09h00 18/11/2008

Nena, a última fera do "Rolo Compressor" do Inter, vive dias de ídolo aos 85 anos

Zagueiro que entrou para a história como integrante da equipe que para muitos foi a melhor do Colorado em todos os tempos, passou por Porto Alegre e diz que nem acompanha mais o futebol

Do Pelé.Net

PORTO ALEGRE - Rolo Compressor. Assim ficou conhecido o time do Internacional que dominou o Rio Grande do Sul nos anos 40 do século passado e até hoje é apontado como um dos maiores e, talvez, o melhor time colorado de todos os tempos. Daquela equipe, cuja escalação ainda ecoa na memória dos torcedores mais antigos, o último remanescente é o zagueiro Nena, que embora nem acompanhe mais o futebol, voltou a viver dias de ídolo na última semana deste mês de outubro, em Porto Alegre.

Vinicius Simas/UOL Esporte
Nena ficou impressionado com estrutura do Internacional, seu clube do coração
Convidado especial para o lançamento de um livro que conta a história daquela máquina colorada - Rolo Compressor - Memória de um Time Fabuloso, do jornalista Kenny Braga -, Nena passou uma semana na capital gaúcha, concedeu entrevistas, deu centenas de autógrafos, e falou ao Pelé.Net, em conversa ocorrida no Mercado Público de Porto Alegre. Nela revelou que nem acompanha mais o futebol.

Aos 85 anos, morando em Goiânia, disse que o jogo que gosta atualmente é o de baralho. "Não há dúvida de que a minha paixão pelo Inter permanece, mas vejo muito pouco futebol hoje em dia", disse ele, sob o olhar atento da esposa Juraci, 84, que o acompanhou na viagem ao Sul, assim como o cunhado Paixão Rodrigues, 80. Todos demonstrando felicidade com o tratamento recebido e Nena - que fez dupla de zaga com Alfeu e juntos conquistaram oito títulos estaduais naquela década inesquecível para os colorados - impressionado com a estrutura do seu clube do coração.

"Fiquei mesmo impressionado com o estádio - Beira-Rio -, e com esse patrimônio todo", comentou o velho craque, econômico nas palavras e ao mesmo tempo um pouco entristecido com a informação que recebeu de que aquele que era o seu melhor amigo dos tempos do Rolo, o lateral-esquerdo Abigail, morreu em dezembro do ano passado, pobre e abandonado.

As estrelas mais expressivas daquele time inesquecível faleceram há mais tempo, sendo elas os atacantes Tesourinha, para muitos o maior jogador da história do Inter - seu companheiro na seleção brasileira em 1950 -; e Carlitos, esse o artilheiro imbatível, pois até hoje ninguém conseguiu superar sua marca de 324 gols com a camisa colorada. "Era mesmo um grande time, mas não se pode comparar aqueles jogadores com os de hoje, os tempos são outros, a forma de jogar mudou muito, e como já disse nem tenho acompanhado o futebol", reafirmou Nena.

Revelando boa saúde e muita lucidez, Nena gostou do passeio, disse que "sempre é bom vir a Porto Alegre", e espera dar continuidade à relação, para manter seu nome ligado de forma forte com o Internacional. A visita ao clube neste 2008 já rendeu o convite oficial para que em 2009, ano do centenário do clube, seja uma das granes figuras da festa que deverá ocorrer em abril.



  Não há como comparar o futebol de hoje com o da minha época, os tempos são outros e nem acompanho mais.
Nena, 85 anos, remanescente do time que é apontado como o melhor Inter da história
Olavo Rodrigues Barbosa

11/7/1923

Porto Alegre-RS

Times
- Internacional - 1940 a 1950
- Portuguesa - 1951 a 1954
Títulos
- Campeonato Gaúcho - Inter, 1940/41/42/43/44/45/47/48
Torneio Rio/São Paulo - Portuguesa, 1952





© Copyright Zipsports Ltda. Todos os direitos reservados

Shopping UOL