Super-heróis americanos vão ao Oriente Médio

David Colton

Histórias em quadrinhos e soldados têm sido aliados desde os primeiros dias da Segunda Guerra Mundial, quando o Super-Homem e o Capitão América vendiam bônus de guerra, promoviam a coleta de papel e combatiam os nazistas dentro e fora do país.

Marvel Comics/The New York Times

O Homem-Aranha pode reforçar as tropas norte-americanas no Iraque
Agora os super-heróis estão de volta ao fronte.

Nesta quinta-feira (28/04), no Pentágono, a Marvel Comics apresentará uma revista em quadrinhos que será distribuída gratuitamente em maio para as forças americanas no Iraque e ao redor do mundo.

Apresentando os Vingadores, Quarteto Fantástico, Homem-Aranha e outros heróis da Marvel, a revista terá uma tiragem de 1 milhão de exemplares. As primeiras 150 mil cópias irão para os soldados no Oriente Médio. "Nós não vamos vendê-las. Estas são para as tropas", disse Jeff Klein, um porta-voz da Marvel.

Tanto a DC Comics quanto a Marvel já publicaram edições especiais sobre assuntos como drogas, minas terrestres e os heróis de 11 de setembro.

Mas este esforço mais recente empalidece os anteriores em tamanho, e em uma parceria com a "América Apóia Você", uma campanha do Departamento de Defesa que encoraja os cidadãos, comunidades e empresas a apoiarem os soldados e suas famílias, "especialmente aqueles servindo em locais de risco".

As revistas em quadrinhos estão disponíveis gratuitamente em postos de troca militares.

"O fato de a Marvel criar uma revista em quadrinhos especialmente para os soldados é realmente espetacular, acentuando como uma empresa pode ir além", disse a vice-secretária assistente da Defesa, Allison Barber. "Quando você pode se sentar e ler uma revista em quadrinhos no campo, qualquer toque de casa faz uma diferença."

A revista é uma edição de tamanho normal de "Os Novos Vingadores", escrita por Brian Michael Bendis e desenhada por Dan Jurgens e Sandu Florea.

Virtualmente todos os grandes heróis da Marvel estão envolvidos em um encontro com um exército alienígena. As propagandas são voltadas para os soldados.

"Eu sou um veterano do Vietnã, e nosso pessoal em uniforme merece ser bem tratado", disse o vice-presidente da Marvel, Peter Cuneo. "Muitos são fãs de quadrinhos, e estes são os heróis com os quais cresceram. Se você está em uma trincheira, ela será passada de mão em mão."

Distribuir as edições mensalmente em campo é "logisticamente difícil", disse o diretor executivo de grupo da Marvel, Bob Sabuni, que cita a alta demanda por parte dos soldados como motivo para o esforço.

Mas o uso do serviço de troca das forças armadas garantirá que a revista chegue a todos os soldados que quiserem uma, mesmo nas "posições mais avançadas".

Os diretores da Marvel não descartam a possibilidade de uma eventual reimpressão, e duvidam que a revista se tornará um item valioso no mercado de quadrinhos por causa da alta tiragem.

Mas Vincent Zurzolo, co-proprietário da Metropolis Collectibles em Nova York, não tem tanta certeza. "Ela se tornará um item de colecionador. Sem dúvida", disse ele.

"No eBay, na Internet, nas convenções de quadrinhos, você verá os preços chegarem a US$ 10, US$ 15, US$ 25. Será tremendamente desejável para muitos colecionadores de quadrinhos." Personagens de HQ já "defenderam" país durante 2ª Guerra Mundial George El Khouri Andolfato

UOL Cursos Online

Todos os cursos