Exclusivo para assinantes UOL

Economia do Egito cresce, assim como a miséria

Por David J. Lynch
No Cairo, Egito

Após quatro anos de robusta expansão econômica, o Egito deixou para trás sua história como um adormecido Estado socialista árabe e abraçou o mercado. Uma nova onda de construção está despejando edifícios comerciais tão rápido quanto o processo de criação dos nomes ocidentalizados que recebem, como Palm Hills, por exemplo. Companhias estatais sonolentas que vão desde bancos a lojas de departamento estão sendo vendidas para investidores privados e há uma enxurrada de capital estrangeiro no país, atraído pelo aroma do lucro certeiro.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos