09h05 17/01/2007

Em alta, Marinho persegue a artilharia do Mineiro

Depois de bater na trave nos dois últimos anos, atacante, agora no Atlético-MG, quer alcançar o objetivo no Estadual 2007.

Luiza Oliveira, do Pelé.Net

BELO HORIZONTE - Depois de realizar o sonho de jogar no Atlético-MG, de quem é torcedor assumido, e ainda ser artilheiro do time do coração na conquista da Série B do Campeonato Brasileiro de 2006, Marinho, aos 27 anos, tem outra meta na carreira: a artilharia do Campeonato Mineiro.

O atacante chegou perto por duas vezes, mas não passou da vice-artilharia nas duas edições anteriores do Mineiro. Em 2005, Marinho, que foi campeão mineiro pelo Ipatinga, marcou oito gols, cinco a menos do que Fred, então no Cruzeiro e atualmente no Lyon, da França. No ano passado, atuando pelo Democrata-GV, ele voltou a balançar as redes oito vezes, uma a menos que Marcelo Pelé, do Democrata-SL.

PERFIL DE MARINHO
Divulgação
Marinho foi destaque do Atlético-MG na disputa da Série B do Brasileiro em 2006
Nome: Mairon César Reis
Data de Nascimento: 27/8/1979
Local de Nascimento: Belo Horizonte
Altura: 1,79m
Peso: 72kg
Carreira:
Miguelense-AL (1998-2000)
Ipatinga (2001/2002)
Democrata-GV (2003)
Tupi (2003)
Hammarby-SUE (2004)
Juventude-RS (2004)
Ipatinga (2004/2005)
Cruzeiro (2005)
Democrata-GV (2006)
Atlético-MG (2006/2007)
Títulos:
Taça Minas Gerais 2004 - Ipatinga
Mineiro 2005 - Ipatinga
Série B do Brasileiro 2006 - Atlético-MG
"É um objetivo. Todas as competições que eu jogo eu procuro ser artilheiro e o próximo campeonato é o Mineiro, e eu vou fazer de tudo para ser artilheiro", disse Marinho em entrevista exclusiva ao Pelé.Net, na qual ele fala sobre a temporada vitoriosa em 2006, quando marcou 17 gols e ajudou o Atlético a ser campeão da Série B.

Contratado logo depois do Mineiro, Marinho foi decisivo na campanha que marcou o retorno do Atlético à Série A do Brasileiro. Na briga pela artilharia da Segundona, o atacante ficou atrás apenas de Vanderlei, o goleador da competição com 21 gols, Felipe, do Náutico, e Fumagalli, do Sport, ambos com 18.

"Eu queria ter vencido também a artilharia da Série B, mas é muito difícil. O Vanderlei, que está agora conosco aqui, fez um grande campeonato e foi merecedor disso. O fato é que eu trabalho cada vez mais para conquistar meus objetivos pessoais", afirmou o jogador, que renovou o contrato com o Atlético até o final de 2008.

Marinho, que teve uma passagem pelo Cruzeiro em 2005, quando não chegou sequer a jogar, disse que veste mais a camisa celeste. "Eu estou muito feliz aqui (Atlético). Acho que nenhum dinheiro me pagaria para que eu voltasse para o outro lado (o Cruzeiro)", observou o atacante.


Pelé.Net - O que representou a temporada 2006 na sua carreira?
Marinho
-Representou tudo pra mim. Foi o primeiro clube grande que me deu oportunidade. Quando surgiu o interesse do Atlético em me contratar eu fiquei muito feliz, mas sabia que teria muita dificuldade para conquistar essa torcida, para conquistar a titularidade. Então foi um ano maravilhoso, foi um ano que ocorreu tudo da forma como eu queria que acontecesse. Tomara que este ano de 2007 possa ser igual ao que se passou.

Pelé.Net - Você foi o artilheiro do Atlético em 2006, mas perdeu a artilharia da Série B. Isso o deixou frustrado?
Marinho
- Eu queria ter vencido também a artilharia da Série B, mas é muito difícil. O Vanderlei, que está agora conosco aqui, fez um grande campeonato e foi merecedor disso. O fato é que eu trabalho cada vez mais para conquistar meus objetivos pessoais.

