Brad Pitt: O menino de ouro

Donna Freydkin

Hoje em dia, é bom ser Brad.

Para pagar as contas, ele estrela e produz filmes, alguns de arte ("Correndo com Tesouras") que ele produziu, estréia no dia 20; Babel, no qual ele estrela, estréia no dia 27 de outubro) e alguns brilhantes ("Ocean's Thirteen" acabou de ser gravado).

AFP - 07.out.06 
Desde que se envolveu com Angelina Jolie, Brad Pitt se engajou em causas humanitárias

Em troca, ele ajuda nos esforços de reconstrução do Katrina e fala sobre aquecimento global e pobreza. E no final do dia, ele vai para casa e é recebido por Angelina Jolie e seus filhos Maddox, 5, Zahara, 1, e Shiloh, 4 meses.

O ator, de 42 anos, já foi menosprezado como apenas um rapaz bonitão com abdominais desenhados e acabou emergindo como um dos mais chamativos intérpretes de Hollywood. "Eu o vi passar de rapaz tolo para este cara inacreditavelmente sólido e confiante", diz a fotógrafa de celebridades Annie Leibovitz, que tirou fotos de Pitt anos atrás e o viu recentemente durante uma filmagem com Jolie. "Acho que agora ele tem vida interior. Não que o outro cara não fosse atraente - ele era muito - mas era uma criança. Acho apenas que amadureceu."

Os amigos de Pitt dizem que está nas alturas, no trabalho e em casa.
"Eu vi Brad há duas semanas", diz o colega George Clooney. "Ele está de ótimo humor. Ele é muito inteligente e se tornou uma pessoa que me deixa realmente impressionado o tempo todo. Ele é um bom amigo. E que pai incrível."

Apesar do visual de Pitt ainda agradar as moças, seu apelo vai além da pele."As pessoas o adoram. Ele está em um ótimo momento e parece estar fazendo tudo certo", diz Leonard Maltin do Entertainment Tonight.

Brad Pitt, o filantropo

Uma coisa Pitt aprendeu: o super-estrelato pode ser usado para o bem.

O produtor Jerry Weintraub diz: Pitt está "interessado em coisas diferentes agora do que há 10 anos. Ele realmente está devolvendo (à
sociedade) agora."

Desde que se envolveu com Jolie, embaixadora da boa-vontade da ONU, ele se tornou um embaixador ativo para a campanha One, de Bono, que procura erradicar a pobreza. Ele também participa do júri do projeto Global Green, que busca reduzir a mudança climática construindo prédios e cidades ecológicas.

Matt Petersen, da Global Green, pegou um vôo comercial para New Orleans com Pitt para avaliar os candidatos em uma competição para reconstruir a cidade com prédios ecológicos. Petersen e Pitt passaram horas discutindo os finalistas e analisando os projetos.

"Algumas pessoas querem chamar atenção. Ele é discreto e interessado em conversar com os outros", diz Petersen. "Ele não tem medo de andar no meio da rua em um bairro, aproximar-se dos moradores e fazer perguntas. Quando as pessoas o vêem e perguntam se é realmente Brad Pitt, ele é muito gracioso. Ele sorri e diz: 'Sim, de fato sou eu.'"

Pam Dashiell, presidente da Associação Holy Cross Neighborhood de Nova Orleans, reuniu-se com Pitt em julho. Eles andaram de ônibus para que Pitt visse em primeira mão a devastação provocada pelo Katrina. Com certeza ele é charmoso, diz ela, mas ainda mais importante, "ele é realmente inteligente, é uma boa pessoa. Ele não tem aquele ego inflado que as pessoas imaginam quando pensam em astros do cinema. Ele é franco."

No que se refere à filantropia, Pitt faz seu dever de casa, diz Petersen. Quando estava em Nova Orleans durante a competição de arquitetura, Pitt "foi a todas as reuniões, encontrou-se com os políticos locais e realmente queria saber quais eram os desafios".

Seu relacionamento com Jolie levou o ator, que mora em Los Angeles, a Davos, na Suíça, para o Fórum Econômico Global; Namíbia, onde Shiloh nasceu; e agora, à Índia. Pitt e Jolie montaram uma fundação e dão dinheiro aos Médicos sem Fronteiras e à Ação Global para Crianças. Eles também prometeram doar os milhões pagos pela imprensa pelas fotos de Shiloh.

