08h23 30/12/2008

Tentando fugir das polêmicas, goleiro Lugão luta para jogar na Série A

Camisa 1 do Macaé quer deixar problemas para trás e realizar um bom Campeonato Estadual

Pedro Ponzoni, especial para o Pelé.Net

RIO DE JANEIRO - Três anos se passaram, mas o torcedor do futebol carioca não se esquece das polêmicas em que o goleiro Lugão se envolveu durante e após o Campeonato Estadual daquela oportunidade. Defendendo as cores do Macaé, o jogador, de 30 anos, quer deixar os fatos negativos que marcaram sua carreira para trás e atuar na primeira divisão do Campeonato Brasileiro.

Em 2005, o Volta Redonda chegava à final da competição de forma brilhante ao deixar os três dos quatros grandes clubes do estado para trás. O adversário era o Fluminense. Porém, às vésperas da decisão, o arqueiro foi envolvido em uma situação no mínimo constrangedora.

O então empresário do atleta, Jorge Moraes, anunciou para a imprensa que tanto Lugão, quanto Schneider estavam acertados com o Tricolor das Laranjeiras. Por coincidência, um dos gols da equipe, então comandada por Abel Braga, na segunda partida, saíram pelo lado em que o lateral-direito fazia a marcação. Somado a isso, o goleiro, que vinha realizando uma boa competição, falhou no gol que deu o 30ª título estadual para o Fluminense, marcado por Antônio Carlos.

Ao relembrar o caso, Lugão mostrou-se um pouco chateado. Ele lembrou que não tinha assinado nenhum contrato com o Fluminense e o caso deixou sem clima para atuar em outro clube. Santos, Flamengo e Juventude também se interessaram pelo goleiro.

"Aquilo já passou, mas me deixou chateado. Algumas pessoas que não me conhecem ficaram me julgando de forma errada. Eu tinha treze anos de clube e se nossa equipe conquistasse o título seria muito mais valorizado. Pelo fato de estar prometido para outra equipe os outros times se desinteressaram", desabafou, acrescentando.

"Infelizmente eu falhei na última bola do jogo. Poderia dizer que estávamos na final porque defendi dois pênaltis na final da Taça Guanabara. Mas não fiz isso. Porém, eu não guardo mágoa de ninguém", emendou.

Passado o Campeonato Estadual, Lugão acabou se envolvendo em outra situação difícil. O arqueiro foi apresentado ao Fluminense juntamente com Schneider e o atacante Léo Guerra, que também atuou pelo Volta Redonda, mas tinha outro empresário. Na oportunidade, ele vestiu a camisa tricolor, assim como os dois ex-companheiros. Porém, não passou nos exames médicos e acabou não assinando contrato. Na oportunidade, foi constatado um problema no seu coração.

A situação acabou fazendo com que ele ficasse cinco meses sem atuar. Mas se engana quem pensa que os exames no Fluminense fizeram com que ele desistisse de jogar futebol. Muito pelo contrário. Ele consultou outros médicos e teve autorização para dar prosseguimento em sua carreira.

"Consultei outros médicos e eles me disseram que o risco era mínimo. Foi constatado que eu tinha uma sinusite mal curada. De seis em seis meses faço meu check up e os médicos nunca apontaram nada", afirmou, emendando.

"Eu respeitei a opinião dos médicos do Fluminense, mas o meu problema não foi levado para frente e prossegui minha carreira no Nova Iguaçu", acrescentou.

Depois disso, Lugão ainda passou pelo Ituano, em 2007, e retornou ao Volta Redonda, no ano seguinte. Porém, seu retorno ao clube que o revelou não veio carregado de desconfiança. O goleiro lembrou que atuar novamente no Voltaço pôde apagar a má impressão em sua saída.

"Eu nasci em Volta Redonda e as pessoas nas ruas sempre me deram apoio. Quando eu estava de saída para o Fluminense, muitos pediram para eu ficar. Conheço os principais torcedores do time. Foi muito bom esse meu retorno ao clube", disse.

Passados os dois episódios negativos, Lugão sonha em ter um melhor restante de carreira. Porém, para evitar que aconteça um episódio semelhante a sua quase transferência para o Fluminense logo após se desvincular do Volta Redonda, ele não é mais empresariado pelo agente Jorge Moraes. Atualmente seu único vínculo é com o Guanabara. Porém, como seu contrato se encerra após o Campeonato Estadual do Rio, ele sonha em realizar uma boa competição para firmar outro bom contrato.

"Espero que eu arrebente no estadual para conseguir uma boa transferência. Quero firmar contratos mais longos com duração de um a dois anos. Não gosto de assinar por seis meses", revelou.

"Sonho em jogar uma Série A de Brasileiro. Até hoje eu só atuei na B e na C. Também gostaria de conquistar títulos. Para isso, seria necessário estar em clube médio ou grande", encerrou.








© Copyright Zipsports Ltda. Todos os direitos reservados

Shopping UOL