Misto de urbano e rural, micrópoles elegem Bush

Haya El Nasser

Em meio aos campos de milho e trigo do sudoeste do Estado de Ohio, está Wilmington Air Park, um centro de seleção e empacotamento da empresa Airborne Express que gerou 6.500 empregos e transformou a comunidade rural à sua volta em uma das áreas que mais rapidamente crescem no Estado.

Agora que a DHL assumiu o controle da Airborne, mais 600 empregos de tempo integral e 300 de meio expediente serão criados no condado de Clinton. Um centro com uma área de 93 mil m² está a caminho.

"Mas ainda cultivamos bastante milho, soja e trigo, e criamos muitos porcos", diz Roger Bennett, fazendeiro e autoridade política local. Foi por isso que os moradores de Clinton descreveram o condado como "um local onde as idéias rurais e urbanas se misturam". À medida que a sua população se aproxima dos 41 mil habitantes, um aumento de 16% em relação a 1990, o condado "tipifica uma comunidade em crescimento respondendo aos desafios de fundir ideais urbanos e rurais com respeito mútuo e os valores centrais de ontem", diz o site oficial do condado.

Condados como Clinton, que são demasiadamente urbanos para serem rurais, mas por demais pequenos para serem urbanos, possuem agora uma designação oficial do governo federal: "áreas micropolitanas". Outrora perdidas nas vastidões rurais além das áreas metropolitanas do país, essas "mini-metrópoles" dotadas de características rurais possuem agora caráter próprio como porção quantificável dos Estados Unidos das pequenas cidades.

E em 2 de novembro, elas demonstraram ser uma força política potente. Elas eram um componente-chave das regiões "lá de fora", onde os republicanos fizeram campanha incessantemente para contrabalançar a vantagem democrata nas grandes cidades.

O presidente Bush ganhou em 474 das 573 áreas micropolitanas, com uma margem de votos de 61%, contra 39% do democrata John Kerry. Segundo uma análise do Instituto Metropolitano da Universidade Virginia Tech. Foi uma grande vantagem em uma disputa nacional apertada vencida por Bush, com 51% dos votos, contra 48% do seu adversário.

Em 2000, Bush ganhou o voto "micro" por uma margem mais estreita --57% contra 40% do democrata Al Gore. Em Ohio, o Estado eleitoralmente dividido que decidiu a eleição neste mês, a grande vantagem de Bush em 27 dos 29 condados micropolitanos ajudou-o a superar a liderança de Kerry nas cidades e a vencer no Estado por 135 mil votos. Isso deu a Bush os votos dos 20 delegados de Ohio no Colégio Eleitoral --e a Casa Branca.

Por todo o país, quase 12 milhões de moradores dessas pequenas áreas votaram em 2 de novembro, cerca de um décimo do número total de eleitores que compareceu às urnas.

"Se o censo possui um novo rótulo e informações suficientes para redefinir as áreas rurais, então os políticos e os especialistas deveriam prestar atenção naquilo a que esses locais dizem respeito", afirma Robert Lang, diretor do Instituto Metropolitano. "Essa é uma virada notável da situação, considerando que esses locais não foram sequer reconhecidos como tipos distintos até 2003".

Boas para os negócios, as áreas micropolitanas se encaixam em algum lugar entre o "exurbano" e o rural.

O governo federal designou as "áreas estatísticas micropolitanas" no ano passado para reconhecer as mudanças fora das cidades e subúrbios que foram provocadas pelo desenvolvimento, pela migração e pela mudança econômica das fazendas e manufaturas para o setor de serviços.

Os comerciantes e as companhias estão reconhecendo nessas áreas bons locais para fazer negócios devido aos baixos custos da terra e da mão-de-obra. As áreas micropolitanas próximas às estradas interestaduais estão atraindo centros de distribuição nacionais, cadeias de restaurantes e até mesmo a Starbucks.

A campanha de Bush prestou bastante atenção nessas comunidades. Enquanto as tropas de Kerry cobriam centros urbanos de Ohio como Cleveland, Columbus e Akron pedindo à população para sair de casa e votar a equipe de Bush se concentrou nas "micros" e cortejou os seus eleitores até o fim.