Um dos novos amigos de Pitt é o economista Jeffrey Sachs, diretor do Earth Institute na Universidade de Columbia. 'Ele quer apenas entender bem isso, ser preciso e acertar o alvo", diz Sachs. "Ele estuda os fatos e tenta compreender o debate. Atualmente o vejo muito interessado no meio ambiente e nos elos entre a pobreza e o meio ambiente."

Homem de família

Para Brad Pitt, a carreira vem em segundo lugar distante em relação à família. "Ainda valorizo o trabalho que faço, mas ao mesmo tempo valorizo mais chegar em casa e estar com as crianças. De alguma forma torna meu trabalho mais significativo, porque sei que em algum ponto na estrada meus filhos vão assisti-lo", disse Pitt ao London Mirror neste mês.

O ator não dá entrevistas atualmente (e não quis ser entrevistado para esta matéria), ele evita o circuito festivo de Hollywood e só pisa no tapete vermelho para promover seus filmes ou a consciência da causa que defende. Ele nunca discutiu sua separação em janeiro de 2005 de sua mulher, Jennifer Aniston, ou seu relacionamento com Angelina Jolie. O escândalo poderia ter demolido um astro menor.

Depois de brincar de gato e rato com a mídia quando promovia "Sr. e Sra.
Smith", Pitt e Jolie oficialmente emergiram como casal, anunciando sua gravidez em janeiro e recebendo a filha Shiloh, hoje de 4 meses, em maio.

Desde então, o casal tentou manter um padrão razoavelmente discreto.
Jolie diz que o autor de "Smith", Simon Kinberg, é "mais introspectivo e reservado" enquanto Pitt é "efervescente e aberto. Os dois são muito inteligentes, curiosos e generosos".

Pitt, que está adotando Maddox, 5 e Zahara, 1, passa a maior parte do tempo livre com seus filhos de várias culturas. Eles o visitaram no set de filmagem de "Ocean" na área de Los Angeles e ficaram no seu trailer.
"Ele é fantástico com seus filhos", diz o produtor Jerry Weintraub. "Ele é totalmente envolvido, leva eles para os lugares; leva-os para todo canto."

De fato, quando Pitt é visto em público, na maior parte das vezes está segurando Zahara, brincando de corrida em Paris com Maddox ou levando o garoto para passear de riquixá em Puna, Índia, onde o casal está gravando "A Mighty Heart". Como outros pais, ele tem dificuldades com noites sem dormir e assaduras, Pitt disse ao Esquire.

Sua filosofia como pai é simples: "Tento não sufocá-los. Se não for prejudicar ninguém, quero que possam explorar", disse à revista. "De noite, antes de irem para cama, acho que é realmente importante ter tempo de sentar e conversar com eles. Realmente gosto daquele último minuto antes de caírem no sono."

Ele se tornou defensor da adoção. "Agora que tenho dois filhos adotivos, não posso imaginar a vida sem eles", disse ao Esquire. "Eles são tanto o meu sangue quanto qualquer um nascido naturalmente e sou deles."

Como não pode sair em público sem gerar alvoroço, Pitt encontrou formas mais solitárias de espairecer. Ele anda de bicicleta em trilhas e motocicleta e pilota um avião. Ele lê livros sobre arquitetura, inclusive "Cradle to Cradle: Remaking the Way We Make Things" (do berço ao berço: refazendo a forma que fazemos as coisas) de William McDonough, ouve a nova banda de Jack White, The Raconteurs, e assiste "Run`s House" na MTV.

Mas isso não significa que a mídia não chegue a ele. "O único outro artista que conheci que tinha o mesmo efeito na imprensa foi Presley, e Elvis, diferentemente de Brad, escondia-se da mídia", diz Weintraub. "Brad ao menos tenta levar uma vida o mais normal possível. Mas ele sabe que tudo o que faz vira manchete. Sua melhor forma de lidar com isso é colocar um capacete de motocicleta, então não podem ver seu rosto. Agora é um piloto, então pode subir no céu e fugir disso."

William Reck contribuiu para este artigo Deborah Weinberg

UOL Cursos Online

Todos os cursos