Julia Roberts dá à luz gêmeos e estrela 2 filmes

Claudia Puig

Julia Roberts é a mais recente estrela de cinema a virar mãe: ela deu à luz na madrugada deste domingo (28/11) um menino e uma menina, em um hospital da área de Los Angeles. Hazel Patricia e Phinnaeus Walter Moder são os dois primeiros filhos de Julia Roberts com seu marido há dois anos, o cameraman Danny Moder.

Tanto a mãe quanto os gêmeos "estão bem", disse a porta-voz de Julia, Marcy Engelman, que não divulgou mais detalhes sobre o nascimento e o tamanho dos bebês.

Na semana passada, Julia disse ao USA Today que o nascimento dos gêmeos estava previsto para janeiro, mas gêmeos geralmente nascem prematuros. Julia passou as últimas semanas de cama, em repouso absoluto, em antecipação ao nascimento.

Foi de lá que ela conversou por telefone sobre sua segunda grande produção nesta semana: a estréia na sexta-feira nos cinemas de "Perto Demais", seu novo filme sobre amor e infidelidade, dirigido por Mike Nichols, vencedor do Oscar. No filme, Julia interpreta uma fotógrafa que trai seu marido médico (Clive Owen) com um escritor interpretado por Jude Law.

Mas na vida real, ela está feliz com seu casamento e empolgada em ser mãe de gêmeos, freqüentes em sua família. E a maior estrela da indústria cinematográfica diz que não poderia ter interpretado a complexa Anna de "Perto Demais" se não estivesse tão contente em sua vida pessoal com o marido Moder.

"Se eu não estivesse tão feliz e segura e não tivesse encontrado meu lugar no mundo, eu não acho que teria me sentido à vontade para explorar isto em um filme", disse Julia. "Eu não me sentiria à vontade explorando tal apuro se eu o estivesse explorando na vida real."

Ela telefonou de sua casa em Los Angeles, durante um período de descanso forçado nas últimas seis semanas de sua gravidez bastante divulgada.

Naquele dia, ela queria que o mundo soubesse que ela e seus gêmeos ainda não nascidos estavam bem. "As coisas transcorreram incrivelmente bem, bata na madeira", disse ela. "Nós estamos agora em um momento em que não há horas suficientes no dia para contar nossas bênçãos, sério."

Nem um pouco de enjôo matinal, nada de tornozelos inchados, cãibras nas pernas ou complicações de qualquer tipo para a sortuda vencedora do Oscar.

"Nunca passei mal", disse ela. "Eu ouvi histórias de horror sobre pessoas que tomavam um golinho de água e então vomitavam por quatro horas. Mas eu venho de uma linhagem forte. Sou do Sul. Isto deve ter algo a ver."

O diretor Mike Nichols entrou na conversa naquela altura. Ele estava pronto para discutir outro nascimento, o do filme deles, "Perto Demais", o implacável drama de relacionamento baseado na peça de Patrick Marber. O filme é visto como um candidato potencial ao Oscar.

Apesar de o diretor e a estrela terem começado posteriormente uma conversa séria sobre o processo de realização do filme e a complexidade dos personagens, naquele momento Nichols estava gozando Julia sobre sua forte constituição.

"Caipiras, você e minha mulher", disse ele, se referindo à jornalista de TV Diane Sawyer, sua esposa há 16 anos e natural de Kentucky. Julia, que nasceu em Smyrna, no Estado da Geórgia, mal esperou: "Certo, eu e Diane. Somos garotas duronas".

A conversa retornou a um homônimo de nascimento ("birth"): "berth", ancoradouro. Como encontrar o refúgio, romanticamente. Nichols concorda: "Nós só podemos olhar para trás para a dor envolvida na busca por nosso ancoradouro final, aquele processo terrivelmente doloroso que faz parte da primeira metade de sua vida antes de você embarcar naquela que realmente é a grande aventura: duas pessoas que se pertencem".

Sempre aventureira, ao longo dos últimos doze anos, Julia Roberts fez par com uma série de protagonistas. Ela ficou casada por menos de dois anos com o cantor country Lyle Lovett em 1993, ficou noiva de Kiefer Sutherland e mais recentemente namorou Benjamin Bratt por três anos, antes de casar com Moder, em 4 de julho de 2002. Ao longo do caminho ocorreram romances com vários outros, incluindo os atores Liam Neeson, Daniel Day-Lewis e Matthew Perry (o Chandler Bing, de "Friends").

Fazendo um levantamento de sua vida agora que está com 37 anos, Julia não tem o desejo de ser a noiva em fuga cuja imagem esteve constantemente nos tablóides.

