Ronaldinho, astro brasileiro do futebol, equilibra fama, fortuna

Douglas Robson
em Barcelona

Filhinho da mamãe ou playboy? Estilo ou substância? Humilde ou convencido?

Seja como for que alguém escolha ver Ronaldinho, isto é certo: nos próximos quatro meses, seu status de melhor jogador de futebol do mundo estará sob os holofotes.

"Eu não penso a respeito", disse o superastro brasileiro das múltiplas pressões de tentar liderar seu clube, o Barcelona, aos títulos do Campeonato Espanhol e da Liga dos Campeões da Europa -sem contar a defesa do título de campeão pelo Brasil na Copa do Mundo na Alemanha em junho. "Nós estamos fazendo um bom trabalho em todos os jogos que estamos participando e temos que estar à altura em todas as competições."

Albert Gea/Reuters 
Ronaldinho bate falta na semifinal da Liga dos Campeões, entre Milan e Barcelona

Um membro chave da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2002, o jogador com cabelo crespo e sorriso permanente tem enchido sua estante de troféus enquanto conduz o Barcelona de volta à proeminência, superando a megacelebridade inglesa David Beckham em viabilidade comercial global. Em dezembro, o jogador de 26 anos conseguiu seu segundo prêmio Melhor Jogador do Mundo da Fifa consecutivo, uma honra que Beckham nunca conseguiu. Ronaldinho também conquistou o título de Melhor Jogador da Europa e o prêmio Melhor Jogador do Ano pela Federação dos Jogadores de Futebol (Fifpro) de 2005, votado por jogadores e federações de todo o mundo.

Enquanto isso, o Barcelona lidera o campeonato espanhol.

Sucesso da equipe à parte, o talento assombroso de Ronaldinho com a bola, visão superior de campo, movimentação em campo e pontaria para marcar gols há muito conquistaram os fãs de futebol, incluindo a lenda brasileira Pelé, que disse que Ronaldinho é "o melhor jogador do mundo no momento" em novembro passado.

"Ele transmite muita alegria e prazer em jogar e tem um talento individual que é de tão alto nível que todos no mundo o adoram", disse o técnico do Barcelona, Frank Rijkaard.

Superando Beckham

O Barcelona lidera o Campeonato Espanhol, à frente do Valencia e do rival em terceiro lugar, o Real Madrid, um equipe repleta de astros como Beckham, os brasileiros Ronaldo e Roberto Carlos e o francês Zinedine Zidane.

O nexo de esporte, dinheiro e fama não fica muito maior do que Beckham, cujo renome mundial ultrapassa seu talento no futebol. Mas a combinação de Ronaldinho de juventude, sucesso e exuberância ofuscou Beckham, 31 anos, em um aspecto.

Segundo um estudo da firma de consultoria BBDO Germany, o nome de Ronaldinho vale cerca de US$ 56,4 milhões, ultrapassando o segundo colocado, Beckham, e tornando o brasileiro o jogador de futebol comercialmente mais valioso.

Não prejudica o fato de um dos patrocinadores de Ronaldinho ser a Nike, que também patrocina o Barcelona e a Seleção Brasileira. Ronaldinho tem um lucrativo contrato de endosso de 10 anos com a Nike, disse o estudo. A Nike está disputando com a Adidas o controle do mercado ao redor do mundo.

Os dribles e sorriso característicos de Ronaldinho estão registrados em um comercial da Nike, que estreou no dia 29 de março durante o programa "American Idol", exibindo imagens dele de hoje e como fenômeno de 8 anos. Este comercial e um vídeo de Ronaldinho chutando repetidas vezes uma bola de futebol na trave para voltar para ele já foram baixados na Internet mais de3,5 milhões de vezes, segundo a Nike.

Também benéfico ao apelo de Ronaldinho e do Barcelona, que está buscando expandir seu nome na América do Norte, será uma excursão de três jogos nos Estados Unidos neste verão, pela segunda vez em quatro anos. Esta excursão percorrerá Los Angeles (6 de agosto), Houston (9 de agosto) e East Rutherford, Nova Jersey (12 de agosto).

Apesar da fama, milhões em salários e endossos lucrativos, Ronaldinho parece natural, tranqüilo, próximo da timidez. Seu comportamento não bate com a vistosa imagem em campo. Mas o grande pingente de diamante gravado "R10" pendurado em seu pescoço não é exatamente uma jóia comum.

"Não, não, não posso jogar com isto", riu Ronaldinho, que veste a camisa Nº 10 e respondeu as perguntas em espanhol por meio de um tradutor, nos vestiários do enorme estádio Camp Nou do Barcelona, após um treino em janeiro. "Os árbitros não permitiriam."

Os oponentes que chutam o ar atrás dele prefeririam que os árbitros também proibissem os dribles desconcertantes do meio-campista. Sem chance. O que o torna tão perigoso é a combinação de dribles individuais e sua capacidade de melhorar a qualidade de seus companheiros quer esteja ou não com a bola.

"Ronaldinho traz segurança à equipe porque todos os jogadores sabem que ele pode sempre fazer algo especial durante o jogo", disse o capitão do Barcelona, Carlos Puyol.

