Sul puxa crescimento populacional dos Estados Unidos

Haya El Nasser

O sul dos Estados Unidos está crescendo novamente, desta vez como pólo de atração populacional para imigrantes que seguem para a região pelos mesmos motivos que atraem cidadãos de outros Estados norte-americanos: o clima quente, empregos e moradia barata, segundo os resultados de uma análise divulgada ontem pelo departamento governamental encarregado de realizar o censo.

Nos últimos 12 meses, mais da metade do crescimento populacional dos Estados Unidos ocorreu nos Estados do sul.

As estimativas são também as primeiras a refletir a devastação causada pelo furacão Katrina: o Estado de Louisiana sofreu um impressionante decréscimo populacional de 219.563 indivíduos, o maior declínio anual na população de um Estado na história dos Estados Unidos.

Se as pessoas não retornarem, a Louisiana perderá uma cadeira na Câmara dos Deputados, segundo uma análise do Serviço de Dados Eleitorais, uma firma de consultoria. As cadeiras na Câmara serão redistribuídas depois do censo de 2010.

Atualmente o sul atrai tanta gente de outros países quando o oeste, em parte porque o fascínio exercido pela Califórnia está em queda.

"Os imigrantes estão finalmente se dando conta do fato de que o sul é uma fonte de empregos e de boa qualidade de vida", explica William Frey, um demógrafo da Brookings Institution. "Eles são migrantes que acompanham a onda, ocupando empregos criados por pessoas que vieram de outras partes dos Estados Unidos."

Pela primeira vez desde o início da década de 1990, quando a Califórnia enfrentava uma severa recessão, o fluxo de imigrantes para o Estado mais populoso do país não superou a perda de gente que seguiu para outros Estados. A população do Estado só aumentou porque o número de nascimentos superou o de mortes.

A Carolina do Norte se tornou o quarto Estado sulista entre os dez mais populosos, fazendo com que Nova Jersey saísse do décimo lugar. O Texas continua sendo o segundo, a Flórida o quarto e a Geórgia o nono.

Nevada, o Estado cuja população cresceu mais rapidamente durante 19 anos consecutivos, caiu para segundo lugar, ficando atrás do Arizona, que acusou um aumento de 3,6%. Os ganhos populacionais do Arizona estão se acelerando porque o Estado está atraindo não só aposentados, mas também moradores jovens que contribuem para o crescimento do índice de natalidade. Vários desses indivíduos foram para o Arizona para fugir dos altos custos de outros Estados. "O Arizona está atraindo gente de toda parte - imigrantes do México, famílias de classe média da Califórnia e pessoas idosas de todos os lugares", diz Frey.

Segundo as estimativas, o meio-oeste está crescendo mais rapidamente do que o nordeste. A população de Indiana teve um aumento de 50 mil indivíduos, e a de Minnesota de 40 mil. Dois terços dos novos moradores de Indiana são imigrantes vindos de outros países, e um terço veio de outros Estados. "O meio-oeste está sendo fortalecido pela migração internacional", diz Robert Lang, co-diretor do Metropolitan Institute, da Virginia Polytechnic Institute and State University (Virginia Tech).

A população do Texas aumentou 2,5%, tendo chegado a 23,5 milhões de habitantes. O Estado recebeu 218.745 indivíduos de outros Estados norte-americanos, e 125.770 de outros países.

"O Texas é a nova Califórnia", afirma Lang.

UOL Cursos Online

Todos os cursos