No início da manhã de 1º de novembro, Bush aterrissou, no seu Força Aérea Um, na pista de pouso de Wilmington Air Park. O presidente fez um vociferante discurso no hangar, um cenário perfeito para um condado que evoluiu de pólo rural para centro comercial.

Na semana anterior à eleição, o vice-presidente Dick Cheney e a sua mulher participaram de uma reunião na prefeitura de Wilmington, a sede do condado de Clinton.

Ralph Reed, ex-líder da Coalizão Cristã, fez campanha para Bush no condado de Washington, uma outra região micropolitana de Ohio. Bush fez comícios em Chillicothe e Findlay, dois outros condados. Michael Reagan, filho do ex-presidente Ronald Reagan, discursou em Findlay e em Marion, outras "micrópoles".

Já Kerry e o seu companheiro de chapa, John Edwards, visitaram as grandes cidades de Ohio numerosas vezes, mas nunca foram a Wilmington, cuja população é de 12.187 habitantes.

Em 2 de novembro, o condado de Clinton votou maciçamente em Bush. O índice de comparecimento às urnas foi de 74%, comparados aos 64% de 2000. Bush abocanhou 70% dos votos, comparados aos 65% que obteve quatro anos atrás.

Neste ano, esse incremento no número de votos em Ohio foi crucial. Ao contrário de 2000, quando Bush derrotou Gore nas áreas metropolitanas de Ohio, Bush ficou atrás de Kerry nos grandes centros urbanos do Estado por uma margem de 1,6%. Não havia votos rurais suficientes para compensar a vantagem de Kerry nos centros urbanos. Foram as micrópoles que fizeram a diferença.

"Essa eleição colocou as micrópoles no mapa político", afirma Lang. "Elas são as maiores cidades rurais dos Estados Unidos e o ponto de concentração do movimento conservador moderno".

Vários moradores do condado de Clinton atuam no setor agrícola durante o dia e trabalham à noite na DHL para suplementar a sua renda. Os novos moradores são atraídos pelo charme de cidade pequena e pelos preços baixos de instalação em Clinton. Alguns dirigem todos os dias para trabalhar em Dayton, Cincinnati e Columbus.

"A cidade tinha um caráter extremamente rural", diz Darleen Myers, presidente da Comissão do Condado de Clinton. "Agora estamos presenciando uma grande mudança".

Alguns se preocupam com o resultado potencial do crescimento. "Nasci e fui criado como um garoto de fazenda", diz Bennet, presidente do Partido Republicano local e membro do comitê eleitoral do condado. "De certa forma, detesto presenciar o que está acontecendo. Haverá mais gente por aqui. As escolas vão crescer bem rapidamente".

Até mesmo a política do condado, dominada há décadas pelos republicanos, poderá mudar um pouco, diz Bennett. "Teremos mais democratas", diz ele. "Essa situação mudará no decorrer dos próximos cinco anos".

O que é uma "micrópole"?

"Área estatística micropolitana" é uma categoria demográfica atualmente utilizada pelo Birô do Censo. Alguns fatos sobre as micrópoles:

  • As suas cidades centrais têm pelo menos 10 mil, mas não mais que 49.999 habitantes. Qualquer coisa maior que isso é classificada como área metropolitana.

  • As 573 áreas micropolitanas possuem 29,8 milhões de moradores e incluem 674 dos 3.141 condados dos Estados Unidos.

  • A maioria das micrópoles se encontra no sul e no meio-oeste. O Texas possui o maior número, com 41 micrópoles.

  • Algumas micrópoles que crescem rapidamente nas Montanhas Rochosas, como Jackson Hole, em Wyoming, e Silverthorne, no Colorado, são centros de turismo com um sabor cosmopolita porque atraem pessoas de todo o país.

  • Entre as micrópoles notáveis temos: Branson, em Missouri; Mount Airy, na Carolina do Norte; e Dodge City, no Kansas. Governo dos EUA reconhece áreas híbridas entre campo e cidade Danilo Fonseca
  • UOL Cursos Online

    Todos os cursos