Pelé.Net - O fato de nunca ter sido artilheiro do Campeonato Mineiro o motiva?
Marinho
- Motiva demais. Duas vezes eu fui vice-artilheiro. Este ano eu vou trabalhar para ser artilheiro. O atacante vive de gols, ele está sempre procurando a artilharia e comigo não é diferente. Tomara que este ano eu não fique sendo vice-artilheiro.

Pelé.Net - O que você destacaria na conquista da Série B?
Marinho
- A união do grupo. O grupo tinha os mesmo objetivos, não houve nenhuma discussão entre os jogadores, nem entre a comissão técnica, nem entre a diretoria. Todos os salários estavam em dia, todas as premiações, tudo o que foi acertado foi pago. Isso foi importante. Aliás, isso foi fundamental para que a gente conquistasse nossos objetivos.

Pelé.Net - O Atlético passou por mau momento na Série B, ficando bem próximo da zona de rebaixamento, o que aconteceu naquele período?
Marinho
- É difícil você dizer o que estava acontecendo. Nós estávamos trabalhando para que as vitórias acontecessem, mas elas não estavam vindo. O que nós continuamos fazendo foi continuar trabalhando. Veio outra comissão, outro pensamento, outro tipo de trabalho. Mas nunca deixamos de acreditar que poderíamos virar essa situação. Como foi que aconteceu. Então, foi importante acreditar e continuar trabalhando. O final foi maravilhoso.

Pelé.Net - Houve algum problema no grupo naquele período?
Marinho
- Nenhum. Por isso que o grupo foi vitorioso. Então nós temos que fazer tudo o que fizemos ano passado, ter a mesma união, a mesma vontade, a mesma determinação. Se conseguirmos colocar isso tudo, a tendência é fazer um grande campeonato e conquistar o título.

Pelé.Net - Lori Sandri tinha o apoio do grupo?
Marinho
- Tinha, com certeza. Alguns perguntam por que não estava dando certo com o Lori e deu com o Levir. Mas nós trabalhamos da mesma forma. Desde quando estávamos com o Lori, nós queríamos que as vitórias acontecessem, queríamos que ele ficasse também. Mas por alguns motivos, ele não ficou. Eu, particularmente, sou muito grato a ele por ter me dado a oportunidade, foi ele quem me contratou, foi ele quem deu o aval para a diretoria me contratar e foi o treinador que me deu a oportunidade de começar jogando o primeiro jogo na Série B contra o Marília.

Pelé.Net - O que vocês fizeram para superar a má fase e conquistar a Segundona?
Marinho
- Sempre trabalhar. Nas reuniões entre nós jogadores, conversávamos que poderíamos virar essa situação, que poderíamos melhorar nossa colocação dentro da competição e trabalhar. Trabalhamos muito, em nenhum momento chegamos aqui no treinamento desanimados, muito pelo contrário. Sabíamos que poderíamos virar essa situação. Sabíamos que poderíamos trazer a torcida para o nosso lado. E foi o que aconteceu. Com a torcida do nosso lado e com o nosso empenho fomos vitoriosos.

Pelé.Net - A artilharia é a sua meta no Campeonato Mineiro?
Marinho
- Com certeza. É um objetivo. Todas as competições que eu jogo eu procuro ser artilheiro e o próximo campeonato é o Mineiro e eu vou fazer de tudo para ser artilheiro. Uma competição difícil que tem outros atacantes que têm condições também. Mas eu vou procurar treinar bem para que eu possa chegar no jogo, consiga fazer os gols e conquiste essa artilharia também.

Pelé.Net - O Atlético está pronto para a disputa do Mineiro?
Marinho
- Estamos nos preparando. Estão chegando jogadores para acrescentar o grupo que já esteve aqui ano passado, e nós estamos esses dias todos concentrados para montar o que é necessário para vencer as partidas. Então nós vamos fazer tudo o que o Levir pedir essa semana para que a gente já conquiste uma vitória importante contra o Villa Nova.

