Moradores do Soho querem proteger a personalidade do distrito

Jeffrey Stinson
em Londres

Soho. O nome desta comunidade de West End de Londres é sinônimo de boemia, moda, ecletismo.

Ele é pontilhado por teatros, clubes de jazz e restaurantes de renome
internacional. É lar das produtoras de cinema e televisão de Londres, dos negócios musicais de Paul McCartney, das lojas de moda. É o centro da indústria do sexo de Londres, um de seus maiores enclaves gays e lar de seu bairro chinês.

Mozart, Karl Marx, Casanova e os Sex Pistols moraram ou tocaram no Soho, que fica no distrito de Westminster de Londres.

Muitos moradores, empresários e políticos dizem que o Soho corre o risco de perder sua personalidade. Eles dizem que há um afluxo de grandes lojas de rede e grandes clubes noturnos, acompanhados de um aumento do comportamento desordeiro e indecente alimentado pelo álcool.

O empresário Matthew Bennett e Glenys Roberts, uma vereadora do distrito de Westminster, que inclui o Soho, dizem que as mudanças ameaçam transformar o Soho em uma área de entretenimento genérico na melhor das hipóteses, em uma sem lei na pior.

"Muita gente vê (o Soho) como um pedaço do Velho Oeste, onde você pode fazer o que quiser", disse Bennett, um morador que é dono da Soho Pizzeria.

A preocupação é grande o bastante a ponto da prefeitura de Westminster -um distrito que faz parte da Grande Londres- estar desenvolvendo um plano para preservar a personalidade da área. A prefeitura:

-Limitou o número de licenças para venda de álcool e dificultou a renovação das que expiram.

-Restringiu o horário de funcionamento de alguns clubes.

-Aumentou o policiamento.

-Reprimiu as sex shops sem licença de funcionamento.

-Imprimiu panfletos alertando os transeuntes sobre restaurantes e bares que rotineiramente cobram mais caro.

O distrito tem poder indireto para determinar que negócios podem entrar no Soho por meio de sua autoridade para concessão ou não de licenças para venda de bebidas alcoólicas. O que não pode fazer é controlar os aluguéis ou o movimento dos negócios, disse o vereador Danny Chalkley.

O distrito de Westminster decidiu não medir esforços para acabar com o
comportamento indesejado e manter a integridade do Soho. Ele está realizando uma pesquisa junto às empresas e aos moradores para determinar o que mais precisa ser feito.

O Soho sempre foi conhecido pela sua excentricidade. O afluxo de empresas genéricas que atraem uma clientela desordeira é o que mais incomoda alguns moradores.

"O Soho sempre foi um cruzamento da Margem Esquerda (de Paris) e de
Greenwich Village (de Nova York)", disse Roberts. "Você pode beber e dançar em qualquer lugar, mas no Soho sempre foi diferente."

Parte do charme é a mistura eclética que há muito define o Soho. Poucas
portas abaixo do badalado restaurante L'Escargot, na Greek Street, se
encontra um letreiro vermelho em uma janela superior anunciando sexo. Perto dali, na Soho Square, fica a empresa de McCartney. Os escritórios modernos da England's Football Association são vizinhos do prédio mais antigo na área, um hospital para mães solteiras.

De um lado do famoso restaurante Quo Vadis do chef Marco Pierre White na Dean Street -no prédio em que Karl Marx já morou- há o clube de striptease Sunset Strip.

A taverna Spice of Life, onde Bob Dylan e os Sex Pistols tocaram, ainda se encontra lá e recebe músicos de rock e jazz. O lendário clube de jazz de Ronnie Scott, onde Ella Fitzgerald e Buddy Rich se apresentaram, também ainda está funcionando. "Les Misérables", "Mary Poppins" e "Canterbury Tales" da Royal Shakespeare Company são encenados em teatros da área do Soho. E a Soho Pizzeria de Bennett, que oferece música ao vivo, recebeu cerca de duas dúzias de artistas de jazz diferentes no mês passado.

Outros nomes mais familiares também competem no Soho: McDonald's, Starbucks, Subway e PizzaExpress. Grandes casas noturnas, como o bar e restaurante Tiger Tiger, com capacidade para até 1.800 pessoas, se mudaram para a área. O clube On&On tem capacidade para até 1.500. Muitos dos pubs e clubes noturnos são de propriedade de grandes corporações.

Roberts e outros dizem que grandes marcas oferecendo comida disponível em qualquer parte de Londres dilui as ofertas de renome do Soho. As grandes redes provocam um aumento dos aluguéis porque freqüentemente podem pagar mais caro do que os empresários independentes.

"Nos locais onde o Soho costuma ser precursor de novas culinárias e
diferentes culinárias, os donos de restaurante independentes não podem mais arcar com os aluguéis", disse Bennett.

Bennett disse que as ruas estreitas do Soho não podem suportar as multidões atraídas pelos clubes maiores. Ele disse que as público que bebe até altas horas urina ou vomita nas ruas, é barulhento, ruidoso e briguento.

As multidões também atraem traficantes de drogas, sex shops ilegais e
pedintes agressivos, ele disse.

Glen Suarez, um morador, é uma força motriz da Sociedade Soho que busca preservar a área. Ele quer que a polícia reprima mais duramente o comportamento dos bêbados e a baderna. Sem um melhor trabalho da polícia, disse Suarez, a área se deteriorará.

"Toda aquela variedade se encontra aqui", disse Bennett. "Nós não queremos perdê-la." George El Khouri Andolfato

UOL Cursos Online

Todos os cursos