PUBLICIDADE
Topo

Trump divulga vídeo com lema da Supremacia Branca

Kennedy Alencar

Kennedy Alencar

Kennedy Alencar é correspondente e comentarista da rádio CBN em Washington. Começou sua carreira em 1990 na Folha de S.Paulo, onde foi redator, repórter, editor da coluna "Painel' e enviado especial às guerras do Kosovo e Afeganistão. É autor do livro "Kosovo, a Guerra dos Covardes" (editora DBA). Na RedeTV!, apresentou durante cinco anos o programa de entrevistas "É Notícia' e mediou os debates presidenciais de 2010 e municipais de 2012. Estreou como comentarista da rádio CBN em 2011. Criou o "Blog do Kennedy" em 2013. Trabalhou no SBT entre 2014 e 2017. É produtor-executivo e roteirista do documentário "What Happened to Brazil", realizado para a BBC World News. Com uma versão em português intitulada "Brasil em Transe", o documentário retrata a crise que começa nas manifestações de junho de 2013, passa pelo impacto da Lava Jato e do impeachment de Dilma na política e na economia e resulta na eleição de Bolsonaro.

Colunista do UOL

28/06/2020 15h19Atualizada em 03/08/2020 14h22

O presidente Donald Trump recorreu à Supremacia Branca hoje numa rede social. Ele retuítou um vídeo no qual um dos seus apoiadores grita duas vezes "Poder Branco (White Power)" em resposta a críticos do seu governo. Algum tempo depois, a publicação foi deletada.

É mais uma subida do tom racista que o presidente vem imprimindo à sua campanha à reeleição. Ele tem chamado o coronavírus de "kung flu", numa alusão racista a kung fu, a arte marcial chinesa.

A Suprema Branca é uma ideologia racista que prevê que pessoas brancas devam governar os países em detrimento de outras raças e etnias. O retuíte de Trump surpreende por acontecer num momento em que há protestos nos EUA contra o racismo estrutural e a violência policial que atinge mais os negros.

Na postagem, Trump escreveu, ao divulgar o vídeo: "Obrigado ao grande povo de The Villages [Flórida]. A esquerda radical democrata não faz nada, vai cair no Outono. Corrupto Joe [Biden, o candidato do Partido Democrata] tá morto. Nos vemos em breve!!!".

O vídeo de dois minutos e oito segundos mostra um encontro na Flórida entre apoiadores e críticos de Trump. Biden está liderando as pesquisas no estado, no qual o republicano ganhou da democrata Hillary Clinton há quatro anos. A eleição americana acontecerá em 3 de novembro, outono no Hemisfério Norte.

A estratégia de uso explícito de um lema racista tende a reduzir o apoio a Trump entre conservadores moderados que votaram nele em 2016. Parece um tiro no pé para manter o apoio desses eleitores. O moderado Joe Biden tem um perfil que não assusta esse segmento se comparado a outros nomes do Partido Democrata.

Para piorar a situação de Trump, a pandemia de coronavírus está se agravando no sul do país. Os estados da Florida e do Texas decidiram suspender a reabertura da economia, fechando bares novamente. No Arizona, há risco de estrangulamento da estrutura hospitalar com o aumento das internações.

Pelo quinto dia consecutivo nos EUA, houve registro recorde de casos de covid-19. Neste sábado, foram contabilizados 44.782 casos da doença. A pandemia cresce em 33 dos 50 Estados americanos.

Veja a postagem racista de Trump, divulgada na manhã deste domingo:

Trump Twitter - Reprodução - Reprodução
Trump agradeceu apoio de manifestantes, mas depois apagou mensagem no Twitter
Imagem: Reprodução