"Eu cheguei a um ponto na minha vida onde aprendi a realmente apreciar a segurança, o amor e a confiança", disse ela. "Eu estou mais velha, com dois filhos. Eu não preciso ser vista como sendo bacana, interessante, maluca ou vivendo no limite."

Dificilmente a idéia de alguém de velha ou caipira, a atriz de pernas longas tem se referido a si mesma como "uma pessoa comum que tem um emprego extraordinário". Articulada e versada, com casas adicionais em Taos, Novo México, e Nova York, ela também é uma mulher extremamente rica; ela ganha US$ 25 milhões por filme.

Ela diz que a vida glamourosa atribuída a ela está muito longe da verdade.

"Eu não sobreviveria naquilo que as pessoas imaginam que é minha vida", disse ela. "Infelizmente, com as maquinações da imprensa atual, todo mundo parece muito decepcionado por sermos normais."

O co-astro Jude Law disse sobre Julia Roberts: "Ela obviamente carrega um fardo extra de pessoas que acham que sabem um pouco sobre ela. Mas ela é bem simples, pé no chão, profissional e uma atriz brilhante".

Ela reconhece que ganha excessivamente: "Os rapazes ganham mais? Sim. Mas nós todos recebemos demais? Sim!"

Trajetória

Sua carreira de atriz começou com "Três Mulheres, Três Amores" em 1988, e o papel que a projetou veio em 1990, quando ela estrelou o enorme sucesso "Uma Linda Mulher" ao lado de Richard Gere. Ela fez grande sucesso com "O Casamento do Meu Melhor Amigo" de 1997, mas atingiu um ponto alto em sua carreira quando recebeu o Oscar de melhor atriz por "Erin Brockovich -Uma Mulher de Talento".

Ela prometeu trabalhar em tudo o que o diretor de "Erin Brockovich", Steven Soderbergh, oferecesse a ela. Ele a dirigiu em "Onze Homens e Um Segredo" de 2001, na continuação "Doze Homens e Outro Segredo" (que estréia em dezembro nos EUA), assim como em "Full Frontal" de 2002.

"Eu imagino que se Mike Nichols e Steve Soderbergh continuarem trabalhando, então eu posso ir para casa e aguardar eles me telefonarem", disse ela.

De fato, muitos diretores lutam para trabalhar com ela porque seu nome na marquise geralmente representa sucesso de bilheteria.

Ela fez 34 filmes em 16 anos de carreira. Nas próximas duas semanas, o público a verá tanto em "Perto Demais" quanto em "Doze Homens e Outro Segredo", sua primeira seqüência, que estreará em 10 de dezembro.

"Minha experiência até o momento tem sido ridiculamente boa", disse ela com característica atenuação.

Ela se empolga ao falar sobre sua mais recente experiência, a de uma fotógrafa fria e traidora em "Perto Demais", casada com um médico galanteador e tendo um caso com um escritor inseguro.

"Isto não demonstra a bondade em meu coração, mas eu acho que fui quem mais julgou todos estes personagens, particularmente a minha", disse ela. Mas, com o tempo, ela perdeu grande parte de sua antipatia.

"Agora, quando ouço as pessoas dizendo todas estas coisas sobre quão horríveis nós somos, eu reajo: 'Ei, qualé, somos humanos'", disse ela.

A história do filme de paixão, traição e abandono entre dois casais "teve apelo para mim de formas temáticas gerais". A direção de Nichols ajudou Julia a superar sua inclinação natural de julgar os personagens, disse ela.

"Mike meio que arrancou isso de mim, de certa forma", disse ela. "Ele também tornou seguro para que eu dissesse: 'Ninguém diz estas coisas. As pessoas não falam assim'".

Falando de linguagem, Julia Roberts é atraída por poesia e tem emprestado sua voz para recitações dos textos do poeta chileno e vencedor do Nobel, Pablo Neruda. Ela fica emocionada quando Nichols cita um trecho de um dos poemas dele para ilustrar o tema de "Perto Demais".

"O amor é tão curto", disse ele. "Esquecer é tão longo."

Julia balbucia: "Eu amo esta frase. É maravilhosa".

Nichols também parafraseia uma citação do romancista francês Gustave Flaubert que o toca: "Flaubert disse para viver a vida mais burguesa possível e empregar sua impetuosidade em seu trabalho".

Será que Julia Roberts considera sábia esta filosofia?

"É", disse ela, acrescentando: "Eu quero que alguém, uma vez na vida, me diga: 'Você citou Flaubert'". Atriz está em "Perto Demais", candidato ao Oscar que estréia na 6ª George El Khouri Andolfato

UOL Cursos Online

Todos os cursos