Pelé.Net - O fato de o Atlético não conquistar o Mineiro há quase sete anos aumenta a pressão sobre o grupo e a comissão técnica?
Marinho
- Aumenta a pressão sim. Ainda mais você vindo de um título, campeão da Série B. Todos estão na expectativa de nós fazermos o mesmo trabalho que fizemos ano passado e essa carência no Campeonato Mineiro nos incomoda também. Então nós vamos fazer de tudo para trazer mais uma alegria para essa torcida que nos apoiou durante o ano de 2006 todo. E essa pressão vai acontecer porque se trata de um clube grande, um clube que paga seus salários em dia e nós somos obrigados a ter vitórias e ter títulos.

Pelé.Net - Se o Atlético não for campeão estadual, isso pode atrapalhar o time na Copa do Brasil e no Brasileirão?
Marinho
- Pode. Por isso que não passa nem pela nossa cabeça não conquistar esse título. Há seis anos o Atlético não conquista o Campeonato Mineiro. Estamos trabalhando forte, o clube dá toda a estrutura para que a gente conquiste esse título. E, se não conquistarmos, a tendência é a pressão aumentar para que a gente consiga as vitórias, o título da Copa do Brasil e o campeonato da Série A. Mas nós não pensamos nisso, pensamos em sermos campeões.

Pelé.Net - A empolgação pela conquista da Série B pode gerar relaxamento no grupo e pôr tudo a perder em 2007?
Marinho
- Não. Muitas pessoas já perguntaram isso para mim. Pelo contrário. Nós sentimos o gosto de uma vitória, de uma conquista, então nós vamos trabalhar cada vez mais para que a gente sinta essa sensação gostosa de ser campeão de um campeonato difícil. Principalmente uma competição como é o Campeonato Mineiro, que tem o nosso rival. Então nós vamos fazer de tudo para vencer.

Pelé.Net - Pessoalmente, a temporada 2006 não começou bem para você, que não passou no exame médico do Guarani. O que você sentiu na época? Pensou em desistir da carreira?
Marinho
- Desistir não, porque eu tive pessoas atrás de mim, minha família, minha esposa, meus filhos que sempre acreditaram e sempre estiveram comigo. Desanimado posso dizer que sim, triste também. Mas em nenhum momento pensei em largar, até mesmo porque Deus está comigo em todos os momentos, ele sempre me abençoa e eu sabia que ele não iria me abandonar. Dito e feito. Fui feliz, estou sendo muito feliz aqui. Tomara que eu conquiste mais vitórias, mais títulos e que eu faça muitos gols pela frente.

Pelé.Net - Por outro lado, você terminou bem a temporada 2006. Como manter isso em 2007?
Marinho
- É trabalho. É oportunidade, é cuidar. Eu preciso do meu corpo para fazer meu trabalho. Então, procuro descansar bem, eu procuro me alimentar bem, eu procuro dormir cedo, dormir a quantidade certa pra que eu consiga chegar no outro dia e fazer um bom trabalho no treinamento. Então é isso que eu vou procurar fazer, como eu sempre fiz, para que as coisas aconteçam da mesma forma como aconteceram no ano passado.

Pelé.Net - A sua passagem pelo Cruzeiro em 2005, quando foi dispensado sem entrar em campo, deixou mágoas? Isso o incomoda ainda?
Marinho
- Pelo Levir, que hoje é técnico do Atlético. Coincidência eu estar aqui hoje. Não me magoou, até mesmo porque eu estava vindo de uma cirurgia e o Fred estava vivendo um momento maravilhoso na sua carreira. O que eu fiz foi continuar trabalhando. Sabia que a oportunidade ia aparecer em um clube grande e eu estou aqui. Mais uma vez feliz, de contrato renovado. Tomara que eu consiga fazer nesses dois anos pra frente o que eu fiz no ano passado.

Pelé.Net - Você voltaria a jogar no Cruzeiro futuramente?
Marinho
- Não. Não é a minha vontade. Eu estou muito feliz aqui. Acho que nenhum dinheiro me pagaria para que eu voltasse para o outro lado.




Computando seu voto...
Carregando resultado

Total de votos:

© Copyright Zipsports Ltda. Todos os direitos reservados

Shopping UOL