08h15 14/10/2008

Dono de shopping, tetracampeão Márcio Santos sonha treinar beques

Ex-jogador é proprietário de um centro comercial em Balneário Camboriú (SC), mas ainda pensa em voltar ao futebol para "dar exemplo" aos defensores

Thales Calipo, especial para o Pelé.Net

SÃO PAULO - Um shopping center em uma das cidades mais turísticas do país. Foi dessa forma que o ex-zagueiro Márcio Santos, tetracampeão com a seleção brasileira na Copa do Mundo de 1994, decidiu centrar suas forças após sua aposentadoria do futebol. Porém, apesar do apreço pelo mercado imobiliário, o ex-jogador não esconde seu desejo de retornar ao esporte, mesmo que tenha de sair de Balneário Camboriú (SC), cidade em que mora atualmente.

Arquivo Folha
Pelo São Paulo, o zagueiro teve um dos seus melhores momentos jogando no Brasil
Arquivo Folha
Além de conquistar a Copa América, Márcio Santos foi titular na Copa do Mundo-1994
LEIA MAIS NOTÍCIAS DE FUTEBOL
No futebol, Márcio Santos diz que sonha ajudar as novas gerações, independentemente do cargo que assumisse em algum clube. Enquanto fala dos seus planos, no entanto, o ex-zagueiro expõe o projeto de "recriar" uma moda que surgiu há alguns anos, mas não vingou.

"O Mauro Galvão foi treinador de zagueiros [no Vasco, em 2003], então eu poderia ser algo parecido. Eu acho que os defensores precisam evoluir em quesitos como cabeceio e antecipação, e isso não é trabalhado pelos clubes. Nos gols da rodada nós podemos ver as falhas nesse sentido", afirmou Márcio Santos, que abandonou os gramados após o Campeonato Paulista de 2004.

Entre os prováveis locais de trabalho do "treinador" Márcio Santos, a capital paulista surge como uma opção ideal. Depois de fazer história pelo São Paulo no fim da década de 90, o ex-zagueiro guarda boas recordações da cidade e, principalmente, ótimos contatos.

"Sempre recebo convites, pois meu nome é muito forte em São Paulo. Apesar das propostas, eu não posso aceitar por enquanto. Mesmo assim, eu estudo as propostas com carinho e, se achar que será interessante, não só financeiramente, posso assumir já a partir do próximo ano", disse o ex-jogador, que completará 40 anos em 2009.

Além do futebol, a boa imagem deixada por Márcio Santos em São Paulo quase o levou para a política. Mesmo sem citar a legenda, o ex-zagueiro admite que foi sondado para o Legislativo. Apesar da recusa, o discurso mostra que, pelo menos neste sentido, o ex-jogador não ficaria devendo para nenhum "profissional da área".

Apesar de ser titular na Copa do Mundo de 1994, Márcio Santos refuta a hipótese de ter conquistado a vaga apenas depois de Mozer e Ricardo Gomes serem cotados do Mundial.

"Estava na seleção desde 1990. Entre no primeiro amistoso e não sai mais. Fui um dos melhores nas eliminatórias e nunca me considerei reserva. O Parreira tinha os dois 'Ricardos' [Gomes e Rocha] na cabeça, mas esperei para voltar. Não entrei no lugar de ninguém", afirmou o ex-zagueiro.

Quatorze anos depois de ser tetracampeão, Márcio Santos defende a atuação do técnico Dunga, seu companheiro no time de 1994.

"Acho que os outros treinadores de nome que são candidatos, independentemente de chegar lá, se não tiver o respeito dos jogadores, não ganha nada. Não posso dizer quem é o melhor, mas sempre falo que o treinador que tiver o time na mão, ganha. E isso o Dunga tem", completou Márcio Santos.
PASSADO E PRESENTE NA SELEÇÃO BRASILEIRA
"Eu tive proposta em São Paulo para sair como vereador, mas não é o momento. Tenho de fazer bastante coisa ainda, principalmente no esporte. Quero tentar melhorar a situação das categorias amadoras para que os jogadores possam chegar mais bem preparados nas equipes profissionais", explicou Márcio Santos.

Todos esses planos, no entanto, quase foram abreviados neste ano. Em abril, o jogador foi parar no hospital vítima de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Sobre o assunto, o ex-zagueiro prefere ser breve, mas deixa claro que a fatalidade não o abalou.

"Eu tive um princípio de AVC, mas não foi nada. Fui parar no hospital para ser medicado, mas já estou 100%. Eu cheguei a ir a um especialista em Curitiba para ver, mas ele me disse que não ficou nada e me liberou", resumiu o ex-zagueiro.

Dessa forma, enquanto não concretiza o seu desejo de voltar para o futebol, Márcio Santos segue fazendo planos para o shopping (que leva seu nome), além dos outros imóveis, como casas e apartamentos, que mantém na cidade catarinense.

"Sou diferenciado nessa situação. Desde os juniores, sempre pensei no pós-futebol. Vi exemplos de pessoas que encerraram a carreira sem dinheiro, morando na arquibancada. Isso foi um exemplo, pois após a carreira você não recebe o salário do clube e os bichos, mas as contas não param", completou o agora empresário Márcio Santos.



  Sou diferenciado nessa situação. Desde os juniores, sempre pensei no pós-futebol
Márcio Santos, zagueiro tetracampeão com a seleção brasileira em 1994
Márcio Roberto dos Santos

15/09/1969

São Paulo (SP)

Times
- Novorizontino (SP): 1987-1990
- Internacional (RS): 1990-1991
- Botafogo (RJ): 1992
- Bordeaux (FRA): 1992-1994
- Fiorentina (ITA): 1994-1995
- Ajax (HOL): 1995-1997
- Atlético (MG): 1997
- São Paulo (SP): 1997-2000
- Santos (SP): 2000
- Gama (DF): 2001
- Jinan (CHN): 2001
- Paulista (SP): 2002
- Al-Araby (QTR): 2003
- Portuguesa Santista (SP): 2004
Títulos
- Campeonato Gaúcho - 1991 - Internacional
- Copa do Mundo - 1994 - Brasil
- Mundial Interclubes - 1995 - Ajax
- Liga dos Campeões - 1995 - Ajax
- Copa Umbro - 1995 - Brasil
- Supercopa da Holanda - 1996 - Ajax
- Supercopa Européia - 1996 - Ajax
- Campeonato Holandês - 1996 - Ajax
- Copa América - 1997 - Brasil
- Campeonato Paulista - 1998 - São Paulo
- Copa Euro-América - 1999 - São Paulo





© Copyright Zipsports Ltda. Todos os direitos reservados

Shopping UOL