (29/07), foi considerado "excelente" por 26%, uma resposta mais positiva do que Bush obteve em 2000. 44% disseram que os democratas foram "corretos" nas críticas a Bush; 30% disseram que foram longe demais.

  • As opiniões sobre a liderança e características pessoais de Kerry melhoraram; as opiniões sobre Bush não mudaram muito. A vantagem de Bush na forma como está lidando com o terrorismo foi reduzida de 18 pontos para 12 pontos. Em uma mudança, Kerry agora se tornou mais confiável para lidar com as responsabilidades de comandante-em-chefe, com 51% contra 46%.

  • O serviço militar de Kerry é visto como um adicional. 52% disseram que isto o ajudará a ser um presidente eficaz. Mais de um entre quatro disse que isto tornará mais provável que vote nele. Apesar da bem sucedida convenção, ele oscila negativamente George El Khouri Andolfato
  • UOL Cursos Online

    Todos os cursos