"Ele faz as jogadas que resultam em gols para derrotá-lo -passando, combinando jogadas com os companheiros ou fazendo uma jogada individual", acrescentou o técnico da seleção americana, Bruce Arena. "Ele atrai todos os adversários e devido ao seu talento especial, ele torna todos ao seu redor melhores e mais confiantes. Considerando que as pessoas ao redor dele são boas, isto se transforma em um pesadelo para as outras equipes."

Barcelona em recuperação

Ronaldinho, também conhecido como Ronaldinho Gaúcho (o apelido dos habitantes do Estado do Rio Grande do Sul, cuja capital, Porto Alegre, foi o local de nascimento do jogador brasileiro), vem de uma família de jogadores de futebol.

Ele se destacou pela primeira vez como grande marcador de gols pela Seleção Brasileira no Mundial Sub-17 em 1997. Sua carreira profissional teve início no Grêmio, em seu país natal, um ano depois. Em 2001 ele foi para o Paris Saint-Germain. O Barcelona pagou US$ 37 milhões pela sua contratação em 2003, superando a oferta do Manchester United.

Tal transação provocou a recuperação do clube. O Barcelona vinha atolado por vários anos em má administração, moral baixa, técnicos erráticos e uma atuação abaixo do esperado crônica. Após uma seca de seis anos, o Barcelona conquistou o Campeonato Espanhol de 2004-2005 apoiado na atuação espetacular de Ronaldinho e na de astros como o zagueiro espanhol Puyol e do atacante camaronês Samuel Eto'o.

"Eu estou muito feliz pelo Barcelona e acho que a equipe pode ir bem longe nesta temporada", disse Ronaldinho, elogiando o entrosamento da equipe. "É realmente como uma segunda família, e estamos pensando da mesma forma e trabalhando juntos para atingir a mesma meta."

Nesta temporada, o clube também está avançando rumo a um possível título da Liga dos Campeões. Ronaldinho é o segundo na artilharia da Liga com sete gols. (Andriy Shevchenko do Milan, o adversário do Barcelona na semifinal, é o primeiro com nove.)

Mas Ronaldinho insiste que os gols da equipe são mais importantes.

"Eu estou motivado aqui na Espanha, e espero continuar trabalhando assim por muito tempo", ele disse. "Eu não falaria sobre meus gols individuais, porque futebol é um esporte coletivo. Minha idéia é conquistar títulos com minha equipe e com minha seleção."

Todas as honras e sucessos comerciais não reduziram seu desejo de melhorar. "Eu preciso melhorar em tudo. Não posso parar", ele disse. "Minha meta é melhorar em tudo, tecnicamente e fisicamente -melhorar o chute com minha perna esquerda tanto quanto a direita, conseguir marcar mais de cabeça e melhorar meu jogo quando a bola está parada. Eu acho que ainda sou um jogador jovem e quero aprender muito."

Manter prioridades em mente

Ronaldinho se mantém próximo de suas raízes humildes. Sua mãe viúva, Miguelina, que divide seu tempo entre o Brasil e a Espanha, mora com Ronaldinho e seus dois cães, Bola e Negrão, quando está em Barcelona.

Apesar de freqüentador de clubes e festas, Ronaldinho disse que gosta de ficar com sua mãe, família e amigos, ir à praia e apenas jogar bola.

"O que gosto de fazer é estar com as pessoas de quem realmente gosto e
relaxar com elas", disse o astro educadamente confiante. "Para mim, a coisa mais importante é ser uma pessoa feliz com amigos. Eu respeito todos os que estão por aí e estou muito feliz com minha vida no momento."

A fama ao estilo Beckham não lhe interessa, mas ele tem feito suas aparições nas páginas de fofocas.

Há pouco mais de um ano, ele se tornou pai de um filho com uma dançarina brasileira. Ele já se separou da mãe do menino mas reconheceu a paternidade. O menino continua vivendo com a mãe no Brasil. O papel de Ronaldinho não está claro porque ele se recusa a discutir o assunto, preferindo mantê-lo privado.

Mas seus papéis no Barcelona e na Seleção Brasileira estarão a plena vista do mundo. Com a defesa do título do Campeonato Espanhol, os jogos da Liga dos Campeões, a Copa do Mundo da Alemanha tendo início em junho e a excursão americana do Barcelona no início de agosto, não haverá falta de holofotes.

Na Copa do Mundo de 2002, Ronaldinho era um talento emergente entre uma
reunião de superastros brasileiros. Em junho, o meio-campista será um homem visado na Alemanha.

Ronaldinho, que considera as ex-campeãs Argentina, França e a anfitriã
Alemanha como rivais perigosas, disse que ele e sua equipe estarão à altura do desafio.

"Nós temos uma base forte e nos conhecemos há muito tempo", ele disse. "Nós temos um bom relacionamento e muitos jogadores de ponta. Nós estamos confiantes de que podemos conquistar outro título." George El Khouri Andolfato

UOL Cursos Online

Todos os cursos