Atriz Debra Messing faz sua estréia no cinema e na maternidade

William Keck
Em Beverly Hills

Quanta diferença em um ano...

Em janeiro de 2004, Debra Messing estava promovendo sua participação coadjuvante na comédia romântica de Jennifer Aniston "Quero Ficar com Polly." Três meses antes de ter seu primeiro bebê, Debra estava tão grandona na estréia de "Polly", que Brad Pitt perguntou se a criança já iria nascer.

Duas semanas depois, na entrega dos Globos de Ouro, Debra Messing estava tão incômoda que precisou de ajuda para sair do salão. Aí os médicos pediram para que ela já ficasse em casa, na cama, e a atriz teve que cancelar sua participação como Grace nos episódios finais de sua série cômica na NBC, "Will & Grace" [apresentada no Brasil pelo canal pago Sony].

Mas atualmente a vida de Debra não poderia estar mais próspera. Ela arrasou na entrega dos Globos de Ouro desse ano, maravilhosa num traje de Vera Wang depois de eliminar uns 17 quilos de gordura provocada pelo bebê. "Eu estava enorme, mas consegui voltar ao ponto", diz a atriz.

Mas embora ela tenha perdido o prêmio de melhor atriz de comédia para Teri Hatcher, de "Desperate Housewives", Debra aproveitou a festa do Globo de Ouro para aplaudir o sucesso de Nicollette Sheridan, atriz de "Desperate...", que quase foi escalada como Grace, em 1998." Nicollette encontrou uma casa maravilhosa para trabalhar", consola Debra.

A atriz de 36 anos tem mesmo muita gratidão para espalhar por aí. Em abril, ela irá celebrar o primeiro aniversário de seu saudável filho Roman, que recentemente conseguiu ficar em pé pela primeira vez. E a partir do episódio de "Will & Grace" que irá ao ar dia 10 de fevereiro nos Estados Unidos, Grace terá um novo namorado, vivido pelo bonitão Edward Burns. E, para completar a grande fase, chega às telas americanas na sexta-feira (4/2), "The Wedding Date", primeira comédia romântica estrelada pela própria Debra.

Debra interpreta Kat Ellis, uma moça super insegura que paga ao personagem de Dermot Mulroney U$ 6.000 (quantia equivalente a cerca de R$ 17 mil) para ser o acompanhante dela num casamento da família na Inglaterra. O filme foi rodado sob orçamento curto, no meio de 2003. Se a Universal Pictures não tivesse decidido encampar o projeto e lhe dar uma reeditada, a produção poderia ficar mofando nas prateleiras das locadoras, indo "direto-para-o-vídeo".

"Chovia todos os dias", lembra Debra Messing das filmagens baratinhas feitas em Londres, encerradas em apenas 31 dias. "E tinha essa mulher bêbada que ficava sentada na calçada vendo as filmagens e que de repente começava a gritar. O meu maior medo era que a gente voltasse (aos Estados Unidos) e, por causa desses detalhes e pequenos problemas, essa gracinha de comédia romântica não pudesse ser lançada".

E a cerimônia de casamento real de Debra Messing no ano de 2000 também teve os seus percalços. Durante dois anos, ela e o namorado roteirista, Daniel Zelman (autor de "Anaconda"), planejaram uma cerimônia secreta ao pôr do sol, que aconteceria numa bela campina, de frente para o Oceano Pacífico. Os 100 convidados, transportados especialmente para a ocasião, não teriam idéia sobre o destino escolhido.

Mas os paparazzi sabiam. Apenas poucas horas antes do casamento, Debra recebeu um telefonema aflito do organizador do casamento: um helicóptero já estava rondando a locação "secreta". Sem entrar em pânico, ela disse "OK, então cancela, que não vamos mais casar aí", e se mobilizou para encontrar outro ambiente ao ar livre. Eles acabaram se casando em Santa Barbara, Califórnia.

Agora a atriz tem que lidar com a curiosidade dos tablóides sobre seu filhinho. "Pensávamos que assim que a primeira fotografia dele fosse publicada o interesse estaria saciado", diz Debra. "Até fizemos algumas provisões para ficar em casa, mas como moramos numa rua aberta os caras puderam ficar ali, observando nossa casa e tirando fotografias com lentes de longa distância."

Mas Debra se dá conta de que esse é o preço que precisa pagar pela vida de sonho que está vivendo. Sem entrar em detalhes, ela diz que a gravidez teve vários problemas, e que a cada dia agradece pelo "meu anjinho pirulito", que é como ela chama Roman.

Pirulito, segundo ela, porque não consegue tirar os lábios de Roman. "Eu o beijo o tempo todo", confessa a atriz. "E não consigo parar de morder as pernas e as bochechas do meu filhote". Comédia "The Wedding Date" entra em cartaz nesta sexta nos EUA Marcelo Godoy

UOL Cursos Online

Todos os cursos