Placar
C. Germano: na ativa
11h17 14/11/2006

Ex-Vasco, Carlos Germano procura um clube

Goleiro mora no Rio de Janeiro e espera defender uma equipe no Estadual de 2007. No futuro, quer ser preparador de goleiros.

Cauê Rademaker, especial para o Pelé.Net

RIO DE JANEIRO - Um dos goleiros mais vitoriosos da história do Vasco, Carlos Germano, 36, procura um clube. Sem jogar desde que retornou do futebol português, no inicio do ano, o atleta anuncia que ainda não largou o futebol.

"É um prazer jogar. Cheguei em um momento na minha carreira que a parte financeira não é o mais importante. Quero continuar jogando pelo prazer de estar em campo", disse em entrevista exclusiva ao Pelé.Net Carlos Germano.

TORCEDOR OTIMISTA
Longe dos gramados, Carlos Germano não deixa de acompanhar os jogos do Vasco no Campeonato Brasileiro. Empolgado com a arrancada do time na reta final de competição, o goleiro aposta na conquista de uma vaga para a Libertadores.

"Do jeito que tem jogado, se classifica sim. A diretoria acertou na contratação do Jean e do Leandro Amaral, que encaixaram muito bem na equipe. Mas o maior mérito é da comissão técnica, do pessoal da preparação física e da fisiologia. O time voa em campo", afirmou.
Por conta disso, o goleiro rejeitou propostas de clubes para disputar a Série B e até a Série A do Campeonato Brasileiro, pelo simples fato de não querer mais morar fora do Rio de Janeiro.

Carlos Germano afirmou que não pretende sair do lado da mulher e das três filhas, que têm sido sua companhia constante neste período longe da bola.

"Em abril eu ainda treinei no Vasco, para manter a forma. Aí pintaram convites de clubes de fora do Rio, mas sair da cidade eu não quero não. Então depois disso passei a ficar só em casa, curtindo minhas filhas", explicou o goleiro.

Entretanto, a partir do fim de novembro o goleiro garante que voltará a treinar para entrar em forma e espera convite de algum clube do Rio para disputar o Estadual do ano que vem. "Vou começar a fazer alguns contatos. Quero ver se jogo mais um ou dois anos", disse.

Mas, enquanto não pintam propostas, Germano começa a cuidar do futuro. A carreira de treinador garantiu que não seguirá de jeito nenhum. "Você acha que sou doido? É muita gente para tomar conta", brincou.

No entanto, pretende fazer parte de alguma comissão técnica, na função de preparador de goleiro. O atleta acredita que tem muita experiência para passar e, para isso, vai se aperfeiçoar no assunto.

ELEIÇÕES NO VASCO
Na madrugada desta terça-feira, a chapa azul, liderada por Eurico Miranda, derrotou a branca, encabeçada por Roberto Dinamite, nas eleições do Vasco. Entrevistado pelo Pelé.Net antes da disputa, Carlos Germano não manifestou preferência por nenhum candidato, mas pediu a união no clube.

"O Vasco seria muito mais forte se todos estivessem juntos, sem vaidade. Com o Roberto e o Eurico juntos, o clube seria uma força muito grande, maior do que já é, sem dever nada para ninguém", disse o goleiro.
"Em dezembro vou começar um curso aqui no Rio de Janeiro. O que mais quero é trabalhar como preparador de goleiros depois que eu encerrar a minha carreira", disse Carlos Germano.

Revelado pelo Vasco, o goleiro conquistou, dentre outros títulos, o Campeonato Brasileiro de 1997 e a Copa Libertadores de 1998, se tornando ídolo da torcida vascaína. "Era um time fantástico, muito amigo e que mesclava jovens promessas com jogadores experientes", recordou.

Tristeza apenas pelo fato de não ter disputado o Mundial de Clubes do ano 2000. Na ocasião, Carlos Germano teve problemas com a diretoria vascaína na hora de renovar seu contrato e acabou deixando o clube e indo para o Santos.

Como conseqüência, não participou da campanha do Vasco no torneio e viu o goleiro Helton ganhar sua primeira oportunidade com a camisa 1 do Vasco. O time foi vice-campeão.

"Me arrependo muito de não ter disputado aquele Mundial, mas isso não aconteceu por vontade minha. Fui impedido de prorrogar meu contrato e um mês depois saí do clube", disse Carlos Germano, que foi vice-campeão do Mundial de 1998, sendo derrotado pelo Real Madrid na final.



  Quero continuar jogando pelo prazer de estar em campo
Carlos Germano, ídolo do Vasco e atualmente sem clube
Carlos Germano Schwambach Neto
14/08/1970
Domingos Martim-ES

Times
- Vasco (85 a 99)
- Santos (2000)
- Lusa (2001)
- Inter (2002)
- Botafogo (2002)
- Paysandu (2002)
- América-RJ (2004)
- Vasco (2004)
- Madureira (2005)
- Penafiel-POR (2006)

Títulos
- Carioca (92, 93, 94 e 98)
- Brasileiro (97)
- Copa América (97)
- Libertadores (98)
- Rio-São Paulo (99)







© Copyright Zipsports Ltda. Todos os direitos reservados

Shopping UOL