Cancelar "Arrested Development" seria um crime

Gary Levin e Rati Bishnoi

Os fãs querem que a Fox continue a servi-los por mais uma temporada, a terceira. A oitava pesquisa anual Save Our Shows ("Salvem Nossos Programas"), promovida pelo USA Today, revela que a excêntrica comédia "Arrested Development" (exibida no Brasil pelo canal Fox, quartas, às 21h) é a favorita absoluta para escapar do cancelamento (na temporada 2005/2006).

F. SCott Schafer/Fox/NYT

A excêntrica família de "Arrested Development" é sucesso de crítica, mas fracasso de público nos EUA
Entre 19 séries de futuro ainda incerto --"na bolha", como dizem no jargão da indústria-- "Arrested..." é a preferida do público: 66%, entre cerca de 54 mil entrevistados, exigem que a Fox renove contratos e mantenha a série, que está "pendurada". (Apenas 12% dos entrevistados querem o final da série, o que é de longe o menor índice de rejeição entre todas as séries.)

"O roteiro é muito esperto e engraçado, como nenhum outro atualmente", diz Susan Schomburg, de Champaign,no estado de Illinois. "É literalmente o único programa novo (e não reprise) que eu chego a assistir, e freqüentemente é o único programa que me faz ficar diante da TV."

Outros fãs da série fizeram até ameaças terríveis.

"Se 'Arrested Development' for cancelada, entrarei em profunda depressão por várias semanas", diz Morgan Davies, 15 anos,de Sudbury, Massachusets. "É a minha meia-hora favorita da semana."

Normalmente o entusiasmo assim tão grande é reservado para programas de ficção-científica, com seus devotos e cultuadores: no ano passado, "Star Trek: Enterprise" ganhou apoio recorde de 70% dos entrevistados e evitou a foice do cancelamento --por enquanto. Sua atual temporada termina na semana que vem nos Estados Unidos.

Naquela mesma pesquisa de 2004, apenas 36,5% dos entrevistados solicitaram a volta de "Arrested...". Desde então, a comédia já faturou um Emmy e conquistou novos fãs através do DVD. Mas os índices de audiência não subiram muito.

As redes irão revelar o destino dos programas que estão "na bolha" quando lançarem suas grades de programação aos anunciantes em Nova York, daqui a duas semanas.

Na atual pesquisa, a segunda série mais bem votada foi "Joan of Arcadia", da CBS, com 40% de apoio.

"'Joan' é o melhor programa da televisão", diz Paul Reilly, de Yonkers, Nova York. "Mostra uma família de verdade, onde questões religiosas são tratadas abertamente e com respeito. Se minhas filhas crescessem e fossem como Joan, eu ficaria emocionado."

Outros programas que têm mais adeptos que oponentes --a adaptação da NBC para a comédia britânica "The Office", o "The Bernie Mac Show", da Fox, e "Eyes", da ABC.

Os defensores de "Will & Grace" da NBC ultrapassaram por pouco os que querem o final da série, com o resultado de 35% contra 31%. Os índices dessa sitcom caíram na atual temporada americana, mas o programa deverá voltar para a oitava, e provavelmente última, temporada.

A série "Judging Amy", há muito tempo em exibição pela CBS, tem o mesmo número de defensores e oponentes, enquanto que o apoio foi escasso para "All of Us", exibida pela rede UPN e produzida pelo casal Will e Jada Pinkett Smith. 5% querem que o programa volte na próxima temporada, e 30% nem querem saber desse assunto.

"Life on a Stick", da Fox, e "Quintuplets" tiveram apoios anêmicos similares: 10%, ou menos que isso, querem a permanência dos programas, e mais de 40% preferem o sumiço deles.

Fãs de "Joan" apelam para um poder superior

Pelo menos duas escolas católicas estão rezando por "Joan of Arcadia".

Alunos, pais e professores nas escolas St. Patrick em Wentzville, Montana, e Visitation BVM em Trooper, Pensilvânia, realizando campanhas separadamente, enviaram mais de 100 cédulas para a pesquisa Save Our Shows, tentando manter no ar até o ano que vem o drama familiar da CBS que tem uma abordagem espiritual.

Um grupo de cédulas veio todo com a simples e seguinte mensagem: "Queremos que 'Joan of Arcadia' siga na TV. É diversão boa e sadia, com uma mensagem. Será que precisamos mesmo de todos esses 'CSI's ou 'Law & Order's?"

Jody Osterholt, 55 anos, professora de religião que organizou a campanha pró-"Arcadia" em St. Patrick, diz que utiliza a "mensagem positiva" do programa como ponto de partida para muitas de suas discussões em classe. "Eu uso trechos do programa para mostrar como encontramos Deus em outras pessoas... (para mostrar) que as famílias não são perfeitas, que nós não somos perfeitos."

A aluna da oitava série da escola St. Patrick Emilie Givogue, 14 anos, disse que votou a favor de "Joan" porque achou o programa inspirador: "O programa ajuda, ao mostrar (a personagem) tomando partido pelos outros. Isso faz com que eu também queira defender os outros".

A mãe de Emilie, Denise Givogue, 41 anos, diz que a personagem-título do programa, vivida por Amber Tamblyn, é uma "tremenda inspiradora... Os meninos podem se identificar (com ela). Odiaria ver esse programa cancelado." Fãs de "Joan of Arcadia" mobilizam-se pela permanência da série Marcelo Godoy

UOL Cursos Online

Todos os cursos