09h01 26/03/2008

Galo faz amistoso internacional para celebrar seu centenário

Jogo contra o Peñarol, do Uruguai, é uma tentativa do Atlético-MG para reviver uma época em que tinha projeção internacional.

Luiza Oliveira e Bernardo Lucas, do Pelé.Net

BELO HORIZONTE - Depois de 11 anos sem conquistar um título internacional importante, o último foi o da Conmebol de 1997, o Atlético-MG aproveita a comemoração do seu centenário para resgatar um aspecto tradicional em sua história: as partidas contra adversários de outros países. Para celebrar os 100 anos de vida o convidado é o Peñarol, do Uruguai, adversário do amistoso desta quarta-feira, às 21h45, no Mineirão.

ATLETAS VALORIZAM AMISTOSO
Site oficial do Atlético-MG
Site oficial do Atlético-MG
Partida com o Peñarol celebra o centenário e revive a tradição de jogos internacionais
Apesar do caráter festivo, o jogo comemorativo pelo centenário tem grande importância para os jogadores do Atlético-MG. "Vamos juntar nossas forças, viemos de boa vitória e estamos com a auto-estima elevada para esse amistoso. Vamos fazer um grande jogo e ficar marcado na história", afirmou o volante Renan. Segundo ele, é fundamental passar uma boa imagem do Atlético na semana do seu centenário. "Uma derrota seria uma tristeza para todos os torcedores", acrescentou.
Por isso, os atletas do Galo prometem não medir esforços para superar o Peñarol. O atacante Marinho acredita que será uma partida difícil, apesar do clima de festa. "É um amistoso na festa do Atlético e vai ser um jogo muito difícil. O Peñarol já tem seu nome no futebol, é acostumado a disputar campeonatos difíceis como Libertadores e o Atlético também já viveu momentos felizes com equipes de outros países", analisou o camisa 9.
LEIA MAIS NOTÍCIAS DO ATLÉTICO-MG
"É muito bom poder voltar a enfrentar equipes internacionais. Acho que o jogo é diferente, tudo que envolve a partida é diferente. Sem contar que é um jogo especial para a torcida, que merece assistir a um jogo diferente, às vezes até melhor, com toda a pompa de uma partida internacional", comentou o ex-meia Lola, campeão brasileiro em 1971, pelo Galo, e que teve a oportunidade de participar de vários amistosos internacionais pelo alvinegro mineiro.

Ao longo de sua história, o time atleticano conquistou 17 títulos internacionais. O mais emblemático deles a excursão pela Europa, em 1950, que o consagrou como "Campeão do Gelo", título cantado no hino do clube. Naquela ocasião, o alvinegro se tornou o primeiro clube brasileiro a viajar pela Europa e suportou situações adversas.

No Velho Continente, as partidas eram disputadas em sua maioria com os campos cobertos por neve e a temperaturas abaixo de 0ºC, daí o nome. O feito, após a vitória sobre o Munique 1860, da Alemanha, foi aclamado pela torcida no desembarque da delegação em Belo Horizonte, com direito a desfile em carro aberto. Mas essa foi apenas a primeira das muitas façanhas internacionais do Galo. Apenas na década de 70 e 80 foram oito conquistas em torneios pela Espanha, França, Suíça, Holanda e México.

"Acho que esses jogos internacionais são importantes, é uma volta ao passado, para relembrar momentos importantes desses 100 anos e vai ser uma boa forma de comemorar o centenário. Acho que também vai ser bom para tentar motivar um pouco mais os torcedores, que irão querer assistir a este jogo, mas espero que o Atlético e seus jogadores não façam feio", observou o ex-meia Paulo Isidoro, que brilhou no Galo no final da década de 70.

O mais importante feito internacional da década de 90 foi a conquista da Copa Conmebol, precursora da Sul-Americana, por duas vezes, em 1992 e 1997. Em 1992, na primeira edição do torneio, o alvinegro foi melhor que 15 times entre eles o Grêmio, o Vélez Sarsfield e o Peñarol, adversário desta quarta-feira.

Na final, a equipe superou o Olímpia, do Paraguai, campeão da Copa Libertadores dois anos antes, por 2 a 0, no Mineirão. Mesmo a derrota por 1 a 0 no jogo de volta não foi suficiente para tirar a taça do Galo. Esse foi o primeiro título sul-americano do clube.

No segundo ano, o torneio foi mais emblemático. Sob o comando do técnico Emerson Leão o Atlético venceu todos os jogos fora de casa. Na polêmica final, o Galo goleou o Lanús, da Argentina, por 4 a 0, fora de casa. No final do jogo, irritados com a derrota, os argentinos partiram para cima dos jogadores e de Leão, que ficou ferido no rosto. Houve muita pancadaria. No jogo de volta o empate por 1 a 1, no Mineirão, deu o título aos mineiros.

Também em 1997, o Atlético conquistou o título da Copa Centenário de Belo Horizonte, em comemoração ao aniversário de 100 anos da capital mineira. Além do Galo, participaram também Cruzeiro, América, Milan, Olímpia, Benfica, Flamengo e Corinthians. O time superou o maior rival na final.

Amistosos

Além dos títulos internacionais conquistados, o Atlético tinha a tradição de enfrentar seleções nacionais e equipes fortes do cenário mundial. "Já enfrentei a Rússia, o Benfica, o San Lorenzo, que sempre foram grandes e na época eram das maiores equipes do futebol", destacou Dario o Peito de Aço, eterno ídolo atleticano.

Embora não tenha sido internacional, um outro amistoso ficou marcado para sempre na memória do atleticano. O alvinegro foi o único clube a vencer a Seleção Brasileira. Esse feito aconteceu em 3 de setembro de 1969, quando o Galo fez 2 a 1, pouco antes do escrete canarinho embarcar para o México onde se consagraria tricampeã mundial. Os gols do Atlético foram marcados por Amauri Horta e Dadá Maravilha. Pelé fez o do Brasil.




© Copyright Zipsports Ltda. Todos os direitos reservados

Shopping UOL